31.12.19

A desilusão da época

Esperava muito mais de jogadores como Nuno Santos, Bruno Moreira ou Gabriel, mas nenhum deles é a desilusão da primeira volta - essa cruz é carregada por Diogo Figueiras.
Por quatro vezes escolhi-o como o pior em campo (só jogos do campeonato), um número que nenhum outro jogador atingiu até agora.
É preciso ver que, embora vindo de uma paragem longa, Diogo Figueiras tem um percurso notável no Sevilha e passagens pelo Génova ou Olimpiakos.
Pelo que fez nesta primeira volta não é o mesmo!
Tem obrigação de fazer muito melhor na segunda - e acredito que o fará!

30.12.19

"O Rio Ave é um viveiro de grandes talentos"

O Presidente deu uma entrevista ao site Bancada e fala sobre o que mudou nestes mais de 10 anos.
Uma das coisas que diz, quando contratou Nuno Espírito Santo, foi que "Acabamos por conjugar ideias, pensamentos, e um projeto que passava por colocar o Rio Ave a lutar pelos primeiros lugares, a ir bem longe nas taças e a participar nas provas europeias".
O Presidente também fala sobre os jogadores que têm passado pelo Clube, sintetizando: "O Rio Ave é um viveiro de grandes talentos".

Completamente verdade.
Curiosamente, esta época, não há jogadores a destacar-se, sinal de que a época não tem sido brilhante (basta ver a exaustiva análise do Goalpoint à primeira volta).
Mais curioso ainda: o jogador que mais se tem evidenciado está longe de ser uma unanimidade entre os nossos adeptos, pelo que se tem lido nas redes sociais: Filipe Augusto.
Para mim também tem sido o melhor.
Não vai haver vendas no final da época?

29.12.19

ASC deixa ameaça sobre próxima Taça da Liga

«Temos de repensar a Taça da Liga. A começar logo no sorteio, que não é justo e favorece os grandes. É também inconcebível que um jogo do primeiro classificado do grupo não tenha direito a VAR. Se não alterarem as regras dificilmente voltaremos a apostar nessa competição...», afirmou ainda António Silva Campos, fechando o tema com um recado à tutela do futebol: «Espero que aquilo que nos aconteceu seja um exemplo para que se procurem soluções.»

PS - penso que todos os Rioavistas se reviram na forma dura como o Clube reagiu à arbitragem do jogo com o Gil Vicente. Tinha de ser. Como já devia ter sido, ao longo dos últimos anos, uma ou duas vezes. 

28.12.19

O que significa o recuo de Carvalhal

Começo por lembrar que escrevi no dia seguinte ao jogo e ao anúncio da demissão que gostaria que Carvalhal continuasse se conseguisse encontrar a motivação certa e não apenas porque tem de cumprir o contrato.
Carvalhal respondeu que 'volta' mais motivado do que nunca.
Acredito sinceramente que sim.
Mas Carvalhal sabe e todos sabemos que não basta querer ou dizer.
Ele, aliás, pôs o dedo na ferida, quando acrescentou: "já tive oportunidade de falar com os jogadores, espero que isto nos torne mais fortes. Não é fácil fazer um reset sobre isso depois do que aconteceu, mas temos a capacidade de nos renovar perante as adversidades".

Carvalhal disse em tempos que estávamos a fazer uma época brilhante.
Não é a minha opinião.
Mas, mais importante, a equipa tem feito jogos sofríveis (exemplo? o último, frente ao Gil Vicente, em que nos tiraram um golo limpo, mas não é certo que nos tenham tirado um lugar na fase final, até porque ficou 1-1).
A equipa vai jogar melhor a partir de agora?
PS - na conferencia de imprensa de ontem, ASC disse duas coisas importantes: "temos muita qualidade no plantel" e, sobre a arbitragem do jogo do Gil Vicente, "as pessoas responsáveis já assumiram o erro".

27.12.19

Carvalhal fica ("mais motivado do que nunca")

Carvalhal acaba de explicar que foi sensível aos argumentos de ASC, considerando também que "sair por estes motivos seria uma mancha para o futebol português": «Seria muito mau para o país futebolístico. Tenho consciência que isto ia sair para fora e não quero estar a dar um significado grande à minha pessoa, mas uma saída de um treinador por estes motivos seria mau para o futebol português: saírem notícias destas para Inglaterra, para a UEFA e para a FIFA. Devo muito ao futebol português e acho que não o devia fazer, seria altamente lesivo», afirmou, ainda.

"Estou mais motivado do que nunca", disse o mister. "No primeiro e segundo dia [depois do sucedido], eu confesso que senti a maior frustração da minha vida, mas a partir daí, depois de ter conversado com o presidente António Silva Campos, as energias renovaram-se e vou continuar no Rio Ave mais motivado do que nunca".

"Se não conseguimos atingir os nossos objetivos, não estou aqui a fazer nada", continuou explicando depois o que o motivou a continuar no clube: "Depois do natal fizemos a redefinição de objetivos e também tive atenção ao facto de ter contrato. Pensei na conversa que tive com o presidente no início da época, pensei na forma como sou tratado aqui e decidi continuar. Pensei também que não o deveria fazer porque seria mau para o futebol português saírem notícias dessas para Inglaterra, para a UEFA e para a FIFA. Mantenho o que disse e espero que, a partir de agora, haja futebol. Estamos mais motivados do que nunca para cumprir o nosso vínculo".

