30.9.18

Vinícius na 1ª parte, e depois? Depois, só deu Boavista!


Vitória saborosa, inexplicavelmente sofrida, 1ª parte de grande qualidade, na 2ª a equipa desapareceu. Vinicius aproveitou muito bem os erros defensivos desta equipa do Boavista no centro da defesa, e que eu já havia referido esta semana, esteve bem portanto, o treinador ao colocar a equipa, e em especial Vinicius, a pressionar os centrais, sempre muito forte e poderoso na finalização, este avançado está a melhorar muito em termos físicos, e já está a fazer moça aos adversários, marcando golos à ponta de lança.
Fizemos 13 pontos e junta-mo-nos aos líderes deste campeonato, este início de temporada está a ser um sonho, mas entrando ou caindo na realidade destes 6 jogos, acho que tivemos alguma sorte em alguns jogos,  mas também há qualidade da equipa à mistura.
Voltando ao jogo, ontem gostei obviamente de Vinícius, fez 2 golos, tem uma bola na barra, e está nos lances mais perigosos e principais da 1ª parte. Para surpresa minha Fábio, foi a jogo de início, durante a semana apostei na sua entrada aos 60’, porque não acreditava que um jogador sem pré-época conseguisse estar em forma física e técnica ao fim de 3 semanas, acho que o treinador se precipitou, Fábio não tem 60’, muito menos 90’, ainda! Acabou completamente estoirado aos 63´, fez um jogo sempre muito defensivo em termos físicos, resguardando-se, e obviamente sempre lento e algo apático, não lhe vi explosão nenhuma durante o tempo que esteve em campo, eu diria que com a sua experiência conseguiu cumprir, sempre bem nos cruzamentos e na qualidade de passe, mas está muito longe de uma forma física exigível. Fábio começou o jogo na esquerda, mas cedo o treinador deu indicações para ir para a direita, isto quer dizer duas coisas, o Treinador entende que o Galeno é o extremo esquerdo, e eu concordo, e que Fábio para jogar, terá que se adaptar a extremo direito-lateral, fazendo o corredor, com incursões para o interior para depois poder alvejar a baliza com o seu pé esquerdo. Galeno ontem esteve algo mais individualista do que normal, especialmente depois de estarmos a vencer por 2-0, teve 2 ou 3 oportunidades, só que desta vez não conseguiu finalizar. Diego Lopes, está cada vez melhor, e ontem o 2º golo, tem a sua assinatura, pois faz um passe de grande qualidade, de costas, para Vinicius marcar. Jambor, e Schemidt estiveram em bom nível, e a defesa, ontem com inclusão de Nadjack, cumpriu sem que ninguém se sobressai-se.
Vamos então à 2ª parte, confesso que não tenho muito para dizer, pois não percebi... como se explica que, uma equipa que está a ganhar por 2-0, contra 10 desde os 31´da 1ªa parte, e nos últimos 15´ contra 9 jogadores, reentre em campo para a 2ª parte com a tática "da posse e controle do jogo" e falhe rotunda-mente?
 - Só consigo explicar como sendo um erro de comunicação do treinador, que disse o seguinte no final: “...Segunda parte, não gostei da velocidade de circulação e falta de objetividade… o sentimento de que seria mais fácil pelo facto de o Boavista ter menos um jogador, terá ficado na cabeça dos meus jogadores...” Ora de facto não dá para explicar a falta de  “…velocidade de circulação e falta de objetividade. Perderam profundidade, intencionalidade em chegar à baliza do Boavista…” mas dá para perceber que o treinador não conseguiu alterar esta situação, talvez por mera falha na comunicação ao intervalo, e depois também quando não o conseguiu com as substituições, fiquei sem perceber por que razão Coentrão jogou 63´ foi evidente o seu sofrimento para os fazer. Gabrielzinho não trouxe nada, nem velocidade, e a saída de Diego para a entrada de Dala para a mesma posição, não resultou, Dala ainda não consegue encontrar o posicionamento correto, e é muito mais macio que Diego.  A somar a isto tudo, incompreensivelmente Galeno (que quanto a mim devia ter saído na segunda parte), a par do resto da equipa, baixou em demasia o seu rendimento e passou mesmo ao lado do jogo, na 2ª parte.
O Boavista, pelo que fez na 2ª parte, merecia mais! Temos mesmo que admitir que tivemos alguma sorte!

