31.10.10

Dúvidas sobre o penalti???

Alguns rioavistas (poucos...) com quem falei hoje têm dúvidas sobre o penalti assinalado sobre Yazalde.
Aqui vão duas imagens para os esclarecer:














e se restarem dúvidas...
Pena é que João Tomás tenha atirado com tão pouca convicção:

Bilheteira das Taças deu mais do que o campeonato

Houve Benfica na Taça da Liga e FC Porto na Taça de Portugal, mas não deixa de ser revelante que meia dúzia de jogos destas duas competições (alguns com pouco ou nulo interesse desportivo) tenham dado mais dinheiro de bilheteira do que os 15 jogos em casa do campeonato principal.
€157 mil do campeonato contra €170 mil da Taça de Portugal e Taça da Liga. Total: €327 mil euros.

Futsal ganha 5-1 em Nelas

Para a segunda eliminatória da Taça de Portugal.

Sobre a AG de hoje (1): do sintético ao 'lucro' do departamento juvenil

- ASC disse que o sintético para as camadas jovens não avançou porque teve que se fazer opções financeiras mas que ficará para o próximo mandato;
- o sócio Quintela referiu que as camadas jovens chegaram ao fim do exercício 2009-2010 com um saldo positivo (€185 mil de despesas, contra €368 mil de receitas), mas é preciso perceber que desses €368 mil euros, €336 mil vieram de um subsídio da Câmara; aliás, bem vistas as coisas, nem percebi se estamos com quase €170 mil euros de resultados positivos;
(foto AVL)
- o presidente da Direcção também falou na campanha dos 'mais mil sócios'; sem dar números, disse que foi um sucesso absoluto, pelo que se deduz que se chegou aos tais mil novos sócios;

Sobre a AG de hoje (2) Um orçamento muito ambicioso? (ACT com foto)

Uma assembleia dentro da normalidade - uma normalidade muito positiva, já que o Clube vive um bom momento, muito mais depois das duas vitórias de ontem sobre o Braga, que Mário Almeida não deixou de lembrar logo no início dos trabalhos.
Relativamente às contas, os destaques vão para a redução de passivo*, para o saldo positivo e para o aumento significativo da despesa (compensada pelos 2,4 milhões de euros de vendas de jogadores, a que se têm de retirar 500 mil para o empresário).
Apenas houve uma intervenção sobre o assunto das contas, a minha precisamente, que pedi informação sobre uma nova rubrica que aparece em 'fornecimentos de serviços', chamada subcontratos, com um valor de quase 700 mil euros (rubrica essa que não constava na proposta de orçamento aprovada no início da época passada e é um dos valores mais elevados dessa secção). O tesoureiro, dr. Augusto Fonseca, explicou que se trata de pagamentos, sobretudo ao plantel profissional, de subsídios de férias e de natal [no final da reunião, este nosso director teve a amabilidade de me contactar para concretizar melhor essa informação, o que muito agradeço].

(um comentário final: provavelmente tão cedo não teremos uma venda tão significativa, pelo que, provavelmente, tão cedo não teremos possibilidade de tirar partido dessa verba; por isso gostaria de ter visto mais contenção neste orçamento - que aprovei - ao nível das despesas; apesar da redução de passivo, do cumprimento das obrigações, etc. etc., a verdade é que a previsão era de 3,974 milhões mas acabaram por ser gastos 5,830 milhões; os leitores sabem que eu não percebo nada do assunto [e que, acima de tudo, respeito que tem a tarefa de nos dirigir], mas assusta-me esse aumento, genérico, de quase dois milhões);

* Foi revelado na AG que, desde Junho, ou seja, desde o fecho destas contas, o Rio Ave já abateu em mais meio milhão o total do passivo;

A tua alegria, Zé, é a nossa alegria!

(Já que o mais difícil está feito, para quem não marcava há quatro anos, agora pedimos mais dois ou três destes golos!)

As contas da época 09/10 (1): 119 mil de 'lucro'

Feitas as contas, a época terminou com um pouco mais de 119 mil euros de resultado positivo.
É pouco, para aquilo que eu achava que poderia acontecer (mas sem dados nenhuns, a não ser a expectativa). Quero destacar a importância da redução do passivo e a estabilização financeira do clube.

Na AG, que decorre neste momento, a Direcção apresentará todos os números e esclarecerá as eventuais dúvidas.

As contas da época 09/10 (2): mais dois milhões de despesa

Comparando as despesas previstas há um ano com aquelas que foram efectivamente feitas há um acréscimo significativo.
A previsão era de 3,974 milhões mas acabaram por ser gastos 5,830 milhões.
De acordo com as contas de exploração, que fazem parte do relatório a apresentar esta manhã, há algumas rubricas que aumentaram bastante: em 'fornecimentos e serviços externos', aparece a rubrica 'subcontratos', com 664 mil euros; também de 'comissões' houve um agravamento: estavam previstos 50 mil, mas Jorge Mendes leva 500 mil [estas duas rubricas somam mais de um milhão de euros]; finalmente nos custos de pessoal, onde se pensava gastar 2,379, gastaram-se 2,856. A direcção explica este aumento em concreto não com o plantel ou equipa técnica, mas com encargos com férias e subsídios de férias e de natal, que passaram a ser contabilizados em momento diferente; mais cerca de 250 mil euros.

Ao nível das receitas, aparecem mais 2,4 milhões, que são basicamente da transferência de Fábio Fária, mais os 10% de Fábio Coentrão (poderá haver aqui uma parte respeitante a outro jogador, que me esteja a escapar).
O Rio Ave contava receber 3,974 milhões, mas recebeu 5,983 milhões [há uma queda nos patrocínios, de cerca de 250 mil euros, não compensada por mais 100 mil da televisão, ainda que globalmente o capítulo dos proveitos suplementares tenha crescido face à previsão inicial, mesmo em tempo de crise, o que é notável]

9j - Braga: Oh yeah!

Yazalde parecia um furacão. No terço final do nosso ataque e na zona central estava imparável. Daí para trás, a equipa estava competente exceptuando Jeferson. Depois da bola no poste que Yazalde inventou e do penalty que também ele sofreu mas que Tomás falhou, pensei que já nem valia a pena continuar a ver o jogo. Estava a passar a mesma fita de sempre, tudo assim para o ajeitadinho, mas sem glórias que deixem marca. Do lado do adversário um cinismo que já vimos noutras camisolas que já jogaram em Vila do Conde esta época: vamos deixar que se cansem a atirar aos postes e depois damos-lhes uma estocada fatal. Mas Yazalde atirou Moisés para fora de campo e afinal não era noite para repetições. Sérios, empenhados e não deseperados apesar do penalty falhado. Não foi perfeito o desempenho, ainda deu pra levar com uns arrepios, mas no fim prevalecemos. Foram o tal heroi improvável e o vilão redimido a fazer os golos. Fomos melhores, reduzimos o adversário a 10 porque perseverámos, matámos um borrego, ganhámos, somámos os primeiros três pontos de uma só vez e já se respira ligeiramente melhor.
4 a Brito. Roguei-lhe pragas pelo onze inicial, mas no final ganhámos. E era fundamental consegui-lo.

Rio ave um a um

Paulo Santos: 3 sem grande trabalho, pareceu-me sempre bem.
Jeferson: 1. Chegou a desesperar-me com o desacerto.
Chaves: 3. Um remendo eficaz. Falta alguém pra fazer um lugar? Não, temos cá o Chaves.
Gaspar: 3. Acerto a toda a prova.
Zé Gomes: 4. Um heroi improvável. Além do golo quase sempre bem.
Bruno China: 3. Empenhado.
Wires: 3. Corredor de maratonas.
Tarantini: 2. A sua invisibilidade inquieta-me.
Gama: 4. Não tendo maravilhado, lutou muito e fez duas assistências para golo.
Tomás: 3. O golo que marcou redimiu a penalidade falhada. Não gosto que ande longe do seu posto na mama.
(foto: AVL)
Yazalde: 4. Para mim o melhor. Não sei se foi um jogo para mostrar serviço ao patrão, mas sei que fez a diferença. Merecia o golo.
Braga: 2. Bem.
Sidnei: 2. Um primeiro ar de sua graça com fulgor.
Felício: 1. Pra empatar o tempo e consolidar a vitória.

