25.5.19

Novo memorial no antigo campo da Avenida substitui anterior

Via site ficamos a saber que foi ontem inaugurado o novo memorial que presta homenagem ao local onde se situava o saudoso Estádio d’Avenida (houve mesmo inauguração?):

Em 2012 tinha lá sido colocado este (entretanto degradado pelo tempo, foi por essa razão que veio um novo?)

24.5.19

Rio Ave dispensa Buatu (e ainda se fala da lista de 23 jogadores)

É o próprio Buatu que o diz: "J'ai paraphé un contrat de quatre ans quand je suis arrivé ici. Il me reste trois ans de contrat, mais le club ne compte plus sur moi. ["Eu assinei um contrato de quatro anos quando cheguei ao Rio Ave, tenho mais três anos restantes, mas o clube não  conta mais comigo."]
Fica sem se saber se houve rescisão (com pagamento de indeminização) ou se o atleta foi convidado a encontrar clube.

É, portanto, menos um na lista de 23 que aqui avançámos no início da semana.
(Acredito que haverá mais dispensas)
Uma lista de onde sai Buatu mas onde se confirma Monte: assinou já este ano por mais 4 épocas.

23.5.19

Reis do Ave em maioria contra saída de Daniel Ramos

Carlos Francisco:
Por mim ficava. Fez tantos pontos ou mais na segunda volta como os que por cá passaram com sucesso.  Começou mal, mas quando teve opções e com o tempo de trabalho com a equipa mostrou bons resultados e bom futebol contra adversários superiores e/ou diretos. Depois de ultrapassar uma fase má, ao não ser excluído nessa altura, dificilmente se entende tê-lo sido agora, porque difícil não é chegar de novo e mostrar pontos nos primeiros 2 ou 3 jogos; dificil é estar lá em baixo, piorar e com a força do trabalho e da mensagem ter liderança para dirigir e reerguer um grupo e orientá-lo para que fosse possível sustentadamente sair do fundo do poço.

Gil Ribeiro Silva:
Daniel Ramos não mostrou nos momentos mais complicados da época mão de feiticeiro para fazer um brilharete. Daniel chegou a meio da época, não participou nas escolhas do plantel no início do plantel, não tem culpa das lesões e quando voltou a ter toda a gente disponível arrancou para uma série de boas prestações e resultados. No entanto, fica a ideia que qualquer outro técnico também faria a equipa melhorar recebendo tamanha injecção de qualidade. Merecia o benefício da dúvida? Defendi a certo momento da época que não era o homem certo no lugar certo, mas acho que lhe devia ser dada oportunidade face ao bom final de época que nos proporcionou.

Gualter Macedo:
Mesmo sabendo hoje que Daniel Ramos não vai continuar no Rio Ave, talvez fique com a sensação de que este podia ter tido outra sorte. A ausência de jogadores importantes ora por lesão, ora por castigo, aquando da sua chegada, talvez tenha contribuído para essa falta de sorte. Mas acho também que Daniel demorou muito tempo a perceber como podia extrair o melhor dos jogadores disponíveis e a colocar esta equipa essencialmente a ganhar. Essa indefinição prolongada, principalmente no sistema de jogo (tivemos jogos muito maus, que também devem ter assustado o próprio), retiraram a Daniel alguma capacidade negocial no que toca à sua continuidade, bem como à perda de algum crédito para com a massa associativa (os tais 6 meses de ausência de vitórias em casa). Eu entendo a sua saída (em Vila do Conde os santos da casa nunca fizeram milagres), e também concordo com ela. Assim ninguém sai chamuscado, ele saiu de Chaves e o Chaves desceu, mas ao mesmo tempo colocou o Rio Ave no 7º lugar, que, não sendo o pretendido, é talvez o melhor que ele pode fazer dadas as circunstâncias. Mas também fico com a sensação de que tudo poderia ser diferente para melhor, caso a nova época fosse totalmente preparada pelo Daniel. Boa sorte Daniel, um dia talvez regresses e poderás confirmar o que digo…No futebol tudo é possível.

João Paulo Meneses:
Penso que DR demorou demasiado tempo a acertar no onze (havia lesionados, mas não justifica tudo), a tirar o melhor rendimento dos jogadores e a mostrar um futebol com qualidade (que se viu contra FC Porto e Benfica). E - principalmente - achei que foi bastante conservador ao longo da época (joga muito pelo seguro e, de uma forma geral, é mais defensivo do que aquilo que eu gostaria). Se a Direção decidisse renovar com Daniel Ramos, seria o meu treinador Mas em coerência com o que escrevi a seguir ao jogo com o Aves (agravado em Alvalade) entendo como correto procurar alguém com outro perfil.

Vítor Carvalho:
"O míster Daniel Ramos assumiu o cargo de treinador do Rio Ave FC com a missão de levar a equipa à Liga Europa. Entrou num momento em que a equipa já estava a passar um período menos positivo. Também viu a equipa ficar desfalcada do ponta de lança até aí titular indiscutível. A equipa passou por momentos de muitas dificuldades, mas acabou por conseguir atingir bons resultados e termina a época em excelente forma, intrometendo-se claramente, na definição do título de campeão da presente época. Entendo que, dadas as circunstâncias, o Daniel Ramos fez um bom trabalho e a sua continuidade para a próxima época devia ter sido assegurada."



Daniel Ramos não fica. É oficial. (ATUAL,)

Avança A Bola de hoje: "A ligação entre as partes não vai estender-se pela próxima época, depois de iniciada em janeiro, quando o treinador natural de Vila do Conde foi o eleito para suceder no cargo a José Gomes, entretanto transferido para o Reading (Inglaterra)."
(foto: Rio Ave FC, a partir desta imagem)


(pelo que se percebe, Daniel Ramos queria continuar: "Estou de corpo e alma no clube do meu coração"

É oficial

Atualizado a 24/5, a partir das informações recolhidas por 'Eurico Seabra' nos jornais de hoje: Record- Ivo Vieira e Pepa entram na linha de sucessão, dentro de um leque de candidatos de relevo que irá ser escrutinado através de uma reflexão. O fumo branco vai surgir na próxima semana, mas o presidente pretende fazer uma escolha ponderada e o processo não vai ser acelerado. De resto, sendo o Rio Ave um emblema apetecível está a dar-se o fenómeno de serem os próprios técnicos a sentirem-se atraídos por esse projeto. O Jogo- Ivo Vieira, Pepa e Jorge Simão são candidatos ao lugar. Jornal de Notícias- Jorge Simão e Pepa na lista de sucessores. Os responsáveis já estão à procura de um sucessor, havendo numa primeira fase dois nomes bem posicionados: Jorge Simão e Pepa. A decisão ainda não será tomada esta semana, até porque os responsáveis estão a recolher outros perfis, nomeadamente o de Ivo Vieira. Também existe a possibilidade de se apostar num técnico com menor experiência, mas com potencial, tal como aconteceu com NES ou Miguel Cardoso, ambos recomendados pelo empresário Jorge Mendes.

Ainda as obras - uma crítica

Estou desiludido, mas não critico o Presidente pelos problemas que impediram a cobertura da bancada poente de avançar. Sobretudo não critico porque nada sei de engenharia e porque dou o benefício da dúvida ao Presidente (muito mais numa área que ele conhece bem). Esta não será a primeira nem última obra, em Portugal e no mundo, a sofrer contratempos técnicos.
O que critico é o que considero ser um problema recorrente do nosso Clube: o desrespeito pelos sócios. No momento em que se percebeu que a promessa do Presidente não seria possível de concretizar, o Rio Ave deveria ter feito um comunicado a informar e a explicar aos sócios, em primeira mão, o que se passou.
É que ainda por cima está em causa a palavra do Presidente, na última Assembleia Geral.
Uma situação destas não beneficia ninguém, até porque os meses foram passando e os Rioavistas foram percebendo que nada avançava.
Por estas e por outras é que digo - e repito - que o nosso Clube comunica quase sempre bem mas informa quase sempre mal.