6j: Boavista: sensações estranhas

É certo que ganhámos, mas por que é que eu saí do estádio com a sensação que tínhamos perdido?
Eram as minhas expectativas que estavam demasiado elevadas?
Não era justo pensar que a ganhar 2-0 ao intervalo e com mais um homem em campo, iríamos ter uma segunda parte sossegadinha e que até íamos aumentar o marcador a nosso favor?
O que se passou no sub-consciente da equipa que a tornou demasiado frouxa para resolver com facilidade o jogo?
foto: maisfutebol.iol.pt
A primeira parte foi uma bela primeira parte. E não foi só nossa. O Boavista veio atrevido, jogou bem e causou-nos dificuldades. Nós também estivemos muito activos e tivemos em Vinicius um matador à altura das facilidades que o adversário nos concedeu. O ponta de lança pode não ser um primor de habilidade, mas é poderoso fisicamente e revelou instinto à altura. O meio-campo foi dando conta do recado com a dupla Schmidt e Jambor (iá, iambor) muito eficiente sobretudo a construir e a passar. O brasileiro está finalmente a perceber melhor o nosso jogo e a sua qualidade individual não engana. Já o jovem croata pode vir a ser um caso sério. Quando Jambor aliar mais nervo e mais físico na hora de defender à sua visão e qualidade de jogo, vamos ter um jogador de grande qualidade no nosso Rio Ave. E qualidade de facto abunda. É Diego, é o supersónico Galeno, é o regressado e campeonissímo Coentrão que quando estiver em forma vai fazer muita diferença na nossa equipa, é Monte que até fica no banco face à aposta do mister em Buatu e no promissor Borevkovic, é Murillo, é Leo Jardim, é Makaridze e são mais alguns que a mim enchem de ilusão.

Mas a ilusão que trago não tem tido correspondência no futebol praticado. E só nisso. São 13 pontos que temos somados em 18 possíveis. É muito bom. Não há nada a dizer sobre o nosso pecúlio nesse aspecto. É tirar o chapeu ao mister e aos jogadores e pedir que esta média de pontos se mantenha (daria para somar 73 no fim da Liga, era esplêndido!). Mas por outro lado, não me lembro de ter no Rio Ave um plantel tão rico em qualidade e soluções. Esperava um bocadinho mais do futebol jogado... e ontem naquela segunda parte, foi mau demais, demais! Acabámos a jogar contra 9 e de credo na boca. Não é fácil perceber.

Ter 13 pontos à 6ª jornada - o que significa?

Os sentimentos são mistos.
Por um lado há o facto de que esta é uma equipa completamente nova (Diego Lopes e Nadjack, da temporada passada) e que - normal e logicamente - as coisas demoram. A agravar, as lesões de jogadores nucleares, que obrigaram à vinda de outros [estaria Vinicius nos planos inicias, com  Dala, Bruno Moreira e Ronan?] e a uma integração mais tardia.
Por outro, o Rio Ave tem um plantel com muitas opções [a folha salarial vai bater recordes, certamente] e estes seis primeiros jogos foram contra equipas teoricamente mais fracas (houve o Marítimo, mas em Vila do Conde). Além disso, tirando o jogo da Luz (derrota para a Taça da Liga), ainda não houve uma exibição de 90 minutos claramente convincente.
Terá razão o treinador do Boavista quando disse que o que José Gomes tem feito com um plantel praticamente novo é extraordinário?
É positivo, sem margem para dúvidas, mas prometo abordar este assunto no final da 8ª jornada (vamos a Braga e recebemos o Chaves).
(foto - excelente! : Rio Ave FC)

29.9.18

2-1 ao Boavista. Do muito bom ao muito mau

Primeira parte com qualidade, dois golos e outros falhados.
Uma primeira parte em que beneficiamos de erros alheios para marcar, mas em que a nossa superioridade foi inequívoca. 2-0 ao intervalo, com mais um jogador em campo (desde os 30 minutos).
Segunda parte muito má da nossa equipa.
A 10 à hora, a jogar para trás e a sofrer - sem atitude, sem ambição. O Boavista até podia ter empatado (bola na barra), mesmo com nove em campo!
Segunda parte difícil de descrever. (até Leo esteve mal!)!
Não entendi a saída de Diego Lopes.
Melhor em campo: Vinicius (tem qualidade este ponta de lança), mas quero destacar os bons lances de Buatu (já o critiquei, hoje quero elogiá-lo)
Coentrão fez um jogo positivo, sem brilhar. Precisa de ritmo.