30.10.10

(Braga) Justíssimo - e até podiam ser mais! (ACT com fotos)

1) Vitória sem discussão - mas, sejamos claros, se o Rio Ave não ganhava a este Braga (que joga pouco, que estava a pensar no jogo de quarta e tinha menos um) não merecia estar na primeira divisão;
2) um bola no ferro e um penalti falhado deram o sinal para aquilo que parecia ser mais uma noite de pouca sorte; felizmente a bola entrou e por duas vezes;
(foto: AVL)
3) Brito voltou a apostar na mesma equipa de Alvalade, excepto o defesa-esquerdo, que começou por ser Jeferson e passou depois a ser Ricardo Chaves; ou seja,  os tais 'três trincos', mais Yazalde a extremo; e Yazalde foi dos melhores. O que mudou hoje? Tivemos Zé Gomes muito mais no ataque e Bruno Gama muito mais inspirado. Foi suficiente para o nosso jogo ter mais qualidade.
4) A Brito dou nota 3 (não é mais, pelo onze, que não me inspira total confiança, e pelas substituições - Mendes merecia uma hipotese; mas é uma nota positiva, porque foi positivo o trabalho da equipa)
5) Não fizemos uma exibição de grande qualidade, mas dominámos o Braga e soubemos procurar o 2-0; quase surgia o 3-0, se Sidnei não tem falhado aquele lance quase no fim;
(foto: AVL)
6) Arbitragem fraca de Capela; o penalti e a expulsão não merecem dúvidas, mas no resto más decisões, quase sempre contra o Rio Ave (sobretudo nos cartões); é, fundamentalmente, um árbitro fraquinho e se calhar não tem culpa de não conseguir fazer melhor;

PS - hoje já não gostei tanto da claque; acho que já estão a ir pelo mau caminho, a perder tempo a insultar a equipa adversária (não percebi porque insultaram Domingos), quando todos os esforços deveriam ser canalizados para a nossa equipa;

(Braga) um-a-um: Gaspar e Tomás dão o exemplo

Paulo Santos: 3 (mais uma vez muito bem; a nota só não é mais alta porque não teve muito trabalho)
Zé Gomes: 3 (pelo golo e porque voltámos a ver o bom Zé Gomes do passado a atacar; só falta mesmo melhorar o acerto dos cruzamentos)
Gaspar: 4 (mais uma vez imperial; para se perceber a importância de Gaspar em campo, foi ele que aos 25m veio dizer a a Brito que Jeferson deveria trocar com Chaves);
Jeferson: 1 (o pior jogo da vida de Jeferson, certamente; escorregou várias vezes, teve fífias desastradas, não conseguiu atinar como defesa-esquerdo; para esquecer, embora tão cedo Jeferson não vá esquecer este jogo)
Chaves: 3 (fez duas posições distintas e nenhuma delas é a dele; sempre bem)
Bruno China: 3 (um dos melhores; sabe estar no sitio certo e hoje até foi um pouco mais agressivo do que o costume)
Wires: 3 (uma primeira parte mais irregular, compensada com os 20 minutos finais de grande garra e entrega colectiva; pena que tenha estado muitas mal no passe e também no remate)
Tarantini: 2 (apenas teve três intervenções atacantes - uma delas o penalti ganho por Yazalde - ao longo do jogo; continua a defender melhor)
Bruno Gama: 3 (o seu melhor jogo esta época; ainda não saiu tudo bem, mas está a ganhar confiança)
Yazalde: 3 (continua a jogar para ganhar a titularidade; foram dele as melhores iniciativas de ataque)
João Tomás: 4 (esteve mal no penalti marcado, sem força e convicção; esteve bem no golo marcado e sobretudo - e é nisto que ele é um exemplo para todos - pelas bolas que ganhou, pela luta que deu, pelos passes que fez; seria nota máxima se tivesse marcado o penalti);
Braga: : 2 (lutou bastante no meio campo e deu um sinal positivo)
Sidnei: 2 (é dele o passe para o segundo golo e podia ter marcado pouco depois de ter entrado; achei-o lento e pouco confiante)
Felício: 1 (sem tempo, a não ser  para um amarelo no primeiro lance)

Juniores vencem o Braga por 2-0

Só falta os seniores fazerem o mesmo!

29.10.10

As contas da época 09/10 (3): um milhão a menos de passivo

Das contas que serão apresentadas no domingo - e que estão disponíveis para consulta aos sócios na secretaria do Clube - retenho este dado: o passivo, que era de 4,124 milhões, passou a ser de 3,111 milhões. Menos um milhão é significativo, embora os três milhões ainda sejam muito dinheiro.
Confirma-se por outro lado que o empréstimo contraído em 2005, para pagar dívidas ao Estado, não só continua a ser pago regularmente como terminará em Agosto de 2011. Quando isso acontecer o Rio Ave respirará muito melhor.

(quanto ao resto, confirma-se que o exercício é positivo, o que acontece pela quarta vez seguida, mas prefiro deixar outra análise dos dados para domingo, até porque eles precisam de ser melhor compreendidos)

Não há defesa-esquerdo (Tiago Pinto fora); Eder convocado

Tiago Pinto tem uma gastroenterite e não foi convocado!!!!

Brito chamou 19 jogadores:
Guarda-redes: Trigueira, Mário Felgueiras e Paulo Santos.
Defesas: Gaspar, Jeferson, Zé Gomes e Éder Monteiro.
Médios: Ricardo Chaves, Tarantini, Braga, Bruno China, Wires e Fábio Felício.
Avançados: Bruno Gama, João Tomás, Mendes, Sidnei, Cícero e Yazalde.

Algumas notas:
-19 com os três guarda-redes;
- Éder Monteiro estreia-se;
- se André Dias não foi convocado é porque Brito vai apostar em Jeferson para a esquerda, com Éder ao lado de Gaspar?
- com os cinco lesionados, dá os 24.

Um diagnóstico (inevitável?) mas preocupante

Carlos Brito: «o plantel está triste, desanimado, mas não resignado».
(a tristeza é compreensível, o desânimo é que me custa mais a aceitar)

Outra frase: «no futebol não há justiça»

Manter João Tomás a titular? (4-4-2?)

Noutras circunstâncias faria sentido - penso - em dar oportunidade a outro ponta de lança. Mas João Tomás é João Tomás e, apesar de alguns jogos em que esteve menos bem, esta época já mostrou que não desaprendeu e que continua em forma.
Só marcou num jogo, é certo, mas comigo JT seria sempre titular.
Diferente é quem aparece ao seu lado. Como LFB dizia esta semana, com Yazalde, a bola não chega à cabeça de Tomás. E Bruno Gama também não está bem.
Talvez se justificasse uma mudança de esquema táctico, para o 4-4-2 (com China, Wires, Braga e Felício no meio campo, e Tomás e Yazalde no ataque).

Sílvio merece um aplauso especial

vários jogadores no Braga que não esqueço (Vandinho é um deles), mas Sílvio merece um aplauso especial, amanhã, quando entrar em campo.
Foi um atleta que deu o máximo pelo nosso Clube, que se portou sempre bem (que se saiba) e que também deve muito ao Rio Ave - acredito que estará reconhecido por isso.

Por isso, Sílvio levará um aplauso mais forte!

Quantos jogadores do Rio Ave já jogaram em Braga?

O Record de hoje dá a resposta: 9 (não é nada normal, mas não é isso que nos vai impedir de ganhar, claro)
(Paulo Santos, Mário Felgueiras, Tiago Pinto, Yazalde, Mendes, Bruno Gama, Chaves, João Tomás e Cícero)
Destes 9, pelo menos Felgueiras e Yazalde continuam ligados ao Braga (há a dúvida relativamente a Tiago Pinto).
(no Braga há Vandinho, Paulo César, Keita e Sílvio)

Ganhar ou... ganhar ao Braga

Se a arbitragem não for tendenciosa;
Se não houver duas ou três bolas nossas na barra;
Se não falharmos nenhum penalti;
Se Brito apostar numa equipa mais combativa...
Vamos ganhar ao Braga!
(excluídos esses factores, que justificação pode haver para não ganhar ao Braga? Eu não aceito qualquer outra justificação!)

Playlist destes dias

Inspirado pela nova playlist da Rádio Linear que é só sucessos, vasculhei a discoteca cá de casa. Fui à procura de títulos que definam algumas sensações experimentadas esta temporada, sempre que vejo, ouço ou penso no Rio Ave. Por ordem alfabética e com legendas.

Amadou et Mariam - Unissons Nous. A união faz a força.
Anaïs -Malheureux. Até agora, quase sempre infeliz, sim.
Andrew Bird - Oh No. Outra derrota???
Animal Collective - Also Frightned. Sim, um pouco, afinal somos últimos.
Ariel Pink - Menopause Man. Quando se joga mal, fico a pensar que estão todos velhos.
Atlas Sound - Criminals. Os adversários que nos ganham.
Au Revoir Simone - Sad Song. - A nossa época tem sido isso, uma canção triste.
Beach House - Better Times. Eles virão, falta saber quando.
Benga - 3 minutes. Só? Precisávamos de mais 300 pra ganhar isto!
Biffy Clyro - My recovery injection. Consta que foram encomendadas muitas destas injecções de recuperação numa farmácia cá do burgo.
Big Boi - Back Up Plan. Carlos Brito não tem plano B, só o A em 4-4-3.
Camera Obscura - Let's get out of this country. Quantas vezes já me apeteceu desaparecer esta época!
Crystal Castles -Untrust Us. Não temos mesmo motivos para confiar.
Emily Haines - Our Hell. O nosso inferno? Toda a época até à data.
Emma Pollock - The Optimist. Só um tolo continua optimista?
Frank Zappa - I'm not satisfied. Nenhum rioavista está.
Girls - Big Bad Mean Mother Fucker. Qualquer camelo que nos marque um golo.
Gus Gus - Unnecessary. Realmente não havia necessidade de sermos últimos!
Iron & Wine - Waiting for a Superman. Um que seja um 9,5 como dizia Gabriel Alves de Youri Djorkaeff: armador de jogo e que marque golos.
JJ -Things will never be the same - Sim, depois da primeira vitória, tudo mudará, ninguém nos vai parar!
Klaus & Kinski - Mama, no quiero ir al colegio. Sobretudo naqueles dias que se seguem às nossas derrotas.
Ladytron - Ghosts. Sobretudo o fantasma da descida.
Neon Indian - Laughing Gas. É que só mesmo com gás hilariante conseguimos rir.
She & Him - Black Hole. Buraco Negro, mas com um fundo descoberto por nós há 5 jornadas atrás e nunca mais saímos de lá.
The Derek Trucks Band - Something to make you happy. Podia começar por ser ganhar amanhã ao Braga.
The Innocence Mission - Happy, the End. Feliz no fim do campeonato, isso é o que conta.