"Desde setembro que chegam propostas da Arábia, para Inglaterra, para os EUA, para a Turquia e para o Brasil, mas digo sempre que tenho vínculo com o Rio Ave. Já tive oportunidade de falar com os jogadores, espero que isto nos torne mais fortes. Não é fácil fazer um reset sobre isso depois do que aconteceu, mas temos a capacidade de nos renovar perante as adversidades".

26.12.19

Carvalhal? Só amanhã...

As novidades estão guardadas para amanhã depois do almoço.
Pelos vistos só nessa altura se saberá se Carvalhal continua ou não.
Eu continuo a pensar que Carvalhal continuará.
A época não é brilhante mas é positiva.


24.12.19

Presentinhos de Natal

Caro Pai Natal,
Acho que me portei bem neste ano e deixo-te aqui a minha lista de prendinhas:

1) Passa na casa do Carvalhal e deixa-lhe um saco de motivação para o que resta da época;
2) Traz um médio de qualidade e um ponta de lança que marque... golos;
3) Faz com que acabem as obras da Academia o mais depressa possível, para se começar a demolição da bancada ainda antes do Verão.
4) Deixa um bom computador no Estádio para acabarem a renumeração...


PS - se achares muito, segue a ordem da lista.

23.12.19

"Uma equipa destroçada" - e agora?

Carvalhal disse o que disse, já falámos sobre isso.
Alguns minutos depois, o Presidente acrescentou "Sinto-me indignado, venho do balneário e tenho uma equipa destroçada".
Mais tarde, mas no mesmo dia, o diretor geral escreveu no seu Facebook: "É duro ter de encarar um grupo destroçado por algo que subtraiu um sonho e o esforço de muitos dias."















Infelizmente, não vamos estar na final four da Taça da Liga, é assunto encerrado.
Preocupa-me o dia seguinte.
Preocupa-me como vai a equipa recuperar deste choque.
E preocupa-me porque - sejamos claros - as coisas já não estavam bem antes.
O Rio Ave quando ganha é por 1-0 e, desde o jogo em Alvalade, que não apresenta um futebol de qualidade.
Sou só eu que estou preocupado?

22.12.19

Carvalhal volta atrás? (ATUAL.)

Carvalhal, nas declarações à Sporttv, disse que a decisão de se demitir não era tomada a quente. Que era o que pensava e ponto final ("Quando não acredito no que estou a ver, vou pedir a demissão, pois não quero continuar assim").
Muitos acreditam, no entanto, que se deixou levar pela emoção e que continuará como nosso treinador.
A minha grande dúvida é outra: continuará, mas suficientemente motivado? Continuará apenas porque tem de cumprir o contrato (imagino que o Rio Ave não esteja interessado em deixar o míster sair e que isso esteja previsto no contrato)? Conseguirá dar a volta ao seu próprio estado de espírito e empurrar a equipa para uma segunda volta ainda melhor?
Se sim, gostaria que continuasse.
(foto: Rio Ave FC)

PS - espero que o Clube esclareça o mais depressa possível a situação.

Atualizado a 23/12 «Vamos tentar convencê-lo a ficar. Ele está muito magoado com o futebol português. Tivemos uma reunião hoje e vamos esperar que passe a quadra natalícia. Dia 26, vamos ter uma nova reunião onde iremos decidir o futuro», afirmou ASC. "Serei a pessoa certa para o convencer a continuar". «Ele apresentou a demissão num momento de revolta, mas agora com um pouco mais de calma, vamos repensar em tudo e vou tentar convencer o Carvalhal a continuar no nosso projeto. Não é atirando a toalha ao chão que se resolvem os problemas. No momento certo vamos comunicar a nossa decisão, mas acredito que irei convencê-lo a ficar»

21.12.19

O que disse Carlos Carvalhal no final da partida. (ATUAL)

O que disse Carlos Carvalhal no final da partida na "flash interview":

..."Sou uma pessoa coerente e séria, tenho a ficha limpa. Vou pedir uma reunião com o presidente e vou pedir a minha demissão. Não estou para viver uma situação destas, isto não é o meu futebol, o meu jogo. Quando não acredito no que estou a ver, vou pedir a demissão, pois não quero continuar assim. Ando a trabalhar arduamente, faço um trabalho honesto, os jogadores trabalham arduamente e não conseguem porquê? O que estou aqui a fazer? Estou aqui para conseguir êxitos e não os consigo sem ser relacionado com o meu trabalho nem com o dos jogadores, não estou aqui a fazer nada. Não quero isto para a minha vida"...
 


Presidente partiu a loiça e falou no final do jogo na conferência de imprensa,  surgindo ao lado de Carlos Carvalhal sendo que este  não falou após as declarações do presidente.
  