28.9.18

Coentrão convocado

... acaba de anunciar José Gomes.
"A equipa tem vindo a crescer e a demonstrar que está a assimilar as ideias e os processos. Os jogadores estão mais confortáveis na forma de jogar, e têm todo mérito por estarem na melhor fase da época", analisou o treinador.
(Junio, castigado, e Damien, por opção, saem da convocatória)

27.9.18

Parar para pensar

Não tem a ver com o Rio Ave, mas a tem a ver com o futebol e, sobretudo, com a tradicional indisponibilidade dos jogadores para assumirem as suas falhas.
Incrível a resposta que Bruno Fernandes, do Sporting, deu na sua conta de Instagram a um adepto desse clube.
"Compreendo tudo aquilo que foi escrito e estou de acordo! É verdade, nada justifica as minhas exibições, não ao nível das do ano passado ou que apareça por simples momentos e volte a desaparecer! Acredita que mais do que ninguém sinto-me frustrado com isso e com a falta de qualidade que tenho vindo a apresentar e não a culpa não é de ninguém a não ser minha! (...) E acredita essa tua crítica que considero construtiva ajudou-me a perceber que por vezes tenho de confiar em mim mesmo porque vocês confiam e esperam muito de mim assim como eu espero! Obrigado e um abraço".
Bruno Fernandes é grande jogador.
A partir de agora é um gigante, para mim.
(no Rio Ave estamos habituados a outro tipo de reações, como boicotar o prémio do Reis do Ave, por discordância com o que escrevemos...)

Os nossos adversário dão-nos muita porrada

Não sou eu que digo, é o que mostram os dados das fichas dos nossos jogos disponibilizadas pela Liga.

A situação é esta:
calcar na imagem para aumentar
Ou seja, em 5 jogos os adversários fizeram o dobro das faltas que nós. 
Quer isto dizer que somos uma equipa macia?

Atendendo ao número total de cartões não é o que parece. Fazemos metade das faltas, mas no total só temos menos 1 cartão que os adversários. É certo que os nossos oponentes têm 3 vermelhos directos, mas nós até temos mais 2 amarelos que eles.

26.9.18

Golos de colheita tardia

O golo de Schmidt ao Sta Clara foi o 2º deste ano de Liga obtido já depois dos 90 minutos. Antes desse, Dala tinha marcado para lá dos 90 ao Portimonense.
Olhando para a imagem abaixo vemos que o Rio Ave marcou 1\3 dos seus golos para lá do minuto 85.

Quanto nos valeram esses golos?

Só o golo de Dala trouxe pontos. Dala marcou aos 96 minutos e com esse golo o Rio Ave venceu o jogo. Já o golo de Schmidt e o de Furtado aos 88 minutos contra o Marítimo não trouxeram mais pontos, porque já estávamos em vantagem no marcador. O que ambos trouxeram foi a consolidação das nossas vitórias e mais tranquilidade ao jogo. Tanto nos casos dos golos de Furtado e Schmidt vencíamos por 1 golo de diferença e terminámos esses encontros com vitórias por 3-1 (1-3 no caso do confronto com o Sta Clara.)

Outra curiosidade: nos jogos dos golos obtidos depois do minuto 90 o adversário já tinha sofrido expulsões, no caso do Portimonense duas até. Já nos Açores também nós já tínhamos tido um jogador expulso.

Miguel Rodrigues

É Miguel Rodrigues o único reforço que ainda não se estreou?
Sim e não.
Sim, se exluirmos Murilo e Joca, lesionados.
Não, porque o central jogou os dois últimos minutos na Feira (derrota por 2-0, na primeira jornada). A ponta de lança.
Miguel Rodrigues não só não joga como, com o regresso de Monte, não foi convocado para os Açores.
Lembro-me de coisas positivas que o defesa fez no Nacional. Não acompanhei a sua carreira na Grécia, mas acredito que tenha qualidades para disputar um lugar no onze.
Merece certamente uma oportunidade.