Quem não gostar da minha playlist pode e deve ficar-se pela da Linear. Se bem que no fim de contas ambas duas todas juntas querem é sucessos!

28.10.10

Casa sem segredos

Quinta-feira é dia de treino à porta fechada.

Mas não é bem assim. Hoje de manhã quando passava no estádio havia uma data de espiões pendurados nos muros e outros quantos em cima do telhado do Pavilhão Municipal. Espanta-me que ninguém os tenha visto! Um escândalo! Felizmente ando sempre munido com uma fisga na mala do carro e tratei de escorraçar os espiões, esses tratantes que vendem aos nossos adversários as tácticas que o mister e os jogadores ensaiam às quintas-feiras!

Eu que andava desconsolado com os maus resultados, acho que encontrei a explicação. Pois é! Todas as quintas-feiras, o chef Brito prepara os seus cozinhados e eu estava zangado com ele porque achava que ele andava a cozinhar pratos demasiado insossos, sensaborões e desenxabidos! Afinal, terei que dar a mão à palmatória: o homem cozinha bem, o problema é que há quem esteja a roubar-lhe as receitas e a colocar-lhe água nos preparados!

As fisgadas afastaram os espiões por hoje. O problema é que nem todas as quintas-feiras eu passo de manhã pela zona do estádio. É bom que alguém do clube arranje a sua própria fisga. Fazê-las nem é difícil. A minha parte está feita. Já não há motivos para não ganharmos ao Braga.

Sobre o novo responsável pelo futebol (ACT)

Muitos conhecem o José Edmundo pela sua ligação às infraestrutras do Clube (ou do btt...), mas o que muitos não sabem é da sua ligação ao futebol.

Por exemplo, foi ele um dos responsáveis pela vinda de Sílvio para o Rio Ave, jogador que teve a possibilidade de observar e que recomendou aos responsáveis técnicos do Clube.

ACTualizo a 14/1/11: «Saí do Atlético para o Odivelas e fiz uma época espectacular. Num jogo para a Taça de Portugal contra o Rio Ave, repararam em mim. Mal acabou o jogo, um ex-director desportivo do Rio Ave veio ter comigo, elogiou-me e disse que iam estar atentos à minha evolução. No final da época, contrataram-me e assinei com o empresário Paulo Barbosa»

Entrevista a ASC

O presidente do Rio Ave e candidato a novo mandato dá uma entrevista à Linear no dia 5, sexta-feira, véspera das eleições.

Lizarda hoje na Linear

A Linear entrevista hoje o mais velho jogador do Rio Ave - ele que fez parte da primeira equipa do Rio Ave, em 1941.
Não é a primeira vez que evoco aqui este nosso velho jogador, sobretudo por achar que um clube, para ser maior, tem de ter identidade, referências e orgulho na sua história (ele faz anos em Fevereiro; se o Rio Ave não o homenagear antes, ao menos nessa data!).

Recomendo por isso, vivamente, a entrevista de hoje, cheia de histórias, que ouviremos deliciados.
(fotos da responsabilidade de Fernando Ferreira, o jornalista que realiza a Hora Desportiva da Linear, a quem agradeço)

27.10.10

Jogo com o Braga: já estamos a perder

O jogo ainda não começou mas já entramos em campo a perder, uma vez que o árbitro é João Capela.
Lembram-se dele????

Eng. Edmundo no futebol (ACT)

É a grande novidade da lista que entrou hoje.
José Edmundo Alexandre, conhecido como Eng. Edmundo, transita das obras/instalações para o futebol profissional, como vice-presidente.
Henrique Maia também está na lista, como segundo secretário da AG, substituindo Renata Martins, que é a nova secretária-geral do Clube (no lugar de Fernando Ramos).
Há outros nomes novos, de que falaremos nos próximos dias, mas estas são as novidades fresquinhas.

ACT: a lista já está online.
Outras notas:
- não conheço o novo vice-presidente do Departamento de Modalidades Amadoras, Prof. Artur Ramos;
- António Castro, que colaborou nas direcções de Paulo de Carvalho (pelo menos nessas), regressa, agora como Vogal Assessor do Presidente;
- no futebol profissional mantêm-se Toni Passo e José Maria Gomes;

PS - O actual e futuro Presidente da Direcção, António Campos, informou que, na próxima 2ª feira, dará a conhecer, através deste site, as linhas estratégicas que orientarão a actividade do Rio Ave FC no próximo biénio. (sem dúvida positivo!)

Uma só lista

Terminou o prazo para apresentação das listas e entrou apenas a de ASC.
Surpresa? Claro que não.
Porque ASC tem feito um bom trabalho e porque não há tradição de haver duas listas no Rio Ave.
Porquê, então, tanto alarido?
Por causa da frase de Henrique Maia, que acabou por lançar, mesmo que involuntariamente, a confusão (porque tinha alguma informação nesse sentido ou porque foi apenas um 'desabafo'?).

PS - já agora: há alguma diferença entre «acho que vai surgir outra lista concorrente» e «acho que… se calhar aparece outra lista»?

Adivinhem quem pagou o frango?

«No dia em que Ricardo Chaves completa 33 anos, o presidente do Rio Ave, António Campos, esteve presente no treino»

Saulo ainda de fora

Ao ler esta notícia, precipitei-me, tal a vontade de o ver em campo.
Mas não se confirma: Saulo continua a não ser opção.

Luís Freitas Lobo volta a escrever sobre o Rio Ave

Algumas ideias do seu texto de A Bola de hoje, com sublinhados meus:
- «Brito ainda não descobriu o melhor puzzle, sobretudo na dinâmica das faixas»;
- «com a dupla Gama-Yazalde é difícil surgirem cruzamentos para JT»;
- «na defesa, regressado Jeferson, recompõe-se  um sector que vive de adaptações, comprometendo a estabilidade defensiva»
- «sem Vítor Gomes, o meio-campo sente a falta de um jogador mais evoluído no passe»;

- «o pivô China, que faz poucas faltas, joga melhor quanto maior for a capacidade de pressão de Wires»
- «em Alvalade a equipa acabou encurralada a defender mas sem... defender. A pressão sufocava-a. A do Sporting, claro, mas sobretudo a que vivia dentro da cabeça dos seus próprios jogadores»

Ainda a falta de um nº 10 (e de ataque)

Sim, é um dos temas mais recorrentes deste blogue e começamos a ficar chatos por estar sempre a falar da mesma coisa, mas como Carlos Costa ontem o referiu no 12º jogador, aqui vai (mais uma vez): é incompreensível como é que num plantel preparado com tanta antecedência e com tantas opções de qualidade, não haja um nº 10, um pivô que jogue atrás de João Tomás, um médio criativo. Para nós, neste blogue, é a grande falha deste plantel.
(às vezes, sentado nas bancadas do nosso Estádio, sinto que a equipa entra em campo com 10; outras, que Ricardo Nascimento vai entrar em campo em qualquer momento... )

Outra coisa que carlos Costa disse e com a qual concordo: o Rio Ave, hoje, só ataca com João Tomás; os defesas deixaram de atacar (com medo de falharem, diz Costa), os médios não rematam (só Braga o faz e Braga não joga...) e os extremos também não o fazem (Gama não fez um remate à baliza em Alvalade e Yazalde fez um!)

26.10.10

Contas em dia

Estamos na pior situação da época. Sendo certo que ocupamos esta posição há já 5 jornadas consecutivas, nunca estivemos com tantos pontos de atraso em relação ao 14ª lugar.

Só temos dois jogadores totalistas de minutos, Gaspar e China, e temos um caso curioso em Sidnei: só joga para as Taças, Portugal e Liga, mas só uma vez falhou a convocatória para a Liga Zon Sagres.

Quanto a golos, o fosso entre marcados e sofridos está cada vez mais fundo, já vamos com um défice de 7.

Mau prenúncio também nas substituições: nunca nenhuma delas ajudou a melhorar um resultado. Ainda no campo das substituições, Gama apesar de ter 8 presenças só fez um jogo completo (Nacional) e é o jogador mais substituído, 5 vezes. Yazalde que também tem 8 presenças, também só tem um jogo completo (Marítimo) e foi substituído em 4 ocasiões.

Na maratona que é o Prémio Rei do Ave!, o destaque vai todo para Paulo Santos. O veterano igualou em número de vitórias João Tomás. Nesta jornada até teve a companhia de Gaspar que assim soma também duas vitórias, mas o guarda-redes conseguiu algo ainda inédito, ser o melhor em duas jornadas consecutivas.

Como já decorrem as 3 provas oficiais e o Rio Ave participa (ainda) nas 3, tudo somado temos e destacamos que:
- Gaspar é quem mais tempo jogou, 900 minutos;
- Tarantini é o mais amarelado,4, num total de 24 cartões e ainda não houve expulsões;
- os 3 guarda-redes já sofreram golos;
- Tomás e Yazalde são os melhores marcadores com 2 golos cada;
- a diferença entre golos marcados e sofridos continua negativa, mas apenas em 3 golos;
- mais de metade dos golos marcados, 4, foram conseguidos em situações de bola parada, 2 deles de penalty;
- sofremos e marcámos o dobro dos golos na segunda parte dos jogos;
- a melhor série de resultados é entre 3 e 20 de Outubro, quando já jogámos para as Taças, EVE: empate com Marítimo para a Liga, vitória com o Est. Vendas Novas na Taça de Portugal e empate com o Estoril na Taça da Liga.