O que disse o presidente:

..."É muito difícil conter-me. Sinto-me indignado, venho do balneário e tenho uma equipa destroçada. Este clube merece respeito, Não tenho nada contra este árbitro [André Narciso], que é jovem e tem o direito a fazer o seu percurso, mas quando estamos a discutir uma final four da Taça da Liga pergunto por que razão nomeiam um árbitro internacional para um jogo [Portimonense-Sporting] e para outro um jovem árbitro que está a dar os primeiros passos. Não acredito que seja intencional, mas há erros crassos que podemos por em causa todo o seu trabalho. Tivemos um lance que consideramos limpo, o golo deveria ter sido validado e não foi. Deveríamos estar na final four, mas roubaram-nos isso. O que digo poderá ter consequências, mas temos de assumir a nossa responsabilidade e mostrar a nossa indignação"...


ATualizo a 24/12:  "A nossa indignação mantém-se, roubaram-nos um sonho. O Rio Ave tem respeitado muito o futebol português, não somos de dizer mal da arbitragem. Quando mostramos a nossa indignação é altura de dizer 'basta'. É nos momentos difíceis que temos de estar unidos". (LINK

Árbitro tira-nos a final a 4 da taça da liga.

Perdemos 1-0 com o Gil Vicente.
Não aproveitamos o vento a favor  do “Fabien”, nome da tempestade que se abateu hoje em Vila do Conde, numa 1ª parte sempre com mais posse, sempre a jogar no meio campo do adversário, mas o nosso futebol foi sempre muito inconsequente. Nos 1ºs 20 minutos tivemos apenas um remate com perigo através de livre por Nuno Santos, e um fora de jogo mal assinalado a Medhi, depois vieram 5 cantos consecutivos, e foi só o que conseguimos fazer com o vento pelas costas…Muito pouco para quem queria a final a 4.Com o Portimonense  a vencer o Sporting por 2-1 ao intervalo, o Rio Ave já estava fora da final a 4 no final da 1ª parte.

Na segunda parte, tudo foi diferente apesar do vento contra, CC faz 2 substituições aos 57´,arrisca tudo, passa a jogar com 3 centrais,  tira Diogo Figueiras e Bruno Moreira e coloca Mané e Ronan, a partir daqui só houve uma equipa a jogar,  o Gil só defendeu, Medhi não marcou nas duas boas oportunidades que teve,  e até marcamos aos 84' por Piazon, mas o árbitro anulou um gololimpo, por carga ao guarda redes do Gil, sem vídeo árbitro, este golo anulado acaba por ter influência direta no jogo, já em desespero o Rio Ave sofre um contra ataque do Gil, e Paulo Vitor faz penalty ao minuto 93, 1-0 para o Gil e o resultado final. Perdemos o jogo, perdemos o acesso á final a 4, mas caímos de pé! O Sporting depois de vencer em Portimão é o finalista do nosso grupo.

Declarações de CC no final, a quente pede a demissão em reunião com o presidente...
Esperemos que mais a frio, reconsidere... 

20.12.19

Um Rio Ave de qualidade para imitar um Rio Ave brilhante (Taça da Liga)

O Portimonense entra em campo com os mesmos golos marcados e sofridos que o Rio Ave, mas com melhor média etária.
Ou seja, só dependemos de nós, mas provavelmente teremos, de ganhando,  marcar mais golos do que o adversário.
Já se sabe que o Gil Vicente vem com a segunda equipa, mas vamos estar a contar com isso para os derrotar?
O jogo de amanhã é um grande teste.
Um Rio Ave de qualidade vai conseguir a estreia nesta fase final e, quem sabe, repetir a final de 2014 - aí, sim, fomos brilhantes!
(Tarantini e Filipe Augusto continuam)

19.12.19

6º lugar e "Quartos" da Taça - Brilhante, Mau ou Mesmo de Sempre?

Paragem do campeonato e Taça de Portugal: aparentemente com lugar aceitável na Liga Nos e a disputar a competição a eliminar.

Haverá antes do fim do ano civil um jogo que poderá dar (e somos favoritos para que isso aconteça) a presença na final-four da Taça da Liga - "basta" ganhar em casa ao Gil Vicente.

Estes resultados estatísticos para Carvalhal demonstram uma época brilhante para uma equipa que não tem argumentos para os 3 grandes nem para os 2 mais fortes do Minho. (Dito assim concordo)
Para uma parte dos adeptos a época está a ser má, tendo um dos melhores treinadores e um dos melhores planteis de sempre. (Dito assim também concordo...)

A questão aqui é: estamos mal? estamos brilhantes? estamos na mesma? ou estamos pior do que o poderíamos fazer mas acima da média num campeonato que está cada vez mais fraco?

Sinceramente acho que a pergunta mais adequada para receber um "sim" é a última.

Para o plantel e treinador que temos, estamos pior do que aquilo que poderíamos fazer, mas isso não se nota na tabela em termos de classificação, porque o nosso campeonato está cada vez mais fraco.

Houve duas frases que me fizeram pensar sobre isto esta semana. Uma de Cândido Costa: "Estive em clubes, que não o FC Porto, que com estes planteis dos 3 grandes, nós também seríamos candidatos com as equipas que tínhamos" e outra de um jornalista do Record: "Se estamos a criticar tanto tanto tanto o Sporting e todos concordamos que os Sporting está pelas ruas da amargura, a jogar um futebol deplorável, o facto de ter chegado ao terceiro lugar mostra bem a qualidade do campeonato português."