25.9.18

Vamos receber uma Pantera ferida!

O Rio Ave vai receber um Boavista, ferido de morte, os 2 últimos jogos foram derrotas, a equipa encaixou 6 golos, alguns deles a denotarem muitos problemas no eixo central da defesa Boavisteira. Numa análise superficial,ao que foi até agora este campeonato do Boavista, apenas para dizer que os 4 pontos obtidos, espelham bem, um inicio bastante irregular deste Boavista. Se a única vitória, frente ao Portimonense, me causou alguma surpresa, pois pareceu-me que nesse jogo o Portimonense foi melhor, a verdade é que os resultados restantes são todos eles o espelho das carências desta equipa, e nem a chegada de alguns lesionados (recuperação do avançado brasileiro Matheus Índio e do médio nigeriano Obiora)na semana passada ajudou a equipa a sair deste sufoco, a derrota contra o Chaves(casa) pesou, pesou mais do que perder com o Benfica (casa) e Santa Clara(fora), e agora a equipa vive momentos de grande instabilidade, Jorge Simão já começa a ser contestado, e diz que não encontra uma explicação para os maus resultados, mas, afirma ele , a equipa tem feito excelentes exibições. Encontro aqui, talvez, a chave para o próximo jogo,vamos defrontar um Boavista intranquilo, pressionado pelos pontos, e resultados, diria mesmo ferido, e com o credo na boca. Acredito que se o Boavista perder,  o lugar do treinador fica claramente em causa, e como na nossa liga, já é habitual a chicotada à  7ª jornada, podemos ter aqui ou ficar próxima dela, a 1ª chicotada do campeonato.
Ficam as perguntas:
- Saberemos nós aproveitar esta intranquilidade do Boavista?
- Saberemos nós aproveitar esta pantera ferida(defesa), e atacar o seu principal defeito ou problema?
- Ou será que nos vamos deixar morder pelo último suspiro da pantera?
Eu acredito que vamos vencer, porque estamos bem, bastante moralizados, não perdemos desde a 1ª jornada, conseguimos 2 vitórias consecutivas, pela 1ª vez neste campeonato, temos mais soluções. A equipa demonstra muito mais confiança. No entanto no futebol, não podemos aceitar os pontos e ou resultados antes de jogar o jogo,  temos que ter cautelas com esta pantera ferida, e vê-la ainda como um adversário bastante difícil, que ainda não está morto. Se me é permitido algum vaticínio, eu acredito que este jogo vai ser tanto ou mais difícil que o nosso jogo com o Portimonense! Domingo veremos!

Um autogolo, 2 autogolos, autogolo número 3 é a tua vez

Marcelo faz autogolo na 29ª jornada da temporada passada em Guimarães

Vinícius teve a infelicidade de no sábado ter feito autogolo.
Antes dele, qual o último golo sofrido de autogolo?

Bem, não é preciso recuar muito. Foi a 6 de Março deste mesmo ano civil que Marcelo aos 22 minutos da 29ª jornada da temporada 2017/2018 fez autogolo em Guimarães.

Curiosamente, Marcelo tinha apontado até sábado os últimos 3 autogolos que sofremos:
- o de Guimarães, atrás referido;
- outro na mesma temporada, aos 34 minutos da 23ª jornada no Dragão na derrota com o Porto por 5-0;
- e em 2016/2017 fez autogolo aos 9 minutos da 29ª jornada em Tondela na derrota por 2-1.

O que mudou de Marcelo para Vinicius? O defesa fez autogolos e perdemos, o avançado fez autogolo e ganhámos.

Reis do Ave e as obras: Cobertura ou Academia? E o que fazer com a sede?

1) Que obra é mais prioritária, se só houver dinheiro para fazer uma (e porquê): a cobertura da bancada poente ou a academia de formação?

Gil Ribeiro Silva: Academia para a formação. Apesar de não gostar de levar ocasionalmente com chuva, como sócio declaro-me capaz de aguentar mais uns tempos com essas condições se isso significar que se vai investir a sério na academia que pode ajudar a fortalecer uma formação capaz de fornecer talentos capazes de entrarem na equipa principal e sustentar financeiramente o clube.