22.5.19

Para memória futura

Record
JN
A Bola
O Jogo
DN (via Lusa)


(no site do Rio Ave FC nem uma referência, à semelhança do que aconteceu pelo menos no ano passado)

21.5.19

Obrigado Praça Velha!


10 anos de Tertúlia, 10 anos de Praça Velha! Obrigado Paula e Jorge Carvalho!


10ª Tertúlia Rioavista - Futsal

- o presidente garante que o futsal continua no Rio Ave e já está a ser preparada a nova época;

- o plantel deste ano foi formado cedo, mas infelizmente as coisas não correram bem. O treinador saiu do clube, mas mesmo com novo timoneiro e reforços a equipa não se encontrou.

- mesmo descendo de divisão, o clube não atira a toalha ao chão e está a formar equipa para regressar à 1ª divisão, de apesar de reconhecer que é difícil esse objectivo.

- Lincoln vai continuar no clube, é o capitão e um jogador muito importante que apesar de ter convites para sair, preferiu continuar por Vila do Conde.


10ª Tertúlia Rioavista - Associação de adeptos

João Borges, colega do Rioavistas e aqui em representação da Associação de Adeptos da qual é presidente:

- Havia dois grupos não legalizados, antes da criação da Associação;

- a Associação nasceu com um grupo pequeno de pessoas que acusaram algum esforço e foi preciso encontrar mais gente para ajudar de forma comprometida;

- a Associação pretende ainda crescer mais e mobilizar cada vez mais os rioavistas;

- a Associação ainda tem poucos meios para a sua actividade. A Direcção tem ajudado a Associação, as relações são muito boas e agora que acabou a época há planos para se reunirem e debaterem uma série de assuntos;

- A Associação quer promover cada vez mais o sentimento de ser rioavistas e o nome do clube. É objectivo promover o lado positivo do futebol.

- a equipa de futsal foi humilde na forma como acolheu o apoio da Associação;

10ª Tertúlia Rioavista - Obras (e outras questões)



ASC:
- as obras só começarão na academia quando os campeonatos terminarem, antes não é possível;

- no que toca à bancada do estádio, a obra foi adjudicada a uma empresa espanhola. O Rio Ave consultou o Instituto Superior de Engenharia para lhe dar parecer sobre a obra e este Instituto descobriu alguns problemas técnicos  que colocam em causa a segurança da bancada. Isto atrasa o início da obra, que não estará em caso algum pronta no início de 2019/2020;

- o presidente tem atitude prudente quanto a adiantar datas para o avançar e concretização da obra, mas espera que seja rápido.

- as obras da sede vão começar muito em breve.

10ª Tertúlia Rioavista - Sub23

Pedro Cunha e Costinha
- o presidente afirma que Costinha e Vitó vão ser reforços da equipa principal em 2019\2020.
- ASC é muito elogioso do trabalho que Pedro Cunha tem desenvolvido e espera no futuro tirar cada vez mais proveito do trabalho de grande qualidade que está a ser feito.
- para o presidente a boa época da equipa de SUB23 não foi surpresa, fruto precisamente do grande trabalho de Pedro Cunha;

Pedro Cunha:
- dos 20 jogadores convocados para a final da Taça de Sub23, 15 foram formados no clube;
- mesmo com saídas da equipa de Sub23 para a equipa principal, a ideia de jogo e os princípios vão manter-se;
- há um fio condutor no trabalho que se faz: o treinador abdicou de pedir ao presidente e ao treinador da equipa principal para lhe cederem jogadores para poder ser campeão e ganhar a Taça. Pedro Cunha quis valorizar  quem trabalhou para chegar perto dos títulos, quem esteve na equipa desde a primeira hora;
- no início da época Pedro Cunha transmitiu aos jogadores que iam lutar por ser campões da competição.
- jogar com equipas de maior valor vai dar aos jovens atletas uma rodagem muito importante para o seu futuro;
- a equipa teve alguns contratempos com lesões e soube sempre manter competências e qualidade de jogo;
- o treinador acredita muito no que faz e valoriza muito o factor humano;
- em 2019/2020, com o fim da equipa B, a equipa de SUB23 vai trabalhar mais vezes com a equipa principal;

Pedro Cunha tem como objectivo ser profissional de futebol, gostava de chegar a treinador principal de uma equipa profissional. Já teve contactos, mas ainda não saiu. Falta ainda ao treinador o nível mais alto do curso de treinadores.

- a equipa B foi um processo que se esvaziou com a criação com o campeonato de Sub23, até porque o nível da competição onde competiam os B não correspondia ao que o Rio Ave pretendia.

- A equipa de Sub23 vai ser reforçada com alguns jogadores da equipa B e Sub19.

Costinha:
- sente-se preparado para jogar na equipa principal, não só porque fez uma excelente época no Rio Ave como também por ser chamado às selecções nacionais;
- a articulação com a equipa principal não é estanque e o atleta, sendo importante, o atleta competirá na equipa Sub23;
- Costinha quer vingar no Rio Ave e projectar-se também nas selecções;
- Costinha tem ouvido atentamente os conselhos de Tarantini e continua a estudar acautelando o futuro.

10ª Tertúlia Rioavista - Gaspar, o primeiro Rei do Ave

Connosco, o primeiro Rei do Ave, Gaspar, um prazer 10 anos depois.


- o Rio Ave foi muito marcante na carreira, foram 5 anos com as cores do clube, onde foi capitão;
- segue o clube de perto e joga nos veteranos;
- as aplicações de futebol que tem no telemóvel têm todos os alertas para os jogos do Rio Ave;
- Gaspar recordou que o Rio Ave foi uma paixão que começou logo nos juniores, mas que não foi possível na altura assinar contrato com o clube;
- Gaspar mesmo já não estando no clube sente que o crescimento do Rio Ave continua e sente-se muito contente com isso.
- profissionalmente Gaspar está agora ligado a outra paixão, a metalomecânica e perspectiva continuar ligado a essa profissão que o faz sentir-se realizado.

10ª Tertúlia Rioavista - A próxima época

- António Silva Campos: a questão do treinador não está resolvida para 2019/2020. Amanhã há reunião com Daniel Ramos e só aí se tomarão decisões. O presidente não quis adiantar mais detalhes sobre o assunto.