Posto isto: nós estamos com uma pontuação dentro daquilo que têm sido os nossos 4 anos, ou seja, pouco abaixo da média de 1,5pontos por jogo, como sempre. Por outro lado, temos um treinador com mais experiência e mais portefólio do que os outros e um plantel  mais equilibrado e com jogadores melhores que os de outros anos a fazer o mesmo mas contra equipas piores. Deixar-se empatar em Portimão contra 10 foi só mais um exemplo... inaceitável, diga-se.

Portanto. Estamos na mesma numericamente, mas pior qualitativamente.

Acredito que para isso contribui a falta de eficácia na finalização. Bruno Moreira falha, mas os outros também e nos últimos jogos viu-se que Taremi também falha. (Já agora, mete-me confusão ver gente aplaudir um jogador que pediu para ser expulso).

Posto isto, além do 6 que acho precisamos desde o início da época e do 8 que passamos a precisar com a lesão de Jambor, temos de tentar encontrar um ponta-de-lança que possa marcar mais golos que Bruno, mas que não trabalhe muito menos que ele, porque isso é que o distingue e lhe garante o lugar na equipa: corre muito mais que os outros.

Declaração de interesses: se eu fosse treinador do Rio Ave FC, com este plantel, Bruno Moreira também jogava sempre.

Nota 1:
Penalties: o mal não é do Filipe Augusto. Havia quem pedisse Nuno Santos ao mesmo tempo que insultava FA... o pedido foi concedido.

Nota 2:
Melhor jogador desta primeira fase da temporada para mim é Filipe Augusto.

18.12.19

"Uma época brilhante" (Carvalhal)

No final do jogo com o Marinhense, Carvalhal afirmou: "Não estamos plenamente satisfeitos, mas uma equipa com os recursos do Rio Ave estar no sexto lugar, nos oito apurados na Taça e se chegar à final-four da Taça da Liga, é muito bom. Não se pode exigir mais. Temos feito uma época brilhante para os recursos que temos."
(foto: Facebook Rio Ave FC)

O meu comentário: se não estou enganado, o Rio Ave tem o plantel mais caro de sempre. O sexto mais caro da primeira liga. 'Para os recursos que temos'?


17.12.19

Taça de Portugal: 0-2 na Marinha Grande. Diferença entre as equipas era muito grande

O Rio Ave ganhou por 2-0 e ainda falhou uma grande penalidade (Nuno Santos), mais um lance que parecia penalti, por Taremi.
Sem jogar bem, longe disso, o Rio Ave justificou a vitória pela qualidade individual dos seus elementos, frente a uma equipa aguerrida (tiveram mais remates à baliza na primeira parte do que nós) mas muito limitada.
Carvalhal apresentou um onze forte (Monte a defesa direito, Messias no lugar de Borevkovik) mas faltou qualquer coisa à equipa (velocidade? foco? concentração? atitude? Um pouco de tudo?).
Paulo Vítor foi um dos melhores em campo do nosso lado.
Agora venha o Varzim!


16.12.19

O melhor onze frente ao Marinhense

Em Condeixa o Rio Ave não apareceu na máxima força (Diego Lopes e Taremi no banco, Filipe Augusto a descansar, Ronan, Amaral e Jambor no onze) e sofreu para ganhar 1-0.
Frente ao Alverca, o míster ainda meteu mais carne na equipa titular (faltaram apenas Kieszek e Nuno Santos, lesionado) mas ainda assim não fizemos um jogo brilhante.
Amanhã na Marinha Grande, pede-se os melhores jogadores e, sobretudo, a melhor atitude.
Afinal, se estar no Jamor é um objetivo, têm a palavra decisiva os jogadores.
E o míster sabe bem como é lá chegar!
"Vamos jogar na máxima força, sem pensar em sábado" disse hoje CC

15.12.19

Kieszek tem sido determinante

Chegou com a sombra de Léo Jardim ainda presente.
Muitos de nós disseram e pensaram que o Rio Ave podia ter arranjado outro guarda-redes quando se anunciou Kieszek.
Pode não ser um jogador que consigamos vender, devido à idade, mas nesta altura é forçoso reconhecer que tem sido determinante e já segurou vários resultados!
Na análise que fiz aos reforços em outubro coloquei Taremi num patamar superior e Kieszek como uma das boas contratações. Acabo de o promover para o top!

13.12.19

(Rio Ave empata 1-1 em Portimão). Bom pelo ponto, mas que segunda parte fraca!

A equipa regressa de Portimão com um ponto. Não é mau.
Mas a primeira parte foi claramente nossa e justificava a vantagem.
Na segunda desaparecemos e - mesmo com 10 - o Portimonense foi melhor (até mais posse de bola teve!).
Aderllan (que grande defesa com os pés!) e Kieszek - os melhores em campo - seguraram o empate, que acaba por ser bom para nós, já que o Portimonense fez tudo para vencer.
Uma seguna parte em que não criámos perigo, com muito pontapé para a frente e desinspiração coletiva.
(o jogador do Protimonense acreditou que podia recuperar a bola e foi lá, O nosso ficou a dormir. Deu golo...)