Gualter Macedo: Penso que depois de melhoramentos significativos no estádio (exemplo, camarotes e zonas vip), é hora de centrarem os melhoramentos em torno da cobertura. É hora de resolver este problema que já se arrasta desde que este estádio foi construido. Os sócios de 2ª merecem mais conforto e merecem que olhem por eles, desta vez a sério.

João Paulo Meneses: a cobertura. Nesta altura o Rio Ave deve ser o Clube que pior trata os seus sócios e adeptos nos jogos em casa.

Vítor Carvalho: A obra mais prioritária é sem dúvida a que crie melhores condições de sobrevivência do clube para o futuro. Ambas são importantes. Se o futuro  passa por valorizar (eu entendo que sim) as camadas jovens, daí retirar  frutos e dividendos, a academia de formação deve prevalecer. No caso de  continuar a não se aproveitar os jovens da formação, a preterirem-se por  outros vindos de "fora", então aposte-se nas condições para os sócios. A  obra a realizar depende, assim, do que a gestão do clube pretende. Eu  apostaria na formação.
2) As obras na sede são para fazer ou devia vender-se o edifício e pagar outras obras importantes?

Gil Ribeiro Silva: Aceito a visão romântica de se ter a sede na Praça da República, mas não lhe vejo grande utilidade naquele local. Se a venda do edifício for capaz de financiar alguma obra importante, que se venda. O passado e a história são muito importantes, mas não podemos ficar presos a eles.

Gualter Macedo: A sede, tal como está, há tantos anos, é dinheiro morto. Eu sou da opinião que se deve vender e transportá-la para um novo edifício, a nascer junto ao estádio, com esse dinheiro e mais uma venda de um jogador importante, ou o dinheiro que vamos receber referente ao acordo com a MEO, pensariamos em contruir a academia.

João Paulo Meneses: se não há dinheiro para fazer cobertura e academia, venda-se a sede. A sede é cada vez mais no Estádio.

Vítor Carvalho: A sede é um "elefante" branco. A situação em que se encontra em nada dignifica o Rio Ave, nem Vila do Conde. Entendo que a sede devia ser  recuperada e aberta aos associados. Faz falta ao clube um espaço onde os  sócios possam se reunir e debater. O clube deixou de ter um espaço
realmente dos sócios, porque o Estádio não está preparado para isso, nem  é conveniente que seja usado para esse fim.

24.9.18

La vie de Michel Cardoso (3) Presidente critica treinador... treinador responde no Twitter

Waldemar Kita, líder do Nantes, ficou zangado com a derrota (1-2) diante do Lille e enviou um recado a Miguel Cardoso, criticando-o por não ter dado a titularidade a Limbombe, o reforço mais caro da história do clube (8 M€). "É sempre difícil quando se tem milhões no banco. Vamos [eu e o técnico] ter de chegar a um acordo. Investimos muito e os atletas precisam de estar no campo", disse Kita, reprovando a dinâmica equipa: "Andar a brincar na areia durante um momento é natural, mas a partir de certa altura é preciso jogar futebol."

A onda de apoio entre os apaniguados dos canários ganhou dimensão nas redes sociais e praticamente obrigou o próprio Miguel Cardoso a agradecer esse suporte através da sua conta de Twitter. "Obrigado pelo vosso apoio e aos meus jogadores pela sua dedicação em cada treino. Sem vocês o futebol não tem nenhum sentido. Todo o grupo já pensa no próximo jogo. Trabalho, trabalho, trabalho", escreveu o técnico.

"É a cometer erros que se aprende", comentou, Miguel Cardoso, antes de terminar.

Não devia ter sido assim


(E a imagem da falta perigosa que Fernando fez antes sobre Junio e que devia ter sido punida com 2º cartão amarelo para o jogador do Santa Clara, alguém tem?)

O que é que Jambor tem

Jambor ocupa mais espaços no terreno, é mais possante fisicamente (sobretudo no momento em que é preciso atacar a bola do adversário) e junta a isso a qualidade de passe e a visão, para encontrar espaços.
O primeiro golo nos Açores é um bom resumo disto: Jambor vai encontrar Galeno na linha e vai desmarcá-lo:
Jambor tem 22 anos e e este foi o primeiro jogo a titular para o campeonato. Só pode melhorar!
(este foi um caso em que os adeptos viram primeiro a necessidade de mudança)

23.9.18

Leo, Vinicius e Galeno no melhor, Junio no pior.