5ª equipa com mais bolas nos ferros

Não é por isso que estamos em último, mas também ajuda: em 8 jogos, três bolas nos ferros, duas delas enviadas por Bruno Gama (e no mesmo jogo!).

Ainda a tal de apatia - um exemplo?

Já repararam que o lance em que a bola vai ao braço de um jogador do Sporting, dentro da área, passou completamente despercebido? Brito falou nisso no final, mas o assunto desapareceu.
Uma das razões é que a própria equipa - com excepção de João Tomás - também não protestou (podia ter sido penalti, caramba! Tentar custa, no limite, um amarelo!*).
E não é a primeira vez que acontece. Se calhar nem segunda ou terceira.
Será mais um exemplo da tal apatia, de que falava (e bem) João Tomás?

* Como disse, aceito que não se marque penalti nesses lances, mas já vi em lances iguais opções diferentes (lembro-me por exemplo de há uns anos, Beto, do Sporting, estar sentado no chão num jogo no Dragão, a bola lhe bater no braço e ser marcado penalti)

Taça de Liga mais uma vez a meio da tarde

O Rio Ave - Estoril (segunda mão da Taça da Liga) joga-se na quarta-feira, dia 10 de Novembro, pelas 15h (entre o jogo em Setúbal e a recepção ao Paços de Ferreira).

O meu comentário: jogos às três da tarde de um dia da semana são anti-futebol. Não critico os clubes (o Estoril, se o jogo fosse à noite, teria provavelmente mais despesas), mas quem marca os jogos, a direcção da Liga, em concreto. Estes jogos ou não valem nada ou são uma demonstração de desprezo pelos adeptos!

Dois reis nesta semana: Paulo Santos e... Gaspar!

Parece que adivinhava: Gaspar foi mesmo o Rei da semana, mas tem de dividir o trono com Paulo Santos.

Ambos somaram 31 pontos, mais um do que Bruno China.
Em terceiro lugar aparecem mais dois jogadores; Jeferson e João Tomás.
Também como se esperava os suplentes não fizeram a diferença e o mais pontuado, Mendes, com 17, fica longe do titular menos pontuado, Yazalde (21).

(Gaspar já vencera na terceira jornada)

MIlhazes é baixa para sábado (dedo do pé partido)

«O jogador, que se apresentou de canadianas no primeiro apronto semanal dos vila-condenses, ficará agora em repouso absoluto. A lesão aconteceu num lance dividido com Liedson ainda no recorrer da primeira parte do jogo em Alvalade, no domingo»

Algumas notas:
- jogou toda a segunda parte com o dedo do pé partido?!!
- Tiago Pinto vai estrear-se como titular frente à sua ex-equipa (onde, aliás, nunca jogou...)?

(Saulo não estará operacional para sábado? A notícia de A Bola parece indiciar que não, mas há esperança...)

Sobre as contas a apresentar domingo

Mário Almeida já o disse, as contas relativas a 2009/2010 vão fechar positivas.
Mas como os nossos leitores saberão, isso não é propriamente novidade. Pelo contrário, a questão é em quanto vão fechar positivas. Como se recordarão, havia um buraco de 900 mil, mas Fábio Faria foi vendido, mais os 10/20% de Fábio Coentrão, pelo que é normal que haja, até, um 'lucro' significativo, que pode servir para abater o passivo e permitir alguma folga para este mandato. Veremos dentro de dias.
(mais complicadas serão as contas finais deste mandato, uma vez que as vendas até este momento foram fracas: Sílvio e Carlos, que estará a pagar todos os meses a cláusula de rescisão; há que manter, sem dúvida, a confiança na Direcção)

PS - outra dúvida que será certamente desfeita na AG de domingo: quanto é que o Rio Ave ganhou realmente com a venda de Fábio Faria e do resto do passe de Fábio Coentrão;

ASC garante continuidade de Carlos Brito (ACT)

... diz hoje o Record: «o lugar de Brito não está em causa e que a hipótese de despedimento do técnico não foi sequer ponderada nos gabinetes dos Arcos»
Não é novidade - embora ninguém possa ignorar que o cenário está cada vez mais presente.

PS -«apesar da forma como os vila-condenses deixaram escapar um ponto em Alvalade não ter agradado aos responsáveis do clube»? Não seria melhor dizer: a forma como a equipa baqueou completamente nos últimos 15 minutos de jogo?

ACT: Em O Jogo ASC diz mais ou menos o mesmo: «Não mudo de treinador só por estarmos mal na classificação. (...) A equipa tem sido infeliz, perdendo jogos nos minutos finais. As coisas vão mudar, e acredito que os resultados acabarão por aparecer» [concordo com o nosso presidente; nesta fase é preciso dar confiança, sem deixar de 'apertar' os jogadores; já basta se a decisão tiver de ser tomada]

25.10.10

Os dois erros de Brito

Não será apenas por isto que as coisas estão a correr mal, mas do meu ponto de vista há dois erros que Brito está a cometer (não são erros isolados, mas repetidos, daí a sua importância):
- Tarantini no vértice do triângulo do meio campo: sobre isto já falei muitas vezes e não quer alongar-me: está provado que o jogador não tem perfil para fazer aquele lugar, que é a maior lacuna do plantel. Já não o tinha na época passada, em que foi quase sempre suplente (9 jogos em 30, como titular), não o tem agora. O jogador faz o máximo que pode, sem dúvida, mas precisamos de mais, só possível com outro jogador (e há pelo menos mais duas opções no plantel: Braga e Felício).

- Yazalde na extrema do ataque: Yazalde já fez quatro jogos a titular naquele lugar e os resultados são maus. Aqui, ao contrário do que acontece com Tarantini, não é uma questão de dar ou não o máximo, mas de falta de perfil. Percebia-se a intenção de Brito, de reforçar o ataque, mas quando as coisas não resultam é preciso reconhecer e emendar. Ali deve jogar um extremo, chame-se ele Sidnei, Mendes ou outro qualquer (Saulo, nomeadamente).

Números do jogo de ontem (Gaspar)

Posse de bola: 37%
Recuperações de bola: 335 (629 para o Sporting)
Remates: 4 (19)
Passes: 162 (421)
Passes certos: 52% (79%)
Cruzamentos: 13 (27)
Cantos: 2 (8)
Faltas cometidas: 22 (15)
faltas sofridas: 14 (21)
Foras-de-jogo: 6 (2)
(fonte A Bola/wtvision)

Apenas um destaque nestes números: Gaspar foi o jogador que mais recuperações fez, 28, à frente de Carriço (21) e André Santos (20). O que é mais relevante é que, nas recuperações, o Rio Ave esteve mal, como se vê pela desproporção dos números.

Taça: Rio Ave-Feirense

mais um jogo em Vila do Conde.
Desta vez recebemos o Feirense
Jogo a 21 de Novembro (domingo), se não houver alterações

(ver aqui o calendário actualizado)

Substituir ou não substituir o treinador... eis a questão

Primeira nota: esta é uma questão polémica, porque há quem seja - genericamente - a favor das chicotadas psicológicas e quem seja contra. Eu, mais uma vez, genericamente, sou a favor.
No caso concreto da actual situação do Rio Ave - e uma vez que esta é uma ideia que passa pela cabeça de todos - gostava de dizer algumas coisas:
- ainda não defendi a substituição do treinador por não estar convencido de que não é possível recuperar com o trabalho da actual equipa técnica;
- noutras circunstâncias já o teria feito? Sim, se o treinador em causa não desse garantias de que é capaz; e Brito já deu, por mais de uma vez, de que é capaz;
- o treinador é o principal responsável? É a velha questão: o treinador acaba por ser o elo mais fraco. Mas todos sabemos, a começar pelo Rio Ave, que às vezes basta mudar o treinador - com os mesmos jogadores;
- qual será a culpa do treinador? Só vejo duas coisas que, neste momento, se possam dizer: não ter consigo promover mais ânimo na equipa (a tal apatia...) e não ter apostado noutros jogadores que possam dar outras respostas (apesar, reconheça-se, das alterações que tem promovido) [falo sobretudo do vértice do meio campo...];
- não há nem pode haver uma confiança ilimitada na actual equipa técnica. Espero que as coisas não se tornem irreversíveis, mas para que tal não suceda é preciso ganhar ao Braga no sábado. Mais importante: é preciso jogar com outra atitude, com outra agressividade (que faltou ontem em Alvalade).

PS - estamos a pôr muita pressão na equipa para Braga? essa pressão é inimiga? Provavelmente sim, mas não fomos nós, adeptos, que pusemos a equipa neste ponto; os jogadores, principais responsáveis, terão de assumir as suas responsabilidades; 

Não vi, não ouvi. (ACT)

Portanto não tenho opinião sobre o que se passou em Alvalade. Lamento que se tenha perdido o jogo mesmo no fim. Foi a repetição do filme de Leira, uma daquelas machadadas que deixa marca para muito tempo.
Esta derrota não encosta em definitivo Carlos Brito às cordas, mas não lhe deixa grande margem de manobra para a recepção ao Braga. E aí eu acredito que caso o Rio Ave perca, o mister vai ponderar mesmo sobre a demissão. A mensagem não está a passar, os resultados não surgem, o futebol não convence.