PS - Carvalhal repetiu o onze do Gil Vicente, execeto nos dois castigados. Não houve poupanças, pelo menos do seu lado.



Carvalhal leva os melhores para Portimão

Pelas imagens divulgadas no FB, fica desde logo a perceber-se que Carvalhal não vai usar jogadores dos sub23 logo em Portimão.

Tirando Taremi e Matheus, mais os lesionados Nadjack, Jambor e Piazon, vão todos os restantes:
- Kieszek e Paulo Vítor
- Pedro Amaral, Junió e Figueiras;
- Messias, Monte, Borevkovic e Aderllan;
- Filipe Augusto, Tarantini, Vitó, Diego Lopes e Joca;
- Gabriel, Nuno Santos, Mané, Bruno Moreira e Ronan.
Vamos esperar para conhecer o onze e perceber se a minha previsão (apenas quatro titulares repetem face ao jogo de segunda) bate certo...

12.12.19

Ilegalidades nas obras da sede? "Completamente legais" diz Presidente

Um texto no último JVC que não me passou despercebido.
Parece-me que ficaria bem um esclarecimento por parte do Clube.

ATUAlizo: Fui contactado a meio da manhã pelo Presidente do Rio Ave, que me garantiu, nomeadamente, que "as obras estão completamente legais" e que "está tudo direitinho".

Aproveito para agradecer esse esclarecimento mas também para deixar uma nota, que é, aliás, repetida, em vários textos meus: este texto do JVC não é uma mera opinião, mas faz-se de factos. Pelos vistos, falsos, ainda bem para todos nós. Mas trata-se de um texto que já foi publicado há mais de uma semana, a Direção já reuniu entretanto. Os sócios e adeptos que o leram mereciam um esclarecimento na hora. Surgiu agora.

11.12.19

4 jogos, 3 vitórias (ATUAL:)

Jogo na segunda à noite, 'folga' para os titulares ontem e treino hoje. Amanhã é viagem para Portimão.
Não me admira que Carvalhal faça alinhar uma equipa sem vários dos titulares mais utilizados.
Porque estão cansados?
Não, principalmente porque quatro dias depois há o jogo da Taça de Portugal, onde queremos garantir um lugar nos quartos de final (e quatro dias depois, Taça da Liga, com o Gil Vicente, outra vez em Vila do Conde).
Não faz sentido por os mesmos jogadores a fazer 4 jogos em 11 dias.
O jogo com o Portimonense é aquele que mais facilmente podemos descartar!
(apenas quatro destes jogadores vão ser titulares em Portimão, é a minha aposta! Taremi e Matheus são ausências certas, por castigo; outros se lhes juntarão...)

PS - por falar em jogos em casa, o relvado aguentou-se muito bem na segunda-feira.

ATualizo a 12/12: "A gestão da equipa não se justifica porque o espaçamento entre jogos cumpre o mínimo que eu considero para os jogadores para estarem aptos. Gostaria de ter mais um ou dois dias para preparar este jogo, mas não é um problema. A gestão que pode ser feita estará relacionado com a análise do momento de cada jogador." /Carvalhal esta manhã)

10.12.19

13j - Gil Vicente: gostei.

Começo pelo fim: Vítor Oliveira diz que o Gil Vicente deveria ter somado pelo menos um ponto no jogo de ontem. Eu não concordo. O técnico dos gilistas diz que seria mais consentâneo com as oportunidades criadas pelas duas equipas. Também não concordo. Mesmo sem recorrer a estatísticas, não me parece que haja paridade em situações de golo. O que me parece é que o Gil Vicente só queria mesmo o pontinho que não conseguiu somar, veio jogar para isso e na expectativa de aproveitar um erro nosso. Não conseguiu, quase não existiu até sofrer o golo e depois reagiu com coração mas sem muita cabeça.

Do jogo: gostei de ver o Rio Ave a entrar forte nas duas partes. Por esses momentos deveria ter tido uma vantagem mais gorda no marcador, mas foi perdulário. Foi pena esses momentos de bom futebol e oportunidades não terem durado mais de 10 minutos em cada parte. Fiquei com a ideia que a equipa precisava de "mais treinador", já que teve os seus melhores períodos depois de estar com o mister no balneário. Também gostei muito de Diego Lopes. Foi empreendedor, perigoso e decisivo. O 10 apresentou ontem uma alegria com a bola nos pés como já não se via há algum tempo. 

Por contraste, Mané, não estando mal, dá ares de não estar com grande confiança. Um desequilibrador como ele deveria ter sempre uma ponta de arrogância para partir para cima dos adversários. 

Mal estivemos no que toca ao controlo de emoções. Tanto o amarelo a Borevkovic como o vermelho a Taremi são situações completamente evitáveis. Não há necessidade de nos expormos assim a cartões. Condicionar tanto o jogo colectivo com micro-explosões de mau temperamento individual não deveria acontecer num ambiente tão profissional. Claro que na bancada é sempre fácil falar, mas mesmo assim reagir tão a quente foi desadequado. Não estávamos em situação de desespero na tabela para reagirmos como se o jogo fosse decidir o destino da equipa nesta temporada. 