Foto (Facebook Rio Ave)
O jogo de ontem ficou marcado pela falta de eficácia de ambas as equipas na 1ª parte, e no inicio da 2ª, mas ficou definitivamente marcado pela soberba exibição de LEO, sempre muito seguro, e muito ágil, foi dando à equipa o folgo de se manter no jogo, e para o matar com a entrada de Galeno na 2ª parte. 
O Rio Ave, começou sem Galeno, e  com Dala, e Gabrielzinho encostados nas alas,  protagonistas de desperdícios que nos podiam ter custado muito mais do que veio a acontecer.
Ontem pareceu-me ver alguma evolução táctica na equipa,  mais dinâmica que o habitual 4'2'3'1. Sem posse de bola, transformou-se quase sempre em 4´4´2, e preferencialmente em 4'1´2´3 quando tínhamos o seu controlo, confesso  que me pareceu que nem sempre resultou, pois os nossos alas nem sempre cumpriram e por consequência os nossos laterais ficaram desprotegidos muitas vezes, e foi fácil ao adversário jogar com perigo nas costas dos nossos laterais, com especial enfoque no lado direito, onde Junio, que esteve muito mal, o pior em campo, perdeu variadíssimos duelos com o melhor jogador do Santa clara ontem, José Manuel, e ainda foi expulso de forma desnecessária, pois com um cartão amarelo, e com a equipa  a ganhar por 2-0, aquela falta, é infantil e ingénua. Matheus, também teve muitas dificuldades com Osama, outro jogador de grande qualidade neste plantel do Santa Clara, mas esteve claramente melhor a defender e por isso uns furos bem acima de Junio. No meio campo, esta tripla SCHmitdt, Jambor, Diego, está a ficar oleada, e dão muita capacidade de recuperação e qualidade de passe à equipa.
Deixei para o fim Vinicius e Galeno, com estes jogadores em campo a equipa ganha uma profundidade sem igual, Galeno muito poderoso no 1 contra 1, e sempre muito veloz, estica o jogo como ninguém, e ontem esse aspecto foi absolutamente determinante no resultado final, se não fosse, a excelente exibição de Leo, arrisco dizer que com apenas 30´ em campo, Galeno seria o melhor em campo, pois consegue uma assistência, um golo e ainda 2 oportunidades nesse período! Vinicius, esteve mito bem, marcou o golo com que se abriu o marcador, e ainda provocou o penalty no final, mas foi pena aquele autogolo, que manchou um pouco a sua exibição, abordou mal o lance na vontade de atacar a bola,(finalmente vi jogo de cabeça, rsrs) e podíamos ter sofrido mais nos instantes finais, deu para assustar, menos 1, e o resultado em 1-2, lembrei-me do Braga que sofreu, e quase perdia o jogo.
Se a vitória, se ceita pela eficácia da equipa na segunda parte, é justo dizer que tivemos sorte e LEO na 1ª parte e inicio da 2ª, aquilo que disse da equipa do S. Clara hoje mesmo, confirmou-se, este S. Clara vale mais, e tem bons jogadores! Mas estes 3 pontos são magníficos, colocam-nos lá em cima, consolidam a confiança da equipa, e mostram claramente um Rio Ave muito melhor, mais pragmático, e mais capaz.
Gostei do jogo, foi emocionante.

Ainda do jogo de ontem: contratar Leo!

Notas soltas:
1) Leo veio emprestado pelo Grémio, mas o Rio Ave conseguiu direito de opção. Vai começar a ser cobiçado. Há que tomar a decisão!
(Rio Ave FC)

2) Galeno é um caso à parte no atual plantel (com Coentrão, Murilo e Nuno Santos aptos poderá ser diferente, mas agora há um Rio Ave com e sem Galeno).
3) Monte regressou. É excelente notícia. A defesa, como muitos têm vindo a dizer, é o setor mais frágil da equipa. Na próxima semana haverá Monte e Nadjack, certamente. Mas talvez não seja suficiente.
4) Zé Gomes está a ter dificuldades de encaixar Dala em simultâneo com Diego e Vinicius. Ontem nunca conseguiu ser um extremo em sentido clássico. Em certos momentos até parecia que jogavamos em 4-4-2, com Diego na esquerda e Dala atrás do ponta de lança. Dala é uma mais-valia nesta equipa.
5) Jambor: temos homem! O lugar é dele.