ACT de JPM: permite-me Gil só acrescentar isto: a comparação com Leiria pode parecer lógica, mas há uma grande diferença - em Leiria o Rio Ave teve as melhores oportunidades, dominou o adversário no meio campo e merecia ganhar; em Alvalade fez o primeiro remate aos 37', teve três remates em todo o jogo e acabou completamente dominado pelo Sporting (o Sporting que este ano não domina ninguém, pelo menos por cá).

24.10.10

(Sporting) Jogar com 'três trincos' para tentar o empate... (ACT)

Algumas notas sobre uma derrota que custou muito a digerir:
1) Tão cedo não voltaremos a ter um Sporting tão fácil de bater;
2) O Sporting mereceu ganhar, pelo que fez na segunda metade da segunda parte (o empate teria sido uma lotaria, porque nos limitámos a ver o Sporting jogar);
3) Boa arbitragem de Benquerença (há um lance de braço na área do Sporting, mas reconheço que seria difícil marcar - a bola vai ao braço do jogador do Sporting);
4) O Rio Ave defendeu bem quase sempre, mas atacou quase sempre mal. O primeiro lance de perigo é aos 37 minutos (João Tomás); não pode ser! No total três remates à baliza é MUITO POUCO!
5) Os extremos não se viram e Tomás voltou a falhar um ou dois golos (mas não pode ser só Tomás a tentar marcar);
6) O Rio Ave não pode continuar a jogar com três trincos como basicamente acontece quando, a Bruno China e a Wires, se junta Tarantini; este meio campo não ajuda no ataque e não cria perigo;
7) Bruno Gama teve três ou quatro livres perto da área do Sporting, na primeira parte, e nenhum deles resultou em perigo;
8) A Brito dou nota 1: onze mal escolhido (Braga ou Felício teriam feito melhor), substituições sem qualquer produtividade;
9) A confiança de cada rioavista nesta equipa está a diminuir semana após semana; até quando?
ACT a 25/10: 10) as equipa de Carlos Brito não costumam entrar em campo para perder tempo propositadamente e pareceu-me que Paulo Santos, por exemplo, estava apostado nisso;

(Sporting) um-a-um: Gaspar foi Rei

Paulo Santos: 3 (defendeu vários lances perigosos; poderia ter feito melhor no golo?)
Zé Gomes: 3 (talvez o sue melhor jogo; quase sempre muito bem na defesa; atacou pouco)
Gaspar: 4 (imperial; sem mácula)
Jeferson: 3 (também muito bem, com um outro lapso)
Milhazes: 2 (o passe nem sempre saiu bem, o posicionamento no terreno também)
Bruno China: 3 (muito seguro, só não consegue construir)
Wires: 3 (menos seguro, mas mais ousado no ataque)
Tarantini: 2 (não construiu, não atacou, limitou-se a defender. É o homem mais perto de Abel no lance de golo);
Yazalde: 1 (na segunda parte nem se viu, apenas na primeira deu um ar da sua graça)
João Tomás: 2 (permitiu a Rui Patrício duas excelentes defesas e atrapalhou-se no lance em que reclamou, com razão?, penalti)
Bruno Gama: 1 (não basta querer, quando tudo sai mal; como é possíve não ter tido um remate à baliza????)
Mendes: 1 (nada de jeito, mas teve tempo para fazer mais)
Fábio Felício: 1 (nada de jeito)
Cícero: 1 (nada de jeito)

O jogo em Alvalade na época passada

Se perguntarem a Carlos Brito qual o jogo que mais lhe custou perder na época passada, provavelmente responderá o jogo de Alvalade - um jogo que aparecia naquele mau momento das goleadas e em que, mais uma vez, tudo nos correu mal; ao Sporting (e a Djaló...) tudo correu bem.
Perdemos 5-0 e sei, porque ouvi, foi uma derrota que custou a digerir.

PS - da equipa que entrou em campo nesse jogo (Carlos, Zé Gomes, Gaspar, Fábio Faria, Sílvio, Wires, André Vilas Boas, Vítor Gomes, Nelson Oliveira, Tarantini e Bruno Moraes), faltam Carlos, Faria, Wires, Vilas Boas, Vítor Gomes, Nélson Oliveira e Bruno Moraes - ou seja sete! Bruno Gama foi suplente). Outra nota: O Rio Ave jogou em 4-4-2, um esquema táctico que deveria voltar a ser repensado (acho eu...)

23.10.10

Juniores vencem (ACT)

Vi pela primeira vez os juniores esta época e não fiquei entusiasmado, apesar da vitória por 1-0, frente ao Merelinense.
Não sei se foi apenas do vento forte ou se houve outra razão, a verdade é que o jogo foi muito fraquinho (até o Rio Ave marcar os de Merelim já tinham enviado duas bolas aos ferros).
Uma coisa é certa: mesmo a jogar mal, a equipa está lá em cima (quem dera aos seniores jogar mal e ganhar!)

PS - imagino que haja boas razões para o Rio Ave jogar de azul, mas os espectadores presentes não terão percebido porque é que, com o adversário a jogar de vermelho, não pudemos usar o nosso equipamento;

ACT a 23/10: o Rio Ave já leva 14 pontos e mantém-se no grupo de apuramento. Se calhar, mais importante do que poder ou não ser apurado para a fase seguinte são os pontos que vão sendo conquistados e que garantem um campeonato tranquilo. No próximo sábado o jogo volta a ser em casa, novamente com uma equipa de Braga, mas desta vez com o próprio Sporting de Braga.

Já teremos Saulo para Braga

Está recuperado, mas ainda precisa de apurar a forma física, pelo que teremos Saulo pronto para Braga
(Saulo, que foi o melhor reforço do primeiro quarto do campeonato, faz falta ao Rio Ave)

(Sporting) Convocatória sem surpresas

Brito convocou 19 jogadores:
Mário Felgueiras, Paulo Santos; Gaspar, Jeferson, Tiago Pinto, José Gomes, Milhazes; Ricardo Chaves, Tarantini, Bruno China, Wires, Braga, Fabio Felicio; Bruno Gama, João Tomás, Mendes, Sidnei, Cícero, Yazalde

Notas:
- como sempre, uma convocatória sem surpresas;
- ficou Trigueira e os quatro lesionados/indisponíveis;
- Fábio Felicio, como se esperava, está em jogo!

João Tomás também acredita (Sporting) (ACT)

«Essencialmente, acho que nos falta uma vitória. Estivemos perto, em três ou quatro ocasiões, mas não conseguimos e vamos tentar em Alvalade e partir para um campeonato mais tranquilo»

Até porque algum dia terá de ser o primeiro!


ACT: e Brito tmbém: «A nossa posição na tabela, o último lugar, obriga-nos a ter a ambição de ganhar»
PS - Tomás fala em apatia da equipa («Esperemos que a nossa apatia desapareça e possamos estar a um bom nível já no domingo»)

Da entrevista de Mário Almeida: a compra da sede (ACT com fotos)

O mais interessante da entrevista de ontem de Mário Almeida à Linear (e que repete hoje ao meio dia) foram as informações dadas sobre a intenção de comprar a sede.
Como os leitores sabem é um assunto que me preocupa e que tenho abordado sempre que posso.
Ontem Mário Alemida revelou que o plano de aquisição de ASC prevê que o Rio Ave não gaste um euro com a aquisição e as obras. Ficou a saber-se que no piso térreo haverá um café, cuja renda ajudará a pagar as despesas, mas não muito mais (informações que competem ao presidente da Direcção).
MA justificou a compra da sede com dois argumentos: recuperação da memória e enriquecimento do património.
Aguardemos por desenvolvimentos

O meu comentário:
- os meus argumentos sempre foram financeiros; se o Rio Ave não tem de se endividar para o conseguir (mesmo sem ter detalhes) só posso retirar as minhas reservas; é certo que haverá custos de manutenção do edifício e a necessidade de ter um funcionário a tempo inteiro, mas é na verdade um enriquecimento dos nossos activos (um edifício naquela zona tem bastante valor).

PS - notável história que MA partilhou com os ouvintes, e que tentarei desenvolver na primeira oportunidade: quando um sócio enviava pombos ao intervalo, com o resultado dos jogos, na altura em que o Rio Ave jogava nos distritais!

Da entrevista de Mário Almeida: a prospecção e o director desportivo

Outros assuntos abordados pelo presidente da AG:
- contas: além de mais um exercício positivo, que será conhecido dentro de dias, MA anunciou que o Rio Ave acabará de pagar dentro em breve um empréstimo pedido há alguns anos, aquando da renegociação das dívidas;
- é preciso fazer uma forte aposta na prospecção, coisa que não tem acontecido, sobretudo entre clubes de escalões mais baixos; continuar a apostar na formação também é muito importante;
- tanto quanto percebi está de acordo com a criação do lugar de director desportivo, embora a partir de uma solução interna (referiu Manuel Barbosa); não se comprometeu com qualquer posição, até porque é preciso definir as funções (juntou aqui a prospecção);
- um novo estádio: vão ser feitos novos estudos, mas a solução continua a ser a de um centro comercial que pagará um novo estádio na actual localização;
- elogios para Henrique Maia (MA dificilmente poderia ter sido mais elogioso);
- também se falou muito de ASC e deste mandato, tendo MA revelado, por exemplo, que o presidente ofereceu o autocarro que faz a recolha dos miúdos nas Caxinas para os treinos e os jogos (eu não sabia!)