O adversário: descontando já as palavras do seu técnico, gostei da atitude guerreira e combativa. Muito fortes, viris, sem medo do choque. Têm é de aliar a essas qualidades mais 40 metros de campo ofensivo durante todo o jogo porque ficar à espera de sofrer para marcar não é, por norma, boa política.

9.12.19

(1-0 ao Gil Vicente). Podiam - e deviam - ter sido mais

Boa entrada do Rio Ave, com algumas oportunidades na primeira parte e domínio completo dos acontecimentos (um lance de perigo para os de Barcelo).
O golo chegou na segunda, num bom lance de Diego Lopes, transformado em grande penalidade por Taremi.
O adversário tentou  a resposta, mas só a expulsão de Taremi permitiu ao GV criar perigo (Taremi foi aplaudido pelos adeptos mas não por mim. Perdeu a cabeça e podia ter comprometido a equipa). Mesmo no final, quando o GV finalmente tentava empatar, Kieszek segurou o resultado.
Resultado perfeitamente ajustado, escasso, mesmo, que premeia a única equipa que quis realmente ganhar o jogo.
Melhor em campo: Filipe Augusto (pelo que jogou e ajudou a jogar), mas gostei bastante de Diego e de Aderlan Santos (além de Kieszek, muito seguro, mas com pouco trabalho em 90 minutos).

PS - Tarantini fez o jogo 300 e quase marcava.



8.12.19

10º lugar...

Já aqui se falou das duas 'finais' que a nossa equipa tem pela frente no final deste mês.
Ainda por cima, os próximos 4 jogos serão realizados em 11 dias, de quatro em quatro dias (ver abaixo).
Também já aqui se falou nas vantagens de ter a (melhor) equipa apta para essas duas 'finais'.
O problema é outro: nesta altura o Rio Ave está em 10º lugar (com menos um jogo do que outros adversários), posição impensável para o investimento feito na equipa e para os próprios objetivos mínimos que todos colocaram.

Ou seja, precisamos do melhor Rio Ave para ganhar ao Gil Vicente.
E o melhor Rio Ave não pode dispensar Nuno Santos, Tarantini ou Diego Lopes, que - se não estou enganado - já treinaram com a equipa nos últimos dias.
(o jogo de 300 não é apenas marcante para Tarantini. É-o para o futebol português e para todos nós Rioavistas. Um aplauso gigante é o mínimo que se espera, além de um cântico especial da claque)


Liga13 9/12 (segunda-feira) 20h15 Rio Ave - Gil Vicente
Liga14 13/12 (sexta-feira) 20h30 - Portimonense - Rio Ave
Taça de Portugal 17/12 (terça-feira), 20h30: Marinhense - Rio Ave
Taça da Liga 21/12 (sábado), 17h Rio Ave - Gil Vicente

7.12.19

Futsal: Rio Ave vence 6-1 o Freixieiro. Segunda parte demolidora

Bom jogo da nossa parte, segunda parte de luxo.
O resultado espelha a diferença de qualidade das duas equipas, sendo que - nos momentos certos - o nosso guarda-redes soube dizer presente.
O único momento equilibrado aconteceu na primeira parte, quando Crud fez rodar a equipa e algumas assimetrias no plantel ficaram bem à vista.
Um cinco -base com Cláudio, Balão, Lincoln (o melhor, hoje), Zé Paulo e João Miguel faz-nos alimentar a esperança da subida de divisão.
Mas, claro, não podem jogar apenas estes e, relativamente a vários elementos do plantel, o treinador tem muito trabalho pela frente.
Atitude nunca faltou.
Bom jogo, frente a um adversário aguerrido, mas sem pedalada para uma segunda parte demolidora do nosso lado.
Venha o próximo.
(Cláudio, o guarda-redes, com boa exibição hoje)

6.12.19

Sub23: os melhores marcadores

Realizados 18 jogos, eis a lista:

1º Bruninho: 8 golos (1220 minutos, média 0.44)
2º Manuel Namora: 5 golos  (515 minutos, média 0.56)
3º Vitó: 3 golos (807 minutos, média 0,30)
3º Schutte: 3 golos (1144 minutos, média 0.20)

Carvalhal tem estes números?
(foto: Facebook Rio Ave FC)


5.12.19

O nosso relvado não aguentou (CORR.)

Imagens do jogo dos sub23 realizado na terça-feira em Vila do Conde:
É evidente o desgaste do relvado.
Nos últimos dias houve dois jogos dos sub23 e terá sido isso a contribuir.
Percebe-se que foi colocada areia.
A grande questão: como estará o relvado na segunda-feira domingo?

PS - o próximo jogo dos sub23 volta a ser em casa, um dia dois dias depois do jogo de domingo com o Gil Vicente. Por isso o jogo será na Trofa.

4.12.19

Alternativas a Bruno Moreira

Bruno Moreira continua a falhar as melhores oportunidades da equipa.
É o líder do campeonato.
Todos os avançados têm momentos menos bons e é para isso que existem alternativas.
No caso do Rio Ave, Bruno joga sempre.

(para que não haja dúvidas: não estão em causa quer a entrega quer o profissionalismo do jogador. E se for o titular frente ao Gil Vicente, que marque pelo menos 3 golos. Tem qualidade para isso. Só que não podemos ficar reféns da situação)

3.12.19

O relvado, míster?