22.9.18

5j - Sta Clara: o que conta são mesmo os pontos

foto: abola.pt
É mesmo: como será quando este Rio Ave estiver em forma? Se sem jogar muito bem vamos com 10 pontos, quando a equipa estiver em velocidade de cruzeiro vamos ganhar a Liga!

A vitória foi boa, mas o jogo foi muitas vezes sofrível. É estranho ter visto o Rio Ave a tremer tanto, quando tinha tanta gente evoluída tecnicamente e muito esclarecida a jogar a bola dentro do terreno de jogo. Cometemos uma série de erros a defender e valeu-nos o fenomenal Léo para evitar que o adversário marcasse. Faz-me muita confusão ver a equipa teimar em sair com bola dominada desde a nossa grande área, quando claramente ainda não está capaz de o fazer, quando não sabia como ultrapassar a primeira linha de pressão do Sta Clara e quando acumulava erros comprometedores. Depois também me faz confusão ver-nos chegar a terrenos mais avançados e não ter movimentos de ruptura, optando muitas vezes por jogar para trás, teimando em recuar de novo ao nosso espaço defensivo e arriscar outra e outra vez situações em que se cede a posse de bola e se fica em dificuldades. Viu-se mais que uma vez que a equipa consegue ultrapassar a defensiva contrária e criar excelentes oportunidades para marcar. Também nessas ocasiões me faz confusão que não se arrisque finalizar como quando Gabriel ficou isolado e ficou sem ideias nem chutando para golo ou como quando Vinicius isoladissimo nem chutou, nem fintou, valendo que um defesa do Sta Clara acabou por cometer falta para penalty. Nas duas ocasiões em que se optou por ser objectivo, PUMBA! 2 golos, sem espinhas!

Gostei da facilidade de toque de bola no meio-campo com Jambor e Schmidt. Acho que está encontrado o meio-campo mais recuado. O jovem croata quando estiver mais adaptado e com mais confiança promete ser um caso sério com a sua passada larga e em progressão e com a sua qualidade de passe e visão de jogo. Gostei mais uma vez do esclarecimento de Dala em situações em que consegue encontrar o melhor momento e a melhor linha de passe para deixar os colegas em situações privilegiadas. Gostei da agitação que Galeno trouxe ao jogo e que nos deu o esclarecimento e explosão extra para ganhar o jogo, mas gostei sobretudo da segurança que Léo Jardim dá na baliza. Que gigante! Se ganhámos devemo-lo em grande parte ao jovem brasileiro.

1-3 nos Açores. Sra da Guia, São Leo e São Galeno!

Todos os santos ajudaram na vitória de hoje nos Açores. Mas dois destacaram-se: o guarda-redes Leo, com aquela que pode ter sido a melhor exibição de todo o campeonato, até ao momento [o único golo que sofreu foi de um colega de equipa, o autogolo de Vinicius...], e Galeno, que em poucos minutos acabou pura e simplesmente com a equipa adversária.
É fácil e difícil ao mesmo tempo falar deste jogo: fácil porque tivemos ajuda divina (a Santa Clara também é do Rio Ave!), difícil porque - na verdade - os açoreanos não mereciam perder. E levaram 3...
Muitos problemas na nossa defesa (Junio acabou expulso, depois de uma exibição muito má) e alguma desarticulação no ataque foram compensados, mais uma vez, por Leo e por Galeno. Jambor também muito bem.

PS - se (ainda) não estamos a jogar bem e já temos 10 pontos, como será quando começarmos a jogar realmente bem???

Será que vamos vencer ao Santa Clara?