22.10.10

Ver os juniores!

Sem futebol e futsal este fim de semana em Vila do Conde, vou aproveitar para ver os juniores, amanhã às três da tarde.
Fica o convite aberto a todos!

Justa homenagem (ACT com foto)

«António Pires Rodrigues trabalhou 61 anos no Rio Ave FC como roupeiro e sapateiro. (...) Ontem, quinta-feira, dia 21 de Outubro, foi homenageado durante um Jantar-Convívio com a actual Direcção e a que se associou o Presidente da Assembleia-Geral em representação dos associados»

ACT:














PS - «(...) passava os dias inteiros no Estádio dos Arcos». Ou no Estádio do Rio Ave Futebol Clube?

Que onze para o jogo de Alvalade (Felício titular?)

Se tomarmos em conta os dois jogos anteriores (Taça de Portugal e Taça da Liga), não chegamos a conclusões muito claras sobre o que pensa fazer Brito no domingo em Alvalade.
- Há jogadores que não fizeram qualquer jogo e que vão ser titulares (Paulo Santos, Bruno China);
- Há jogadores que fizeram os dois jogos e que vão ser titulares (Zé Gomes, Gaspar, Jeferson, Wires);
- Há jogadores que fizeram um jogo e que vão ser titulares (Milhazes, João Tomás);
- Há jogadores que estiveram nos dois jogos e que não vão ser titulares (Cícero, Sidnei, Tarantini?)
Ou seja, não há - nem era provável que houvesse - um padrão.
Brito usou 18 jogadores diferentes nestes dois jogos (o que significa que além de Paulo Santos e de Bruno China, só faltaram os quatro lesionados).
O mais certo, portanto, é Brito voltar ao seu onze, apenas com uma mudança: a saída de Tarantini e o regresso de Fábio Felício (ao lado de Bruno China e de Wires), com Yazalde ao lado de Tomás e Bruno Gama na outra ponta.

Balanço do mandato de ASC - outras questões

Depois das questões essenciais, alguma notas soltas, para terminar o balanço sobre o mandato de ASC:

JPM: Este primeiro mandato também serviu para ASC 'aprender' a ser presidente da Direcção de um Clube com a dimensão do Rio Ave (o que é perfeitamente normal, para qualquer um de nós). Habituado a gerir - e bem, pelos resultados conhecidos - a sua empresa, ASC viu-se à frente de uma equipa de vice-presidentes e directores, alguns dos quais nem conhecia. Nem tudo correu bem, mas o facto de a sua recandidatura ser desejada pela maioria dos rioavistas (acredito) e de a maior parte dos actuais dirigentes se recandidatar prova que o balanço é positivo. No próximo mandato não repetirá certamente alguns erros, quatro dos quais (de uma forma aleatória e, penso, construtiva) me atrevo a apontar: candidatar-se sem dizer uma única palavra sobre os seus propósitos, a ambição declarada de chegar à UEFA, a confusão à volta da certificação para as provas europeias e o ovo-no-cu-da-galinha chamado Roderick.
ASC impôs o seu estilo discreto (o que não é por si só um problema, embora tenha tido como consequência o facto de o Clube comunicar pouco) e deu muitas horas do seu tempo ao Rio Ave.
Também neste capítulo faço um balanço positivo.
(Aceito a crítica, feita recentemente no 12º jogador, de que um clube, neste caso de futebol, não é apenas o seu presidente e de que o presidencialismo é negativo, além de injusto para todos os que trabalham anonimamente pelo Clube)

Gil: Subscrevo integralmente aquilo que foi dito acima. ASC teve este mandato para aprender o que é um clube como o Rio Ave. Experiência como dirigente desportivo não era propriamente coisa que lhe faltasse, mas a um nível como o que o Rio Ave oferece foi a primeira vez. De futuro só pode ser melhor. Globalmente, apesar de alguns escolhos encontrados pelo caminho, foi muito positivo o que fez.

21.10.10

(Análise de todos os jogadores) Notas finais

1) É no rendimento global dos 21 jogadores que encontro a principal explicação para o momento infeliz que a equipa vive (ACT: outra coisa diferente, a analisar depois, é tentar perceber porque é que tantos jogadores estão a render tão pouco, tão abaixo do que se poderia e deveria deles esperar);
2) Dos 21, quantos podemos dizer que estão claramente bem? Paulo Santos? Gaspar? Bruno China? Wires? (claramente bem significaria que a maioria estaria de acordo com essa avaliação e não me parece que seja o caso);
3) Acho que claramente bem (isto é, sempre que chamado em bom nível) só mesmo Paulo Santos!

4) Quantos estão mesmo a desiludir? Bruno Gama? Milhazes? José Gomes?
5) A maior parte tem estado numa certa mediania que, ao nível que o Rio Ave joga, não é suficiente. Pelas mais variadas razões, e também em níveis diferentes, ainda não vimos João Tomás, Saulo, Felício, Braga, Tarantini, Mário Felgueiras, Tiago Pinto, Mendes, Jeferson, Cícero, Yazalde e outros renderem tudo aquilo que esperamos deles.

Sílvio: 100 mil euros?

O Jogo recupera hoje a informação de que o Braga pagou 100 mil euros por Sílvio (ao Rio Ave, deduz-se), mais os passes de Tiago Pinto e de Mendes (isto a propósito do que ganharam com a primeira vitória na Liga dos Campeões, que já pagou os três reforços desta época, um deles Sílvio).
Como se recordam, os contornos sobre a saída de Sílvio nunca foram bem esclarecidos, desde a questão de saber se o passe de Tiago Pinto é ou não do Rio Ave, passando pela inclusão de outro jogador no pacote e terminando na verba que o Rio Ave recebeu, uma vez que o nosso Clube apenas tinha uma pequena parte do passe (mesmo assim falava-se em 700 mil...).

Por isso não atribuo muita credibilidade à informação de O Jogo de hoje (mas posso estar enganado...)

AG a 31 de Outubro

É exactamente isso, Assembleia Geral a 31 de Outubro (10h00 no Auditório Municipal) e eleições a 6 de Novembro, de acordo com as duas convocatórias publicadas hoje no JVC. A AG serve para apresentar o Relatório e Contas relativo à época 2009/2010.

Balanço do mandato de ASC - a ligação com os sócios

(depois do património, das finanças e dos resultados desportivos, a ligação com os sócios)

JPM: A campanha de angariação de novos sócios, que, se estou certo, não teve um balanço final, foi uma iniciativa - tanto quanto se sabe - bem sucedida, mas é o único ponto positivo neste capítulo (juntamente com a institucionalização do Conselho Geral, mas aqui apenas a título simbólico): a comunicação e o marketing não são áreas a que ASC seja muito sensível e por isso não houve uma real aproximação dos sócios ao Clube (faltam iniciativas nesse sentido), tal como não houve uma estratégia de aproximação a novos sócios (deslocações de alguns jogadores a escolas, etc.), não foi possível aumentar o números adeptos no estádio e «site» continua em «serviços mínimos».
Em resumo: nota 2 para este mandato de ASC, que pode e deve melhorar neste capítulo da comunicação (em sentido geral) com os sócios;
[Gostaria, aqui, de acrescentar um elemento mais pessoal: no Reis do Ave temos feito, à nossa medida, algum esforço de aproximação entre o Clube e os sócios, mas esse esforço, como se viu com a entrevista a Henrique Maia, nem sempre é bem compreendido]

Gil: parece-me claro que esta não foi uma das primeiras prioridades de ASC. O JPM fala em falta de sensibilidade para a área, eu acredito que sim. Não sei se o departamento de Marketing tem feito chegar até ao presidente propostas de dinamização do clube. A animação dos intervalos desapareceu, a apresentação de novos sócios também e parece que caímos de novo num entorpecimento ensonado. O Rio Ave precisa de estar mais visível e precisa de arranjar estratégias para nos manter mais próximos do clube. Vila do Conde é terra de gente da comunicação. Por que não pedir ajuda alguém para melhorarmos nesta área?

20.10.10

Empate com o Estoril

0-0 na primeira mão, fora, contra uma equipa que no fim de semana passado deu bem que fazer ao nosso próximo adversário para o campeonato. Fica tudo para resolvermos em Vila do Conde

(TdL/Estoril) Várias mudanças no onze (ACT)

Como era previsível, Brito mudou a equipa, fazendo descansar Zé Gomes, mas fazendo regressar Milhazes, China, e João Tomás, por exemplo.
Para mim a surpresa é Gaspar ser titular (três jogos seguidos não é nada para D. Gaspar!) e Braga não estar; Mendes tem mais uma oportunidade, mas não acredito que faça três jogos seguidos.
Eis o onze (estou a acompanhar via Record, já que a Linear até agora nada deu; ACT: o relato está no ar)
Rio Ave: M. Felgueiras, Wires, Jeferson, Gaspar e Milhazes; R. Chaves, B. China e Fábio Felício; Mendes, Bruno Gama e J. Tomás
ACT: não se pode confiar no Record... O jornal já corrigiu o onze, saindo Mendes e entrando Sidnei; saindo Wires da direita e entrando Zé Gomes (Wires está no meio) e saindo Bruno Gama para entrar Yazalde. Em resumo: que grande confusão!!! Eis o onze certo: M. Felgueiras, Zé Gomes, Jeferson, Gaspar e Milhazes; R. Chaves, Wires e Fábio Felício; Yazalde, J. Tomás e  Sidnei.