«Entrámos bem no jogo, mas, a partir do primeiro quarto de hora, perdemos confiança, talvez pelo relvado» disse o nosso treinador no final.
É verdade que tivemos a primeira oportunidade do jogo, mas foi a única na primeira parte.
Já o relvado?
Desculpem-me os mais entendidos, mas não percebo. Não estavam 22 jogadores em campo?
O Braga abafou-nos por completo em quase toda a primeira parte.
Já na segunda parte, com o mesmo relvado ou pior, fizemos 30 minutos bons e deviamos ter marcado (sim, ninguém nos tira o recorde das oportunidades falhadas).
(foto: Facebook Rio Ave FC)

Das duas, uma: ou o míster está errado (eu, que não percebo nada, acho que está) ou, se está certo, não percebo porque é que os jogadores perderam confiança por causa do relvado, e só na primeira parte!

2.12.19

Rio Ave perde 2-0 em Braga. Falta confiança

Primeira parte muito fraca da nossa equipa, sem velocidade e intensidade.
Na segunda parte tudo mudou.
Primeiros 30 minutos são nossos, com várias oportunidades.
Azar e azelhice impediram de marcar.
Aproveitou o Braga, que marcou o segundo e acabou com o jogo.

As lesões de alguns jogadores influentes pesaram mas não foi só isso, a equipa parece viver uma crise de confiança.
Melhor em campo: Kieszek (apenas mais dois jogadores com nota positiva: Aderllan e Matheus)

Notas finais:
- Carvalhal surpreendeu com Pedro Amaral a médio interior (deu nas vistas no ataque, na segunda parte, de resto não se viu);
- Junió também foi titular (nada de especial);
- Vitó teve a sua estreia no onze (esperava mais);
- Na segunda parte ainda entraram Joca e Schutte, mais duas estreias, mas com pouco tempo para se mostrar.


1.12.19

A vez de Vitó

A confirmarem-se as diversas notícias que saíram durante a semana, não teremos Tarantini (mesmo que esteja quase recuperado) nem Diego Lopes em Braga. Também não há Jambor (à espera de ser operado).
Significa isto que, sendo o meio campo o setor mais frágil em termos numéricos do plantel (como várias vezes aqui se escreveu no início da época), teremos Filipe Augusto e Vitó naquele espaço do terreno.
Será a primeira vez de Vitó a titular esta época, ele que se estreou pela equipa principal há quase quatro anos! Não se pode falar de um jogador inexperiente...
(janeiro de 2015, estreia frente à Académica, Taça da Liga)

A dúvida está no outro elemento do meio campo. Haverá médio avançado? Taremi poderá fazer essa posição? Jogaremos com quatro homens na frente, como aconteceu frente ao Alverca?

Carvalhal: «Na minha carreira nunca me lamentei das ausências porque penso que é um desrespeito por aqueles que estão disponíveis. Como o nome da Novela 'Na Corda Bamba' temos nesta altura 5 jogadores nessa situação. Só amanhã saberemos para que lado irão cair. Daí termos esta semana feito treinos com jogadores da equipa de Sub-23 e que estão preparadíssimos para ajudar a equipa. Este escalão serve essencialmente para isso. Pode até servir para eles imporem-se na equipa. O Plantel não é muito vasto. Mas o que quero transmitir é que não nos iremos apresentar fragilizados em Braga. Vamos discutir o jogo e lutar pelos 3 pontos seja com que jogadores nos apresentemos»

30.11.19

Um dezembro decisivo

Dezembro vai decidir a continuidade em duas provas nas quais temos expetativas legítimas: Taça da Liga (chegar à final four) e Taça de Portugal (o Presidente já disse que o objetivo é estar na final).

Serão dois jogos seguidos, primeiro o Marinhense, para a Taça de Portugal (terceiro jogo, terceiro adversário do terceiro escalão, o que é que queremos mais?) e alguns dias depois recebemos o Gil Vicente para a Taça da Liga, onde temos boas condições para nos apurarmos.

Eis o calendário:
Liga13 8/12 (domingo) 15h Rio Ave - Gil Vicente
Liga14 13/12  (sexta-feira) 20h30 - Portiminense - Rio Ave
taça de Portugal 17/12 (terça-feira), 20h30: Marinhense - Rio Ave
taça da liga 21/12 (sábado), 17h Rio Ave - Gil Vicente

Vamos agora à parte 'sensível': faz sentido Carvalhal jogar com o calendário e preparar os dois jogos ou é jogo a jogo e depois vê-se? Em concreto, faz sentido proteger, em termos físicos, alguns jogadores para essas duas finais? Eu acho que sim!

29.11.19

Primeiro Terço


Findo o primeiro terço da temporada, considero que a época é satisfatória. Não sendo má, não está a ser nada que se possa considerar bom.
Estamos na Taça da Liga onde sabemos que ganhando ao Gil Vicente em casa passamos às meias finais.

No campeonato os 3 pontos contra o Vitória FC (Setúbal) bem como na Taça de Portugal a passagem, foram fundamentais:

- 3 pontos muito importantes (todos os pontos são, mas numa sequência de 2 pontos em 12, estes ganham maior relevância);

- 16 equipas na sobram na Taça: 8 da Liga Nos e outra metade de outras Ligas. Sorteio favorável e o vencedor da competição tem acesso directo à Liga Europa.