- temos mais de 20 atletas com contrato para a próxima época. Vão sair alguns jogadores, mas o Rio Ave está atento ao que se passa no mercado com o seu departamento de scouting;

- o Rio Ave só recorrerá a emprestados quando não tiver recursos financeiros;

- o Rio Ave é um clube vendedor e as vendas de activos são muito importantes, permitem manter o equilíbrio financeiro; aparecendo boas propostas, seguramente sairão atletas;

- O Leo Jardim já é jogador do Rio Ave, tem contrato por 4 anos, foi accionada a clausula de compra. Mas não somos detentores da totalidade do passe do atleta;

10ª Tertúlia Rioavista - Balanço desta época


- José Gomes saiu porque a sua saída era uma grande oportunidade para ele entrar no mercado inglês. O Rio Ave foi devidamente compensado financeiramente; havia um entendimento no seu contrato para o deixar sair caso surgisse uma boa oportunidade;

- a época foi atípica: novo treinador, muitos jogadores novos, foi um ano de viragem de um ciclo para outro. O clube acreditou na competência dos novos atletas;

- a época deixou um sabor amargo, porque há o sentimento de que se podia ter chegado mais longe;

- o grande número de lesões condicionou muito a temporada, levando mesmo a ter de se reforçar a equipa. O período de maior incidência de lesões foi terrível;

- Vinícius foi muito eficaz e deixou muitas saudades; é difícil ir ao mercado e concorrer com clubes com outros recursos quando pensamos em contratar determinado tipo de atletas, nomeadamente avançados. O Rio Ave não tinha como evitar a saída de Vinícius. O atleta veio emprestado por intermédio de Jorge Mendes, mas havia condicionantes, nomeadamente o mercado de Janeiro. O jogador recebeu uma proposta muito vantajosa e pediu para sair. A motivação do jogador não é igual depois de receber ofertas de tal calibre.

- nem todos os jogadores que chegaram esta época foram apostas certas, mas isso acontece em todo o lado;

- o Rio Ave deixou de ter Director Geral que tinha alçada desportiva e jurídica. A saída de Miguel Ribeiro obrigou o clube a criar um cargo jurídico e um de Director Desportivo, cargo ocupado por André Vilas Boas. A experiência correu bem.

- quando estivemos muito tempo sem ganhar, sentiu-se uma grande frustração. As pessoas que trabalham no clube passaram um momento difícil, sentiu-se que se questionava a qualidade do trabalho dos profissionais e de quem serve o Rio Ave;
- em certo momento, os próprios atletas duvidaram das suas qualidades. Foi feito um importante esforço junto dos atletas para se mudar o ambiente no balneário. 

- Tarantini continua a ser um grande profissional e um grande líder.

- As arbitragens da época:
   - há um trabalho que se faz sobre isso no Rio Ave e que não precisa de ser publicitado em jornais e tv's.  Quando nos sentimos prejudicados, o presidente dirigiu-se pessoalmente o Conselho de Arbitragem. Alguns árbitros foram penalizados na sequência disso.
   - o Rio Ave é respeitado pelas arbitragens e é nos locais certos que se faz ouvir.
   - fomos penalizados algumas vezes pelo mau uso do VAR, realçando dois jogos, sobretudo Braga fora e Benfica em casa;
   - o VAR tem de ser usado com o mesmo peso e a mesma medida, tanto para clubes grandes como para clubes pequenos. De momento, tem sido em favor dos grandes.

- a questão dos bilhetes nos jogos em casa contra os clubes grades:
   - o Rio Ave não pode deixar de vender bilhetes, não vai fechar bilheteiras para esses jogos;
   - a receita dos bilhetes é importante, o clube precisa sempre dessas receitas, pequenas ou grandes;

- quem organiza os jogos é que é responsável pela segurança. Tudo o que aconteça é da sua responsabilidade. Os materiais pirotécnicos são proibidos, mas há muitas maneiras de dissimular esses artefactos e a polícia é muitas vezes ludibriada.



20.5.19

23 jogadores com contrato? (CORRIGIDO)

Juntei as informações que fui publicando em 2017/18 com as de 2018/19 e cheguei a esta lista (que é baseada naquilo que vem a público, seja divulgado pelo Clube seja pela comunicação social).
Obviamente que não posso garantir que esteja cem por cento correta (90%?), mas, mesmo com esta ressalva, fica claro que, pela primeira vez em muitos anos, temos basicamente duas equipas prontas a começar a época.
Pelas minhas contas são 23 jogadores.
Na época passada eram 10...
Destes 23 haverá algumas vendas (Léo ? Nuno Santos?), alguns empréstimos e até algumas rescisões. E a entrada de alguns jogadores (Vitó? Costinha?).
Em alguns casos, tratando-se de empréstimos (como Messias ou Murilo), fica a dúvida sobre o que acontecerá. Não inclui Junió, porque o empréstimo acabou, mas, lá está, posso estar enganado.
E por aquilo que percebo há apenas um jogador em final de contrato, Monte. Atualização: Monte assinou em Março por mais 4 anos

Amanhã na tertúlia talvez o Presidente nos possa esclarecer estas questões.

Filipe Augusto (mais 2 épocas)
Carlos (mais 2 épocas)
Messias (empréstimo. Mais 1 época, com opção?)
Said (mais 3 épocas)


Tarantini (mais 1 época)
Diego Lopes (mais 4 épocas)
Nuno Santos (mais 3 épocas)
Gabrielzinho (mais 3 épocas)
Nelson Monte (mais 4 épocas)
Nadjack (mais 2 épocas)
Leandrinho (mais 1 época)

Bruno Moreira (mais 2 épocas)
Miguel Rodrigues (mais 3 épocas)
Toni Borevkovic (mais 4 épocas
Murilo Freitas (empréstimo; mais 2 épocas?)
Afonso Figueiredo (mais 1 época)
Buatu (mais 3 épocas)
Ronan (mais 1 época)
Matheus Reis (mais 2 épocas)
Leo Jardim, gr (era empréstimo; assinou?)
Nikola Jambor (mais 3 épocas)
Damien Furtado (?)
Joca (mais 2 épocas)
Paulo Vitor (mais 2 épocas)

19.5.19

(Ainda não foi desta) Aproveitar os jovens da formação

Começo desde já por dizer que nada me garante que, vindo outro treinador, a situação mude. O problema não é de Daniel Ramos mas sim da generalidade dos treinadores.
A situação só se agravou com Daniel Ramos porque tivemos uma equipa sub23 a jogar muito futebol, com vários elementos em grande evidência.
Daniel Ramos comportou-se como a generalidade dos treinadores que passaram por Vila do Conde nos últimos anos: seja porque têm mais confiança nos jovens seja porque querem agradar ao balneário, raramente dão oportunidades aos jovens da formação.
Atenção: não é problema não é a idade, como este ano se viu, com vários jovens (de fora) no plantel principal, é mesmo serem da nossa formação ou de Vila do Conde!
Quando se estava a ver que Nadjack não estava em forma, Costinha não teria merecido uma oportunidade?
Daniel Ramos preferiu lançar Murilo a médio do que apostar em Vitó.
Rafa, quando estava num grande pico (a marcar grandes golos), nunca foi chamado a contribuir.
(e se não falo em Tiago André, é porque, com 3 defesas-esquerdos no plantel, Tiago nunca teria hipóteses)
Antes não se apostava nos jovens por falta de experiência; este ano tivemos vários jovens no onze;
Depois não se apostava nos jovens porque não havia equipa B (ou sub23); este ano tivemos a melhor do campeonato;
Resta concluir que não se aposta por serem a formação do Rio Ave (estou a ser apenas um pouco irónico e a lembrar-me como Furtado teve várias oportunidades no início da época, sem nunca ter mostrado que era melhor do que os já cá estavam [a crítica não é para Furtado mas para quem decide]).
Termino como comecei: nada me garante que o próximo treinador, qualquer que ele seja, faça diferente; mas não me venham com a história de um treinador de Vila do Conde e do Rio Ave. Gama e Daniel Ramos foram iguaizinhos a José Gomes, Miguel Cardoso ou essa grande desilusão (neste capítulo) chamada Luís Castro.