Benquerença regressa domingo

Preferia que não fosse a apitar o Rio Ave, porque estará muito pressionado, mas esperemos que não repita os erros do costume...

Sobre a nova claque

Parece estar a aparecer uma nova claque, que tem vindo a crescer semana após semana.
Já os vi no futsal e no futebol e têm feito um bom trabalho.
Têm uma atitude positiva, apoiam mesmo quando as coisas não correm bem e podem fazer a diferença.
Veremos se se conseguem afirmar [já houve algumas tentativas no passado, que não passaram do entusiasmo inicial] mas, neste contexto, penso que faz sentido receberem apoio da Direcção (ainda que isso, como Vítor Carvalho ontem referia na Linear, tenha implicações legais, por causa da necessidade de legalização).
(foto: AVL)

PS - ainda não percebi se têm nome; Fúria verde? Merecia um cartaz com mais nível!

(Análise de todos os jogadores) João Tomás

JPM: já o disse, é, globalmente, o nosso melhor jogador e aquele em quem mais confiamos. Quase se pode dizer que quando marca ganhamos, quando fica em branco... Não tem tido um início de época muito feliz, mas é sobretudo azar (acho eu). Tem lutado muito, tem chutado, tem dinamizado a equipa. Já marcou dois golos e, frente ao Marítimo, falhou mais três ou quatro. Acho que está em forma e que vai continuar a fazer a diferença. E que o azar vai passar!
(foto AVL)

GIL: O abono de família que anda numa de rendimento mínimo, mostra dessa forma o peso que tem no desempenho da equipa. Mesmo a facturar algo abaixo do que eu gostaria, é o melhor marcador da equipa. Já na pré-temporada foi o melhor nesse capítulo. Mais Tomás é mais Rio Ave.

(os primeiros são os últimos e com João Tomás terminamos esta análise a 21 jogadores)

Balanço do mandato de ASC - a competição desportiva

Depois do património e das finanças, a competição desportiva:

JPM: Em dois anos ASC conseguiu a manutenção do Rio Ave na primeira liga (e no primeiro ano, logo após ter sido eleito, não foi nada fácil), a subida do futsal à primeira divisão e a ainda a subida dos juvenis ao nacional (com a manutenção dos juniores).
Melhor era quase impossível - digo eu (que não alimento sonhos irrealizáveis para o nosso Clube).
O momento menos bom deste mandato acabam por ser estes últimos três meses. ASC termina o mandato com a equipa principal no fim da tabela e a equipa de futsal em lugar aflito. Mas, penso, não será justo avaliar um mandato de dois anos por três meses, muito mais quando se sabe que ASC tentou proporcionar todas as condições para que se contratassem jogadores de qualidade.

Em resumo: nota 4 para ASC no capítulo desportivo (só não é nota máxima porque há este início de época negativo e porque na época passada a equipa de futebol podia e devia ter feito mais)

Gil: ASC chegou e disse que confiava em Eusébio, deixou de confiar e trocou-o por Brito; regularizou salários e cumpriu sempre desde então; no mercado de Inverno reforçou a equipa e o Rio Ave escapa à descida. Na época seguinte, falhando a equipa na recta final do campeonato, a ASC só posso apontar a falha de não ter pelo menos inscrito a equipa para as competições europeias. Esta época reforçou a equipa com nomes que nos encheram a boca de água. A equipa está em último lugar, mas não é ao presidente que devem ser pedidas contas. Ele criou todas as condições para que a classificação fosse bem melhor. Sim, concordo com nota 4.

19.10.10

(Análise de todos os jogadores) Tiago Pinto, Mendes, Cícero e Vítor Gomes (ACT: Trigueira)

(num só texto os menos utilizados)

Tiago Pinto
JPM: foi duas vezes suplente utilizado e jogou para a Taça de Portugal. Muito pouco (37 minutos), apenas aceitável se se pensar que já não competia há um ano. Precisa de oportunidades para se mostrar, mas o jogo da Taça não me deixou bem impressionado. Veremos.
Gil: uma incógnita. Ainda não foi aposta mesmo com o mau momento de Milhazes. Parece-me que terá de trabalhar mais que Milhazes, porque em igualdade de circunstâncias acho que o escolhido será o poveiro.


Mendes
JPM: Fez uma boa pré-época, entrou sempre bem (sobretudo em Leiria) e merecia uma oportunidade, já que 38 minutos é muito pouco. Na Taça não esteve nada mal, a justificar mais oportunidades;
Gil: gostei muito do que fez na pré-temporada e sempre pensei que seria uma aposta mais constante.

Cicero
JPM: em sete jornadas foi utilizado como suplente em cinco. Mais um pouco utilizado, a precisar de competir mais. No jogo da Taça deixou-me desiludido
Gil: para já é muito rastilho e pouca pólvora. Mas acredito nele.
(foto AVL)

Vitor Gomes:
JPM: a grande desilusão deste primeiro quarto de época; foi titular na primeira jornada e lesionou-se (se não se tivesse lesionado teria sido vendido no último dia de inscrições...). Nunca mais contámos com ele. E a verdade é que o Vítor, o melhor Vítor, faz muita falta ao Rio Ave!
Gil: fica para já adiada a expectativa de saber se será esta a sua época de afirmação definitiva.

ACT a 20/10:
Trigueira:
JPM: fez o jogo da Taça e não esteve bem. Inseguro. Voltará a ser opção?
Gil: é jovem, tem poucas oportunidades, assim vai custar a evoluir. Ainda não o vi esta época.


(Sidnei, Éder e Felipe Alberto não fizeram qualquer minuto, pelo que nada há a dizer do seu contributo, a não ser que esperamos todos que o façam e em forma! ACT: Sidnei entrou no jogo da Taça de Portugal mas acho que não se viu minimamente o suficiente para poder dizer alguma coisa)

(TdL/Estoril) Os mesmos convocados (Paulo Santos em vez de Trigueira)

Brito chamou 19 para o jogo do Estoril:
Guarda-redes: Paulo Santos e Mário Felgueiras.
Defesas: Gaspar, Jeferson, Tiago Pinto, José Gomes e Milhazes.
Médios: Ricardo Chaves, Tarantini, Braga, Bruno China, Wires e Fábio Felício.
Avançados: Bruno Gama, João Tomás, Mendes, Sidnei, Cícero e Yazalde

Algumas notas:
- sai Trigueira e entra Paulo Santos;
- «O técnico Carlos Brito chamou, de resto, os mesmos 18 convocados para o encontro do passado sábado, frente ao Estrelas de Vendas Novas», o que não é verdade, porque são 19, tal como com o Vendas Novas (Milhazes foi o 19º nesse jogo);
- ou seja, mais uma vez chamou todos os que podia, excepto o terceiro guarda-redes;

Brito quer jogar à quarta e ao domingo

«Não me sinto inquietado, tomara jogarmos sempre às quartas e ao fim-de-semana»

PS - na época passada, depois de acabarem os jogos à quarta e ao domingo, as coisas não correram muito bem...

À procura do novo Dibo!

«Carlos Brito, treinador do Rio Ave, vai avaliar o potencial de dois jogadores da Costa do Marfim, ainda com idade de júnior, durante os próximos dias. O extremo Diaby e o ponta-de-lança Goba já se encontram a trabalhar em Vila do Conde, procurando exibir credenciais que possibilitem uma aventura na principal liga do futebol português. Apesar de ainda ser prematuro qualquer tipo de juízo, a dupla africana tem dado sinais bem agradáveis»

Elevador sai do piso zero? (ACT)

Parece que começaram as obras.


















Pela foto tirada esta manhã, parece que o elevador vai subir.
ACT a 21/10: parece que não, era para limpeza dos vidros!!!!!

Balanço do mandato de ASC - as finanças (ACT com foto)

Depois do património, os dinheiros.

O tempo em que havia salários em atraso no Rio Ave não está muito distante e ASC prometeu que, com ele a presidente, isso não aconteceria. Cumpriu (aliás, segundo julgo saber, já está novamente a cumprir - e, também segundo julgo saber, sem exigir juros do dinheiro que avança).
Por outro lado, o passivo foi sendo reduzido (veremos em quanto está, na próxima AG), ainda que beneficiando das vendas feitas no final do mandato de Paulo de Carvalho (no final da última época não houve vendas significativas). Mas também há mérito de ASC, que, por exemplo, tem feito uma gestão cuidada, a ponto de as obras no Estádio não agravarem os orçamentos;

Finalmente, como na altura aplaudi, ASC, quando entrou ,entendeu regularizar as contas do Rio Ave, acabando com pagamentos paralelos, que vinham do passado (daí o tal orçamento recorde, que impressionou toda a gente).
Como elemento menos positivo, e que resulta também da falta de informação sobre os negócios, o facto de se vender muito barato (acho eu...).

Em resumo: nota 4 (até 5) para ASC, que teve na parte financeira um dos trunfos deste mandato. Como lembrava recentemente o presidente da AG, o Rio Ave é um clube hoje mais respeitado do que no passado (sem que isto represente, pelo menos da minha parte, uma crítica aos anteriores presidentes) e isso deve-se bastante às questões financeiras.