No entanto, estas exibições foram pobres para o que a finalizar o primeiro terço da temporada onde eu esperava outra qualidade de jogo.

Além da exibições da equipa que estiveram longe de ser boas, ficam também algumas desilusões com jogadores que deveriam estar em melhor forma nesta fase.


Na baliza não vejo problema nenhum enquanto Pawel não for castigado ou se lesionar.
Paulo Vítor nas taças (e Carlos Alves no sítio do costume...).

Na defesa à direita, Figueiras está a subir, mas longe do que esperava neste momento. Contudo, não abre as covas que Junio e Nadjack nos habituaram. É verdade também que, não defendendo tão bem quanto Monte, dá mais apoio no processo ofensivo e com isto parece-me a solução mais completa. Gostava de o ver fazer 90 minutos 3 ou 4 vezes seguidas, tal como tiveram oportunidade de fazer os 2 estrangeiros, mesmo quando se enterravam a toda a hora. (já nem falo de Costinha porque sinto que não vale a pena).

Os centrais parecem-me seguros, mas com possibilidade de progressão enquanto dupla. Messias e Monte são boas alternativas.

Mateus está melhor. É um facto, mas precisa de se concentrar mais a defender. Isso trabalha-se. Tem de se focar mais no jogo.
De Pedro Amaral, escrevo mais uma vez: não vi nada que não tivesse visto em Tiago André.

Deixo o meio-campo para o fim.

Nas alas, Nuno Santos não está a desiquilibrar com a frequênca que o fazia na parte final da última época e Mané está agora a subir de forma e pode ser o nosso craque se não se lesionar.
Gabriel não explode e já ninguém espera nada dali.
O "Joker" Taremi está muitas vezes lesionado… talvez por isso nunca ninguém tenha arriscado tê-lo trazido para a Europa antes, mas vale o risco, sem margem para dúvidas, pela grande qualidade que demonstra a vários níveis pode ser decisivo.

Bruno Moreira, digam o que disserem, para mim, tem muita qualidade. Com extremos e médios que mal ajudam na primeira fase de pressão (e que portanto Moreira faz praticamente sozinho correndo como um animal), e sendo a alternativa Ronan que não descai nas alas nem desce para segurar bolas, Bruno Moreira é melhor solução.
É o Cristo lá do sítio? É… basta estar na bancada para perceber… Se segura a bola é porque cortou o contra-ataque da nossa equipa, se não segura é porque não domina uma bola… se está na ala para fazer a tabela ao extremo é porque devia estar na área, se o extremo fica desapoiado, é porque o gajo na área não faz nada e nem vai ali dar linha de passe. Ele tudo o que faça está mal.
Toda a gente criticava Guedes, quando se foi toda a gente sentia a falta.
Hassan era assobiado, mas no início desta época já todos sonhavam com o regresso.
Comparar Bruno com Vinicius é uma absurdo porque tínhamos um jogador de 17 milhões e nem fazíamos ideia.
Espero que Bruno Moreira não saia… para que muitos não tenham de chegar ao ponto de perceber a falta que faz à equipa quando virem que Ronan faz muito muito menos.

No meio-campo é que está o problema que não foi colmatado no mercado e portanto o único que será da responsabilidade da direcção. Não há um suplente de Filipe Augusto. Esse é Tarantini… que é o “8” titular. Portanto não há um “6” suplente.

Depois, Jambor , que para mim é “8”é muito bom com bola? É.
É mais jogador que Tarantini? Aceito a opinião (não concordo porque o jogo tem várias componentes e para mim Tarantini é mais completo)… mas Jambor é muito mole. Tarantini está cansado, porque tal como F Augusto, joga sempre, mas, por exemplo no jogo contra o Setúbal, perdemos o meio-campo com a sua saída. Jambor sem bola é nulo: não pressiona, não cobre, não tem muitas vezes noção do espaço.
Pior de tudo: agora nem Jambor há.

Diego ajuda muito pouco a defender. Piazon está a ser um flop (mas claro que à partida a contratação é excelente). Vitó não conta (entrou na Taça e... vamos ver a partir de agora sem Jambor se joga ou se se contratam médios para encostar outravez).

Da última vez escrevi que se tivesse de jogar Jambor teríamos de abdicar de Diego. E sinceramente vejo Diego a jogar bem, mas não o vejo a fazer a diferença. Piazon não merece a oportunidade? Jogar com FA a “6” e com 2 “8” Tarantini e Jambor não seria solução (agora Jambor está lesionado - FA, Tarantini e Vitó não seria interessante?).

PS1: Tínhamos um médio no banco no último jogo do campeonato, quando por norma, médios é o que mais se põe num banco de suplentes…
Está na hora de Vitó se assumir? Está na hora de Diogo Teixeira? Com o “6” que falta (pois não podemos esquecer que faltando Jambor falta também o suplente do suplente do 6)  está na hora de resgatar Martim ao Casa Pia?

PS2: Se houver penalty a favor em Braga espero que seja F Augusto a bater.