18.5.19

25 pontos 2ª volta - Ninguém melhor que Ramos


Parabéns ao Nuno Pinto. Continua a batalhar contra as dificuldade naquilo é de facto o que realmente importa: a VIDA.
O Vitória FC homenageou. O Rio Ave FC e muito bem colaborou, assim como a equipa de arbitragem pelo que todos merecem uma palavra de apreço pelo gesto. Adeptos dos 2 lados muito bem também.

Parabéns ao Rio Ave FC pela vitória.
Um jogo em que fomos superiores e em que já tarde chegamos à vantagem. Foi justa.
Uma exibição na linha do que vem acontecendo nos últimos 6 ou 7 jogos.
Consistentes e concentrados. Plano definido. Trabalho defensivo eficaz e criatividade assente em ideias ofensivas claras.

Quer se goste ou não, Daniel Ramos tem uma segunda volta ao nível do que tem sido aquilo que se tem feito neste clube.
Sugeri o seu nome quando ficamos sem José Gomes.
Critiquei muito mais os jogadores pela visível falta de empenho a determinado momento que o treinador.
O único momento em que pus a hipótese de Daniel Ramos sair foi após o jogo com o Sporting em que digo que alguma coisa tinha de ser feita. Ou se arrumavam jogadores, ou treinador ou as duas coisas.
Arrumaram-se alguns jogadores. Hoje percebe-se que bem. E acima de tudo percebe-se que alguns deles seriam o principal problema.

Daniel Ramos faz 25 pontos na 2ª volta.
Com uma equipa que além de ter jogadores novos que haviam chegado no início da época, mudou também peças em Janeiro. Aliás em termos de plantel terá sido do mais inconstante desde que ASC chegou com saídas e entradas no início e a meio da época.
Utilizamos 33 jogadores. É muita coisa. Muita instabilidade.

Fechamos com 45 pontos. Mau? Eu queria mais claro. Mas não difere muito do que se faz nesta casa habitualmente:
18/19: 45 pt = 20 + 25
17/18: 51 pt = 27 + 24
16/17: 49 pt = 24 + 25
15/16: 50 pt = 25 + 25
14/15: 43 pt = 24 + 19

Nos últimos 5 anos só Miguel Cardoso fez numa volta mais que Daniel Ramos. Foi na primeira volta do ano passado em que fez 27.
Ninguém fez uma segunda volta melhor que a de Daniel Ramos.
Daniel Ramos não teve o pior plantel destes anos. Também não teve o melhor.

Por mim tem tudo para ficar. Espero bem que fique não porque é vilacondense. Porque tem números e qualidade que justificam a renovação.

17.5.19

Comemorar os 81 anos de outra forma

Pode ser só impressão minha, mas as comemorações dos aniversários do nosso Clube estão cada mais fechadas aos sócios e longe da população em geral.
Com os 80 anos fechámos um ciclo, é tempo de ser criativo e pensar noutro tipo de abordagem que abra o Clube à comunidade (na linha da caminhada).
Temos jantares para atletas e ex-atletas, dirigentes e ex-dirigentes, galas para dirigentes, atletas e convidados e nisto tudo onde entram os sócios?
Mas mais do que os sócios, que se podem inscrever no jantar, o aniversário tem de ser uma ocasião para abrir o Clube aos Vilacondenses. Tem ser um momento de alegria, de dinamização, de envolvimento.
E, nesse capítulo, mantenho a minha crítica de há muito: foi o Clube que se fechou aos Vilacondenses, mais do que os Vilacodenses que se desligaram do Clube.
(jornal Vilacondense desta semana)

16.5.19

Agora, sim, é o momento de falar do treinador da próxima época (ATUAL.)

Se tivermos em conta que nos 12 primeiros jogos, Daniel Ramos conseguiu apenas 3 vitórias, a ponta final surpreendeu (nos últimos cinco, três vitórias, um empate e uma derrota, com o Benfica).
Faço, contudo, um balanço negativo da época (classificação e taças), sendo que a culpa não é apenas do atual treinador.
A seguir ao jogo com o Aves escrevi que o Rio Ave deveria procurar um novo treinador.
Ainda bem que me enganei (o seu hipotético substituto dificilmente faria melhor).
Mas não mudo de opinião global sobre o treinador.
Sempre escrevi que a equipa tinha qualidade (com Vinicius era ainda mais evidente) e que tinha de produzir mais e melhor. Esta ponta final foi apenas a prova disso.
Penso que DR demorou demasiado tempo a acertar no onze (havia lesionados, mas não justifica tudo), a tirar o melhor rendimento dos jogadores e a mostrar um futebol com qualidade (que se viu contra FC Porto e Benfica).
E - principalmente - achei que foi bastante conservador ao longo da época (joga muito pelo seguro e, de uma forma geral, é mais defensivo do que aquilo que eu gostaria).
Se a Direção decidir renovar com Daniel Ramos, será o meu treinador e tentarei ter sempre uma palavra positiva ou de crítica construtiva.
Mas em coerência penso que deveriamos procurar alguém com outro perfil.
(foto: Rio Ave FC)

PS - nada disto tem a ver com ser ou não de Vila do Conde. Para mim no Rio Ave ninguém pode ser prejudicado por ser de Vila do Conde. Havendo dois com as mesmas características, o de Vila do Conde está sempre primeiro.

ATUAL a 17/5: "Estou de corpo e alma no clube do meu coração e cumpri um sonho ao treinar o Rio Ave. O trabalho foi positivo e continuarei se houver condições para isso", partilhou Daniel Ramos.

15.5.19

Fábio Coentrão deixa o Rio Ave

Pessoalmente, esperava que fizesse mais uma época em Vila do Conde.
Mas compreendo a decisão, caso se confirme: foi bastante contestado por uma parte dos nossos adeptos e teve uma época marcada por alguns casos (que em alguns casos pouco ou nada tinham a ver com o Rio Ave).
Na memória guardo a qualidade dos seus passes e a garra com que entrava em campo, mesmo quando as forças já escasseavam no final.

14.5.19

10ª Tertúlia Rioavista

É já na próxima terça-feira, dia 21, que teremos a 10ª Tertúlia Rioavista (a partir das 21 horas no Restaurante Praça Velha).
Depois de uma época atribulada, como já não nos lembrávamos, o ponto alto será naturalmente a possibilidade de confrontar o Presidente do Rio Ave FC com os vários temas que estão na agenda Rioavista: a época que terminou, a nova época, as obras, o futsal, etc.
Falaremos também dos sub23 (com convidados), teremos oportunidade de conhecer melhor a Associação de Adeptos e vamos lembrar o 1º Rei do Ave, Gaspar, dez anos depois.
Prometemos fazer o acompanhamento em tempo real no blogue e o nosso Facebook.

PS - não estando ainda definida a situação do treinador, não (ainda?) fizemos convite.

Meus amigos, eu gosto é de futebol

E por isso só vou falar de futebol.

Estas poucas palavras vão ser um exercício teórico falando sobre o jogo de domingo passado.
Então nesse domingo passado assistiu-se a um jogo de futebol entre duas equipas de planetas diferentes, uma do planeta verde e outra do planeta vermelho. Celebrava-se a união entre povos distintos e o árbitro era do planeta amarelo. Nas bancadas não havia ninguém.