Gil: subscrevo na íntegra o que diz o João Paulo. ASC ainda pode melhorar sobretudo no que toca aos negócios das transferências, mas tem o mérito de não ter estragado o bom que vinha de trás e ajudou a trazer alguma moralidade ao orçamento com a equipa de futebol. Sim, o Rio Ave está mais credível para os jogadores, para já não há grandes dividendos disso, mas acredito que o tempo lhe dê razão em declarar tudo e sobretudo por cumprir com a palavra.

18.10.10

Os nossos 'emigrantes' vitoriosos

O Ribeirão eliminou o Belenenses com Júlio Alves, André Serrão e Ricardo Martins a titulares.
O Moreirense também segue em frente, com Renato Santos a titular e a marcar o segundo golo.

(Análise de todos os jogadores) Jeferson

JPM: o 'desejado' voltou finalmente, depois de uma lesão que apareceu no pior momento. Brito teve pressa em o pôr a jogar, até pela falta de alternativas, e Jeferson não entrou no onze na melhor forma física. Ainda assim, entrou bem. É rápido sobre a bola e destemido no corte. Só fez um jogo para o campeonato (e um parav a Taça) mas continuo a pensar que será uma das revelações do campeonato e um dos jogadores que o Rio Ave poderá vender no final da época.

Gil: Jeferson tem um aspecto algo desengonçado. Não é um jogador de estilo imponente e que faça muito por impor a sua presença. As suas maiores armas são a concentração e a eficiência com que costuma arrumar as situações de jogo que lhe tocam. Por outro lado, é um central esquerdino, mesmo ao gosto de Carlos Brito que tem um fetiche por jogadores com essas características (Martins, Idalécio, Edson, Fábio Faria). Espero uma época muito positiva para Jeferson.

Balanço do mandato de ASC - o património

(Iniciamos aqui uma série de textos de balanço do mandato de ASC)

O património/infraestruturas: o mandato termina com uma valorização do património, ainda que pequena. Foram feitas algumas obras no estádio, algumas delas por imposição da Liga, outras por necessidade interna.
Ainda assim há notas menos positivas:
- o sintético prometido para as camadas jovens, tanto quanto se percebeu, não avançou (e sobre isso nada foi dito);
- a ideia de um novo estádio ou da reformulação do actual ficou em 'banho-maria', sobretudo pela crise financeira e económica. Compreendo, embora gostasse que o assunto, que as várias opções, pudessem ter sido discutidas, aproveitando precisamente este momento de 'pousio';
- foram dados passos para a aquisição da sede, opção com a qual discordo (mas como, tanto quanto sei, estamos apenas na fase das negociações, não valorizo a questão);

Em resumo: não se pode falar em degradação do património, uma vez que o estádio está hoje melhor do que estava (quer externa quer sobretudo internamente), mas também não foi por esta área que a actual Direcção mais se evidenciou. Nota 3 neste capítulo para o mandato de ASC (até 5).

Gil: sendo ASC homem de obras, talvez se esperasse mais neste capítulo. Fez o obrigatório, parece-me, mais uma vez sem dar passos maiores que as pernas que o clube tem. O estádio está desactualizado, é desproporcional relativamente às necessidades do clube, mas o tempo de crise aconselha a que fique como está. As promessas não devem ser esquecidas e tal como diz o Joâo Paulo acima, se há altura certa para debater é quando não se tem obra para fazer no imediato. 3 de nota, concordo.

Um jogo que aparece na pior altura

Por um lado é apenas um (mau...) 'feeling', por outro - tendo em vista a necessidade urgente de pontos e o jogo em Alvalade - acho que a deslocação ao Estoril não podia vir em pior altura. Acho mesmo que é um jogo indesejado (o Estoril é uma boa equipa, que nos vai criar tantas dificuldades como algumas das 1ª Liga que já defrontámos...).
Ainda assim, não há volta a dar: Brito sabe que o mais importante é o jogo com o Sporting, onde temos de ir pontuar, pelo que não me admirava que alguns jogadores voltassem a ser preservados e que houvesse, dentro do possível, alguma rotação: Felgueiras na baliza, Chaves pode jogar na defesa, para Gaspar descansar; Wires pode voltar à direita, também para Zé Gomes descansar; Tiago Pinto pode manter-se, Sidnei e Felicio podem ser titulares, tal como Cicero ou Yazalde.













(foto AVL)
Ou seja, preservar fisicamente alguns elementos fundamentais para o jogo de Alvalade, onde temos de estar fortes.

17.10.10

Vítor Gomes já corre (menos de dois meses depois)

Vítor Gomes já corre! (operado a 23 de Agosto, ainda não passaram dois meses. Vamos tê-lo pronto a competir um mês antes do previsto? 

PS - Porque o próximo jogo é já na quarta, esta foi uma manhã de trabalho nos Arcos.

Ainda a recandidatura de ASC (ACT)

Como o comunicado oficial transmite, houve apoio generalizado do Conselho Geral do Rio Ave Futebol Clube à recandidatura de ASC.
Para mim essa recandidatura sempre foi pacífica. Faço uma análise bastante positiva destes dois anos e por isso faz todo o sentido ASC continuar mais um mandato (defendi-o em Fevereiro, em Setembro e já este mês).
Mais a mais aproximam-se dois anos muito difíceis e ASC é um bom garante de estabilidade.
(foto: AVL)

ACT: eleições a 6, como aqui foi dito, e não a 7.

(Análise a todos os jogadores) Felício

Gil: Um número 10 à força, a fazer o que pode, mas claramente a não conseguir calçar umas botas que não são para ele. Não sei se Felício ainda se vai revelar como um dos melhores da época, mas para já com excepção da marcação de bolas paradas, não mostrou nada que o distinga.
(foto AVL)

JPM: Será Felício o Adriano da época passada (alguém em quem a equipa técnica depositou muitas esperanças, e por isso mesmo também os sócios, mas que depois não foram confirmadas)? Para já Felício, apesar das lesões, já jogou mais do que Adriano, mas não deslumbrou. Concordo com o Gil. Felício será mais um extremo (um ala) do que um organizador, e Brito está a contar com ele a 10. Penso que estaremos todos de acordo com a ideia de que tem sido - também pelas lesões - uma das desilusões deste primeiro quarto de época.

16.10.10

(Taça/Estrela) Desacerto geral em resultado feliz

1º O Rio AVe goleou, como pedido;
2º 4-1 é um resultado enganador: o Estrela é uma equipa da terceira, que foi aguentando na primeira parte(fruto do nosso desacerto e lentidão), mas que baqueou na segunda parte;
3º o Rio Ave apresentou-se mais uma vez sem chama (pode ser apenas a crise de confiança, não sei) e com uma organização pouco eficaz (na ligação defesa-ataque, sobretudo);
4º A exibição geral foi fraca, sobretudo na primeira parte (marcámos aos 45'). Se virem, não há um jogador que mereça nota 4 (que nem é a mais alta), sinal do tal desacerto colectivo.
5º Brito mudou, como se esperava, a equipa, com apenas uma surpresa: Tarantini jogou ao lado de Braga (e a articulação entre eles não foi grande coisa). Mendes, Tiago Pinto e Cícero (sobretudo estes dois) não fizeram o suficiente para ganhar a titularidade, apenas Braga confirmou aquilo que aqui venho dizendo, que tem raça suficiente para merecer essa oportunidade. Wires também fez um bom jogo, desta vez como trinco puro; Espectacular entrada de Yazalde em campo, a deixar Brito na dúvida para os dois próximos jogos;
6º Mesmo com estas queixas, a vitória só pode moralizar os jogadores para o próximo jogo, que é já na quarta-feira;

(Taça/Estrela) Um-a-um: Braga e Yazalde, os melhorzitos (ACT com fotos)

Trigueira: 1 (na primeira parte teve um ou dois lapsos, um deles grave, e não deu tranquilidade à equipa; na segunda quase não teve trabalho e sofreu um golo)
Zé Gomes: 2 (o acerto ainda não é o melhor, mas pareceu-me estar a melhorar)
Gaspar: 3 (ao seu nível... desta época)
Jeferson: 3 (idem - voluntarioso, mais agressivo, rápido)
Tiago Pinto: 2 (penso que não agarrou o lugar; sem ter comprometido, não fez a diferença; é um jogador muito macio e pouco veloz)
Wires: 3 (um dos melhores no panorama geral; raça, antecipação, determinação; adormeceu na segunda parte);

(foto: AVL)
Braga: 3 (o melhor em campo: o jogador em campo que conseguiu melhores desarmes, o que mais tentou marcar e que até o conseguiu)
Tarantini: 2 (mais uma vez ficou provado que não tem 'perfil' para jogar naquele lugar; falhou um cabeceamento de baliza aberta)
Mendes: 2 (começou menos bem e foi melhorando. Estava a ser dos melhores quando saiu, cansado, penso; rápido, com bons cruzamentos,mas sem fazer um grande jogo; algo inconsequente na construção geral)
Cícero: 1 (90 minutos sem conseguir marcar um golo ao Estrela de Vendas Novas???? Francamente!
Trapalhão, lento, complicativo, azarado)

(foto: AVL)
Bruno Gama: 3 (continua a não ser aquele Bruno Gama que jogou em Vila do Conde na época passada, mas hoje esteve um pouco melhor; estará a subir de forma?)
Sidnei: 1 (teve uma ou duas arrancandas e marcou de penalti, mas com pouco tempo em campo)
Yazalde: 3 ( entrou muito bem em jogo e tudo lhe saiu bem, apesar de ter jogado muito pouco tempo)
Felício: 1 (sem tempo)