Foi um jogo interessante. Não foi muito bem jogado, mas ainda que a equipa vermelha tenha estado sempre em vantagem, a equipa verde deu boa réplica e manteve o resultado final em aberto até ao fim. O árbitro cometeu erros e a equipa vermelha até foi beneficiada. No entanto, isso não conta para nada, não interessa, porque era apenas um jogo amigável. O árbitro não errou com um propósito de beneficiar ou prejudicar verdes ou vermelhos, apenas errou porque os seres do planeta amarelo erram, como nós humanos erramos. Toda a gente sabe que o árbitro errou e toda a gente o admite.
Eu, pelo espectáculo, não me sinto de todo defraudado. O futebol é um excelente entretenimento. Fim de exercício teórico.

Domingo foi parecido com isto. Menos o público nas bancadas, menos o jogo ser a feijões, menos o erro que toda a gente admite. Como é sabido o nosso país não é de gente séria quando toca a política e futebol. Aliás, eu, se fosse presidente do Benfica, fazia um partido político. Com tanta unanimidade e seguidismo ganhava sempre as eleições. Bastava prometer que o clube ganhava todas as competições de todas as modalidades em que participasse. Só isso. Até o actual primeiro ministro se desfiliava do seu partido e se candidatava a líder do Benfica. Já viram que bom era para ele não ter de levar com os outros partidos da geringonça? E por falar em geringonça, por que é que os clubes mais pequenos não aprendem com a política e se geringonçam?

Bem, na verdade eu tinha dito que só ia falar de futebol, mal toquei no assunto e pus-me a falar de outras coisas. Também não sou sério. Prisão comigo!

A Palhaçada dos Bilhetes, a burrice e a falta de DIGNIDADE


Antes do jogo com o Porto escrevi que para os jogos com os grandes só venderia aos adversários os cerca de 500 bilhetes obrigatórios pela lei aos 2 primeiros do campeonato: Porto e Benfica.
Além desses só entrariam sócios.
Fi-lo antecipadamente para que ninguém viesse dizer que falar depois é fácil.
Após estes 2 jogos, principalmente após o jogo com o Benfica e não me querendo gabar, acho que era mesmo isso que alguém no NOSSO clube deveria ter tido coragem para fazer.
O Benfica jogou em casa. E se em vez de 6000 benfiquistas e 3000 rioavistas estivessem 3000 rioavistas e 600 benfiquistas o medo do Hugo Miguel se calhar era outro.

O Benfica jogou em casa e A culpa é dos representantes do Rio Ave FC que são submissos ao poder instalado.
Até directores/colaboradores/prestadores de serviços ao benfica ou empresas do benfica se achavam em casa na tribuna de honra do nosso estádio.
UMA VERGONHA.

Aliás fala-se tanto no G15... Desafio: Tenham coragem para numa das épocas todos esses clubes fazerem isso: não venderem bilhetes ao público nos jogos em casa com os grandes.
Isso sim, seria uma demonstração de força total. Uma demonstração de grandeza por parte de quem é chamado pequeno.

Pior que isso e isto não escrevi antes do jogo com o Porto, para não dar ideias a portistas nem benfiquistas.

O público pagava 37 euros para um bilhete na bancada poente lateral.
Pois bem, o que eu pensei e o que eu faria se fosse estarola era:
3 meses de cotas do Rio Ave FC= 21 euros + 8 euros de bilhete de sócio + 5 euros cartão = 34 euros.
Ficava mais barato a um estarola fazer-se sócio do Rio Ave FC do que pagar bilhete de público.
Isto é de uma incompetência brutal.
De uma falta de visão e de inteligência assustadora de quem dirige ou é funcionário responsável por esta área num clube profissional há 10 anos na primeira liga.

Enfim... para terminar:
Para Kant o bem maior do ser humana é a sua dignidade... e essa... nunca devemos perdê-la, no limite, nem que isso nos custe a vida.
Pelos vistos é um valor irrelevante no NOSSO RIO AVE FUTEBOL CLUBE.

13.5.19

Erros e mais erros

A uma jornada do fim do campeonato o Rio Ave FC sabe que não conseguirá atingir uma das metas definidas no início da época: a Liga Europa.
Chegámos a andar lá bem perto, mas ...
Este objetivo não foi alcançado, muito por culpa própria e muito por fatores externos.
O que importa é corrigir os erros próprios. Veja-se, a exemplo, o último jogo em Vila do Conde. Perante o Benfica a lutar pelo título de campeão nacional, as ofertas que demos. 
É verdade que dignificamos o jogo, que lutamos, que tivemos momentos de bom futebol, que pressionamos e criamos a incerteza quanto ao resultado. É verdade que a equipa de arbitragem (e VAR) incluído falharam e erraram. Mas se não fossem os nossos erros, o resultado poderia ser bem diferente.
Só corrigindo os nossos erros é que caminharemos para ficarmos mais fortes.
Quanto aos erros de terceiros, teremos de saber conviver com eles e, no momento certo, apontá-los a quem de direito.
O próximo jogo em Setúbal não é um jogo fácil. Apesar de nada alterar em termos de objetivos, o Rio Ave FC tem uma imagem a defender e o campeonato deve ser jogado intensamente até ao último segundo do campeonato.
A próxima época deve estar já a ser preparada, mais não seja na melhoria, prometida, das condições do Estádio do Rio Ave.

Ainda a arbitragem de Hugo Miguel ontem (ATUAL.)

Aqui fica para memória futura:




(o lance aqui)
Atualizado a 14/5:

12.5.19

(Derrota com o Benfica 3-2) Noite de brindes

Três erros, três golos.
Assim não dá para fazer melhor.
Junió faz um disparate no primeiro golo e ficamos a perder logo aos 2 minutos.
Alguns elementos estiveram desinspirados, com destaque para Nuno Santos, Gabriel ou Filipe Augusto.
Não percebi a saída de Tarantini, um dos melhores (ainda por cima logo após ter feito o nosso primeiro golo). A equipa não melhorou com a sua saída.
Borevkovic foi o melhor em campo. Ruben Semedo também bem.
Arbitragem? O costume. Na dúvida, favorece-se a equipa que tem mais peso. Infelizmente já estamos habituados. 
O patrocinador da Liga que virou as mensagens ao intervalopara os adeptos benfiquistas, desrespeitando a casa onde o jogo se desenrolou.

10.5.19

Nuno Santos, Dala e... Galeno

Escrevo estas linhas sem saber como está (física e mentalmente) Galeno.
Todos sabemos que não tem sido utilizado, depois de muitas exibições desinspiradas, mas também todos sabemos que é um jogador acima da média e, estando bem, um desequilibrador (mais do que Gabriel).
Frente ao Benfica teremos Galeno de volta?
Com Nuno Santos, Dala e Galeno (além do ponta de lança, claro) o Rio Ave está mais perto de fazer a diferença.

PS - curiosidade: Nuno Santos (ex-Benfica), Dala (emprestado pelo Sporting) e Galeno (emprestado pelo FC Porto).

("Vamos lutar para fazer um bom jogo. Temos atletas que são grandes profissionais e que já o demonstraram na última partida com o FC Porto. Será mais um jogo difícil, que pode definir o título, mas também para nós o resultado pode ser importante na nossa ambição pela Liga Europa", disse ontem ASC).

9.5.19

Queremos ganhar a Taça Revelação? (ATUAL.)

Não tenho quaisquer dúvidas de que o primeiro objetivo desta equipa sub23 não é desportivo mas formar jogadores (para a principal equipa ou até para vender).
Um segundo objetivo seria, sempre que necessário, ajudar a equipa principal, com reforços (houve vários jogadores que foram à equipa principal ao longo da época, como Furtado, Schutte, André Silva ou Vitó, embora de forma inconsequente, na minha opinião) ou permitindo a recuperação da forma (Ronan, Joca, Murilo ou Messias, por exemplo).
Mas chegados à final da Taça Revelação, queremos ganhar ou não?
Ganhar será mais provável se tivermos Ronan e Joca no onze.
Se Daniel Ramos precisar dos jogadores para o jogo com o Benfica, as hipóteses são mais reduzidas.

PS - o Aves ao longo desta época pareceu sempre mais apostado nos resultados do que noutros objetivos (como a formação de jogadores). Resultado: ganhou a Liga e está na final da Taça.

ATUALizo a 13/5: Joca e Ronan não jogaram. Joca não saiu do banco frente ao Benfica e Ronan entrou a 10 minutos do final.

8.5.19

Temos livro!

Penso que fui das primeiras pessoas a falar publicamente da necessidade de um um livro que contasse a nossa história (comecei em 2010 e voltei ao assunto em 2012, por ocasião dos 75 anos).
O livro ontem apresentado deixa-me por isso satisfeito.
Não é um livro perfeito (há livros perfeitos?) mas cumpre plenamente a função.
É, penso, um livro que os Rioavistas gostarão de ter em casa e de mostrar aos amigos.
(custa 30 euros)
PS - na apresentação que tive oportunidade de fazer tentei sensibilizar a Direção para a importância de juntar este a outro livro, a editar também este ano: aquele que José Maria Almeida deixou quase pronto e complementará na perfeição o que foi escrito pelo André Veloso e pela Márcia Pimparel. Aliás, uma das principais falhas deste novo livro é não incluir a lista de todos os corpos sociais ao longo dos 80 anos (só a primeira e a última). Com o livro de José Maria Almeida isso ficaria bem resolvido.

7.5.19

(4-2 ao Sporting) Rio Ave na final da Taça Revelação

Vitória clara da nossa equipa.
Domínio completo, exceto entre o momento em que sofreu o 3-1 e faz o 4-1.
Ronan fez dois golos.
Melhor em campo: Bianchi.
Hélder Sousa despediu-se dos relvados aos 41 anos ou ainda o vamos ver na próxima época?
A final é sábado à tarde em Águeda.
Frente ao Benfica ou ao Aves.

Orgulho


Na semana passada andei pelo sul do país.
Levei uma camisola do Rio Ave e no primeiro dia fui com ela até à praia.
Para admiração minha foram muitos, mas mesmo muitos, aqueles que olhavam, olhavam e tornavam a olhar para a camisola verde e branca com o símbolo da caravela.
A reação da maioria das pessoas era de alegria e de apoio. Poucas olhavam com desdém. 
Percebemos facilmente porquê.
Mas aqueles que olhavam com admiração, logo a seguir faziam uma cara de preocupação. É que o seu clube ainda vai ter de jogar com o maior clube português, o Rio Ave F.C., numa deslocação difícil num jogo que poderá definir o campeão.
Senti orgulho em ser do Rio Ave.
E mais orgulho senti quando o Rio Ave ganhou ao Moreirense (com alguma felicidade, diga-se), permitindo-nos ainda sonhar com a conquista de um lugar europeu (ainda que indiretamente).


A questão do treinador

Como escrevia ontem o Carlos Francisco, dificilmente haveria um Rioavista que acreditasse que fariamos 10 pontos nos últimos quatro jogos (uma coisa é esperar e querer sempre que o Rio Ave ganhe, outra é ser realista...) Eu também não acreditava, sobretudo pelo que vinha acontecendo.
A verdade é que chegámos à penúltima jornada e ainda podemos atingir o 6º lugar (o tal que vai dar lugar europeu, por 'ausência' do Moreirense).
E é por isso entendo que, havendo objetivos por alcançar, não faz muito sentido estar a falar do futuro do treinador.
A Direção terá as suas ideias, que certamente conheceremos no momento certo, mas agora é tempo de dar todas as condições a Daniel Ramos para disputar os dois jogos e obter duas vitórias.
Eu acredito...
(foto: Rio Ave FC)

6.5.19

Duas vitórias verdes, um empate do Vitória, um novo sonho Europeu


Ganhamos. 3 pontos. Objectivo cumprido.
Com alguma sorte... que faz parte. O empate também se ajustava mas a vitória não nos assenta mal.

A equipa esteve globalmente bem. O treinador parece ter encontrado uma base para o 11 com uma ou outra mexida que acaba por ter de fazer em caso de necessidade.

Tirando um passe de Bore (aprendeu alguma coisa com Buatu e não valia a pena) no início que poderia ter comprometido, não houve mais falhas clamorosas.
Grandes golos: um pela classe do passe e do remate e o outro pelo envolvimento, movimento e jogada de equipa.

Relacionar o regresso de Nuno Santos e de Dala com os pontos é inevitável.
Mais:
os nossos melhores períodos foram o início e o fim da época. Denominador comum: Gelson Dala.

Contas:
Se dúvidas ainda existissem, para algum "maluco" da matemática, em relação à manutenção, então elas ficaram dissipadas. Está garantida.

Só que, com os jogos de Domingo ficamos a perceber que aquilo que parecia irreal há 5 jogos atrás virou novamente um sonho. O sonho Europeu (sou sincero... eu não acreditava nos 10 pontos em 4 jogos com o 2º, 5º, 6º e na altura 7º).
Isto da Europa... a fazer fé que o Moreirense efectivamente não se inscreveu.

Difícil? Sim. Muito, porque não dependemos só de nós... mas possível. E porquê?
Esta semana saiu-nos quase tudo de feição:
O Nacional empatou o Vitória e o Sporting venceu o Belenenses.
Só faltou o Santa Clara não ganhar.

Para isso temos de recuperar 4 pontos ao Vitória e neste caso esperar que eles não façam nenhum...
Ou esperar que eles não façam mais de 2, mas para isso teremos de fazer 6.
Mas um dos jogos engloba o Belém com o Vitória e o Belém ganhando poderemos ter de fazer também 6 pontos mediante o número de equipas que acabem empatadas com os mesmo pontos. E neste meínho entra também o Santa Clara que com uma combinação brutal, mas que é possível lá poderá ir também.
O Marítimo, Aves e Portimonense poderão alcançar-nos, mas se o fizerem não vamos à Europa.

Se no jogo entre Vitória e Belém, Domingo antes do nosso, houver um empate, para nós é em teoria o melhor resultado, partindo do princípio que quero sempre ganhar. Porque o Vitória não pode é fazer nunca 3 pontos (e fazer 0 ou 1 é igual porque no último jogo também não pode fazer 3 e se fizer 0 ou 1 ou 2 pontos nos 2 jogos que restam para nós é igual) e assim o Belém também perderia pontos e arrumado... Nesta hipótese teríamos sempre de fazer 6 pontos.

Contudo, se no jogo entre Vitória e Belém, Domingo antes do nosso, houver uma vitória do Belenenses (por 1 ou 2 golos de diferença desde que o Belém SAD não marque mais que 2*), nós, querendo sempre ganhar e sabendo que é importantíssimo ganhar o nosso jogo ao Benfica, se por circunstâncias do jogo não o conseguirmos fazer, será importante perceber que, em eventuais momentos do jogo, não tendo essa possibilidade de ganhar, é obrigatório não o perder, para que na última jornada, continuando a não depender de nós, o sonho possa ser um objetivo e o objetivo vire realidade na última jornada em Setúbal frente ao outro Vitória.

As contas são difíceis por causa dos mini campeonatos possíveis a 2 ou a 3. Para irmos nunca podemos fazer os 47 pontos que o Santa Clara tem de fazer: nós a irmos ou vamos 46 ou 48. Por isso não os meti nas contas. Pela mesmo razão excluí um hipotético empate do Vitória com o Belém. O campeonato a 3 só existe só o Belenenses ganhar ao Vitória portanto não fiz contas a 2 com o Belém.
Espero não me ter equivocado:

  • Rio Ave com Belenses e com Vitória:
    • Rio Ave 7 pontos;
    • Belém 7 pontos (se ganhar ao Vitória);
    • Vitória 3 pontos (perdendo com Belém).
    • Critério seguinte diferença de golos entre si... *e aí é a velha questão da interpretação. O Vitória se continuar a entrar nas contas dependemos do resultado da próxima jornada (por quantos ganha o Belenenses SAD), se não entrar temos vantagem contra o Belém.
  • Rio Ave com Vitória:
    • Rio Ave 3 pontos;
    • Vitória 3 pontos;
    • Diferença de golos marcados e sofridos é igual a 0 para as duas euqipas;
    • Critério seguinte é ter mais golos no campo adversário: marcamos 2 eles 1. Temos vantagem.
NOTA 1: temos confronto directo com adversários directos... pena foi não termos feito o nosso papel com equipas que vão descer. O Feirense fez 1/4 dos pontos que tem no campeonato contra o Rio Ave FC. 

NOTA 2: Em 15/16 estávamos numa situação não tão má mas muito difícil também... e lá conseguimos atirando o União da Madeira para a Liga II na casa deles. Faremos o mesmo ao Vitória em Setúbal?

Antes do jogo com o Benfica...

Espero que o Benfica não faça a festa de campeão em Vila do Conde, apenas porque isso significaria que os vencemos no domingo à noite.
Extra-futebol, deixo algumas preocupações:
1) Espero que o Benfica compre toda a bancada descoberta e nos deixe uma boa receita;
2) Espero que a nossa Direção seja intransigente com os benfiquistas infiltrados que vão aparecer na loja com 40 cartões de sócio e querem levar 40 bilhetes (ou 30 ou 20 ou 10 ou mesmo 5). Por mim seria um sócio, um cartão, um bilhete e faria um esclarecimento a dizer isso mesmo)
3) Espero que o controlo da polícia e dos seguranças, evitando adereços benfiquistas na nossa bancada, seja rigoroso e efetivo.

PS - por falar em controlo apertado: há sempre seguranças zelosos a impedir os nossos adeptos de ficarem de pé no corredor. Ok, se é assim que mandam as regras. Mas frente ao FC Porto não havia centenas de portistas de pé no corredor da bancada poente? Só se aplica a alguns?

4.5.19

Gabriel

O jogo de ontem em Moreira de Cónegos mostrou-nos bem o que é Gabrelzinho: um jogador de técnica e velocidade como há poucos no futebol português mas ainda há procura de perceber o melhor momento para soltar a bola.
Também tem de melhorar a parte defensiva, seja no primeiro contacto com a saída de bola adversária seja  a recuar para ajudar/compensar.
Gabriel tem muito futuro pela frente.
Se o treinador da próxima época o fizer evoluir pode vir a fazer a diferença.

3.5.19

(1-2 em Moreira de Cónegos). Uma vitória feliz

Correu tudo bem mas o empate era o resultado mais justo.
O Rio Ave não dominou o jogo mas aproveitou as oportunidades.
Destaque para o grande golo de Nuno Santos.
Léo Jardim voltou a ser o melhor em campo.
A equipa trabalhou bastante e não ficou à espera da sorte (que também teve) para vencer.
Coentrão regressou ao onze e destacou-se pelo passe que deu o 1-0.
Venha o Benfica, venha mais uma vitória.
(Trigueira, o guarda-redes do Moreirense, vai ter mais um pesadelo esta noite; há muitos anos, enquanto nosso guarda-redes, foi trucidado com um golo de baliza a baliza marcado pelo guarda-redes Rui Sacramento. Hoje levou mais chapéu...)

Sub 23: subir o degrau, a escadaria ou sair de casa?


Após o campeonato sub 23 ter terminado resta ainda a luta pela Taça Revelação. Temos condições para vencer, tal como alguns dos nossos adversários.
Contudo, com 36 jogos já disputados teríamos uma base já interessante para podermos opinar sobre o que foi esta época...
Digo teríamos porque a verdade é que não temos apenas 36 jogos de muitos destes jogadores.
Muitos são de cá e "nasceram" no Rio Ave. Outros foram chegando e por cá estão há vários anos.
5 ou 6 já tiveram oportunidades na equipa "A", alguns dos quais há 3 e até 4 épocas atrás!!!
Pedro Cunha é treinador do Rio Ave FC e de muitos destes jogadores há 4 ou 5 anos.
São muitos anos, muitos jogos e muitas épocas para se poder avaliar o percurso.

Na época 14/15 tínhamos no nosso plantel de Juniores (alguns ainda com idade de Juvenil):
Pedro Cunha a treinador.
Jogadores:
Carlos Alves
Filipe Almeida
Tiago André
Vitó
Jaime Pinto
Zé Domingos
Rafa (fez a 1ª parte da época e foi importante para o primeiro lugar na fase regular, tendo saído em Janeiro... provavelmente por não ter as oportunidades que achou que deveria ter).

Nessa época subiu Boateng para jogar com regularidade, que depois veio a ser dispensado, teve oportunidade de jogar na primeira Liga e veja-se onde está e onde estão estes...

Outros como João Maravalhas continuam ligados ao Rio Ave FC - este na equipa B por exemplo.
Outros seguiram vida e por exemplo Pedro Matos está no Estoril sub 23 e marcou-nos um dos golos no último jogo, tendo ajudado a que não fossemos campeões.
Outros como João Cunha que chegou à equipa A nesse ano e fez 3 jogos também acabaram por sair.

Em 14/15 Vitó fez 2 jogos na equipa A e Carlos Alves já era o 3º guarda-redes - 4 anos após fizeram o mesmo!!!
Ficamos em 7º no campeonato de Juniores nesse ano.

No ano seguinte a estes, outros se juntaram como Schutte, Ricardinho ou Ruben Gonçalves nos Juniores... e dos que já lá estavam, por exemplo Tiago André ou Jaime Pinto chegaram a jogar na equipa A.
Ficamos em 3º no apuramento de campeão. Treinador? Pedro Cunha.

Portanto, temos uma base nos sub 23 com vários anos de casa... com algumas das melhores classificações nas camadas jovens, mas não temos nenhum com categoria para chegar à equipa principal?
Estes miúdos estagnaram... e este ano puderam voltar a jogar juntos e com regularidade... e agora?

Carlos Alves 3º guarda-redes há 4 anos. Se Leo sair, Paulo Vítor é melhor que Carlos Alves? Não estará na hora ou de ariscar ou deixar o homem ir à vida dele?

Tiago André estreou-se há 3 anos na equipa A. Nunca mais lá foi.
Com Matheus, Afonso e Fábio será difícil.
Mas não será melhor que compita num campeonato profissional? Não deveria ser emprestado a uma equipa de Liga II?

Kelechi... sem Ruben Semedo não será importante ter este jogador no plantel? ou então...Bianchi? Porque não?
Ainda há Silvério... Não podem ficar todos... mas não há espaço para um deles que seja... quando há espaço para Buatu?!
Os outros? Liga II emprestados? Ou Equipa B?

Martim? Leandrinho porquê...? Jambor, com bola é melhor, mas... Martim é mais duro e mais agressivo. Não seria uma boa alternativa no banco?

Vitó... pode fazer parte do plantel... sinceramente não vejo nele um titular e os anos vão passando. Não sei se não seria interessante fazer um ano na Liga II. Mas como alternativa a Tarantini ou até a Diego, pontualmente poderia ser mais rentabilizado no plantel.
Joca é de equipa A. Não tenho dúvidas. E foi para isso que foi contratado.

Jaime, para mim sem Galeno, sem Dala, mesmo com Gabriel e Murilo... Tem de ficar. Merece e tem qualidade.

André Silva fez 2 jogos na equipa A. Não mostrou muito.
Leandro precisa de amadurecer... mas pode amadurecer na equipa A.

Temos ainda Damien Furtado emprestado. Pelo que fez no início da época na equipa A acho que merece nova oportunidade. Tem golo... e as que contam são as que entram.

Agora os mais novos:

João Costa - com Nadjack e Junio, apesar da subida de rendimento deste último, o Costinha parece-me o que reúne mais condições para ficar na equipa A. Não sendo necessariamente o melhor dos sub23, por ser bom e por carência no plantel tem condições para isso. É o mais novo? E depois?

Queremos que João Costa e Diogo Teixeira acabem como os outros 100 e como provavelmente a maioria destes acima referidos porque ninguém apostou neles?

Diogo Teixeira foi no Verão passado campeão europeu de sub19.
Começou bem a época e foi nomeado juntamente com mais 3 colegas do Rio Ave FC para melhor jogador da fase regular da Liga Revelação. Na segunda fase perdeu fulgor e a perdeu a titularidade no final da época.
Falta saber se não foi por deixar de ser convocado para os sub20, quando viu os outros que com ele foram campeões continuarem a caminhada.
Só o Rio Ave é que praticamente deixou que um campeão Europeu sub19 ficasse nos sub 23.
Os outros ou muito ou pouco jogaram nas I ou II Liga, nas primeiras ou segundas equipas... ou até emprestados.. mas jogaram nas ligas profissionais.

A diferença de Moses Kean para Diogo é maior do que a diferença de qualidade média do plantel da Juve e do plantel do Rio Ave FC?

Florentino (a jogar na A) ou Jota estão no plantel principal do Benfica, mas têm imensos jogos na Liga II.
Os do FC Porto jogam na Liga II. Têm equipa B.
Miguel Luís joga no Sporting.
Carmo joga na liga II - Braga B. Trincão jogando muito ou pouco é do plantel principal do Braga.
Romain Correia joga no vitoria B Liga II
Domingos Quina é do plantel principal do Watford.

O que tem o Rio Ave de diferente? Será que são todos os outros que estão errados?

Ninguém aposta porquê? Os nossos são muito piores que os outros?

Repito uma ideia que escrevi no início do ano...
Vale a pena gastar dinheiro em formação quando em 10 anos se aproveitou um jogador? É ele Nelson Monte...
Antes dele Fábio Faria. Entre Fábio Faria e os dias que correm aproveitou-se Nelson Monte. Passaram seguramente mais de 100 juniores pelo Rio Ave nestes anos. Em 100 ficou 1...
Vale a pena?

Nota final: os 4 primeiros classificados da Liga Revelação não têm equipa B nos campeonatos profissionais.

Isto leva-nos a outra questão... É melhor ter equipa B numa liga profissional, ter sub 23, ter as duas ou ter os melhores emprestados?

Quer gostemos ou não nos últimos 4-5 anos a equipa que mais tem aproveitado a formação é o Benfica... e a segunda equipa é a equipa B. Não os sub23. Jogam na Liga II. Outros são emprestados.
Estes sub 23 para darem o passo seguinte, não ficando na equipa A, têm de ser emprestados à Liga II.

Portanto. para mim subiriam de caras:
João Costa;
Joca;
Jaime.

Na pré-época e não havendo reforços sonantes nas posições ficariam no plantel:
Carlos Alves - para jogar (nem que seja nas Taças... mas tem de jogar);
Kelechi ou Silvério mediante a necessidade das características;
Martim Maia;
Vitó (mediante a condição acima referida);
Teixeira;
Damien.
Não vão ser todos titulares. Mas com um nível semelhante ao plantel deste ano cabem 4 ou 5 destes nos 25-26.

2.5.19

Sub 23: Parabéns


Acabou o campeonato de sub23.
Parabéns ao Desportivo das Aves. Venceu. Acabou por vencer bem... infelizmente.

Entramos na última jornada como possibilidade de ser campeões.
Não fomos... e acabamos em 3º.
Não fizemos o nosso papel e isso saiu caro, porque quem nos podia ajudar, o Braga, de facto ajudou e empatou o Aves.
Acredito que tenhamos sido a equipa mais regular das duas fases, contudo os pontos da segunda fase valiam o dobro dos pontos da primeira. E a regra era essa desde o início; já sabíamos ao que íamos. Nessa segunda fase não fomos os melhores. Foi o Desportivo das Aves.

Acredito também que merecíamos ficar em 2º lugar... e que isso não aconteceu porque quisemos ser primeiros e sofremos um golo no final... De facto, ser 2º ou 3º é igual e é esta a mentalidade que devemos incutir em jovens que se querem ambiciosos na primeira equipa: não há que segurar empates. Se podemos ser primeiros... lutemos por isso.
Se não atingimos o objectivo, nunca devemos ficar satisfeitos com o lugar alcançado, mas devemos ter sempre orgulho pela forma como a ele chegamos.

Em suma: desengane-se quem pensa que perdemos o primeiro lugar no último jogo. Perdemos como disse na 2ª fase toda. No apuramento de campeão, em 5 jogos em casa, correspondentes a 15 pontos, conseguimos 4 (um empate e uma vitória). Um campeão tem de conseguir mais em casa. Em comparação, na primeira fase ficamos em primeiro porque ganhamos 10 jogos em 13 em casa.

Para finalizar, isto não invalida o excelente campeonato que esta equipa fez. Parabéns.
Pedro Cunha mostrou ser um líder com capacidade para aproveitar e tirar o máximo rendimento destes atletas na fase final da sua formação (deixar Kelechi no banco no último jogo, depois dele, que vinha a ser um dos melhores, ter falhado contra o Benfica, mostrou que é um líder: saber sentar quem quer que seja, como, onde e quando tiver de o fazer é de chefe)... e estes mostraram e potenciaram as suas qualidade, mostrando que estão presentes e vivos para que o clube olhe para eles, não como os filhos da casa, mas como os Homens da casa.

Escreverei um texto sobre o que esperar destes Homens da casa em breve, na minha opinião.

NOTA: Parabéns ao Desportivo das Aves. 2018 Taça de Portugal. 2019 Campeonato de sub23 e primeira manutenção assegurada na primeira liga (sempre que tinham subido, desceram no ano seguinte). Está de facto a crescer. Muito às nossas custas, por sinal.

Jogadores dos sub23 na equipa principal

Após ter visto a maior parte dos jogos da equipa sub23, arrisco a minha opinião: há 3 jogadores com condições para alinhar na equipa principal (não estou a dizer que são titulares de caras, mas que podem jogar e ajudar a equipa):
- Costinha
- Tiago André
- Vitó
- Joca (embora tenha vindo para a equipa principal, fez os últimos jogos pelos sub23).
(esta foto tem quase 3 anos; vai ser agora?

(outros elementos, como Diogo Teixeira ou Kelechi, podem continuar o seu amadurecimento nos sub23 da próxima época