Embora não pareça, mas hoje está muita coisa em jogo, o Santa Clara pode ultrapassar o Rio Ave na classificação se vencer, e o Rio Ave vencendo pode aproveitar deslises de Braga e/ou de Sporting, e colar-se a estas equipas no topo da tabela.
Esta equipa do Santa Clara, começou o campeonato mal, com uma derrota na Madeira, diga-se manifestamente injusta, vi esse jogo, e as muitas e flagrantes oportunidades da 1ª parte, podiam ter dado um resultado volumoso ao Santa Clara, e nem o golo do Maritimo já nos descontos  valeria o quer que fosse. Depois segue-se o 1º ponto, frente ao Braga e em casa, num grande jogo de futebol, o Braga marcou 3 golos na 1ª parte, e todos pensamos que estaria tudo resolvido, mas alterações trouxeram outra equipa e desta vez Thiago Santana abriu o Livro conseguindo marcar o seu 1º golo. O Braga encolheu-se e o Santa Clara,e bem consegue fazer  mais 2 golos, creio que mais 5 minutos e o Santa clara venceria. Veio depois mais um grande jogo fora, também com muitos golos, em Portimão contra o portimonense, aqui foi tudo mais equilibrado e o resultado aceita-se. Finalmente no último jogo surge a 1ª vitória, e que vitória, frente ao Boavista, um 4-2, convincente, com muitos golos mas com um Santa Clara sempre por cima, e a controlar, e somando ainda que s seus melhores jogadores  marcaram golos de grande beleza. Um Santa Clara em crescendo, que já MARCA muitos golos(9) e os sofre também (8) e que vai ser uma dor de cabeça para nós, hoje. Thiago(Ponta de Lança) e Osama (ala) são claramente as figuras desta equipa e pedem controlo e atenções redobradas.
Após a boa exibição na Luz, esperemos que o Rio Ave quebre este ascendente do Santa-Clara e se motive com a possibilidade de poder chegar ao 5 ou 6º lugar já nesta jornada.

21.9.18

Sub23 perdem 2-1 frente ao Braga. Tiago André não merecia

O empate seria mais justro frente a uma equipa que tem  excelentes jogadores (Manuel Namora é suplente nesta equipa...) e que, principalmente, não cometeu os erros que nós cometemos. Carlos Alves somou vários (e um deles resultou no segundo golo do Braga) e Abalo também não saiu bem na fotografia que deu o primeiro golo ao adversário (bom jogo de Abalo, com esse lapso).
Se juntarmos a isto o facto de haver jogadores em claro subrendimento (Schutte, Vitó, Diogo Teixeira, por exemplo), está explicada uma derrota que custou a digerir a quem esteve no Estádio.
Pela positiva destaco a enorme exibição de Tiago André, que joga no limite e quase sempre bem. Uma exibição de raça, que merece um grande aplauso.

Já se sabe - e nunca é demais repeti-lo - que o mais importante nesta campeonato é a formação de jogadores e menos os resultados. Saí do estádio com a sensação de que não podem ser sempre os mesmos a merecer as oportunidades.

Tarantini titular nos Açores

A Bola de hoje garante que Tarantini será o titular no jogo de amanhã - depois de ter sido suplente não utilizado na Luz.
Isto significa que Schmidt estará no banco [pessoalmente, a exibição de Schmidt frente ao Benfica não me encheu as medidas].
É verdade que Tarantini está, neste início de época, uns furos abaixo do que se lhe conhece e exige. Mas a sua visão de jogo e a disponibilidade para defender e atacar ainda me parecem mais-valias face a Schmidt.

20.9.18

Coentrão não vai aos Açores?

O treinador, na conferência de imprensa de antevisão do jogo no Santa Clara, deixou entender que Fábio Coentrão ainda não está a 100 por cento para ser convocado.

(convocados só amanhã, vamos ter de aguardar para ter a certeza)


Atualizado: ""Há jogadores que ainda não estão a 100%, como o Murilo, enquanto o Fábio Coentrão está quase na sua disponibilidade total para poder fazer parte dos convocados. São mais dois jogadores com muita qualidade que vão aumentar o leque de opções e que vão entrar na luta com aqueles que têm estado bem", afirmou o treinador"

Carta de aniversário

Há uns anos o Clube - e bem - começou a enviar uma carta aos sócios em dia de aniversário.
Os anos foram passando e a ideia passou a ser rotina - a mesma carta recebida no mesmo dia.
Admito que muitos já não a abram e ou não a leiam.
É a única carta que os sócios recebem do seu Clube por ano.
Uma oportunidade que não devia ser desperdiçada.
(ou será que mais vale acabar, como aconteceu como o anúncio sonoro dos sócios que fazem anos?)


19.9.18

Obras no estacionamento (do Estádio)?

É o JVC da semana passada que o diz:
(falta referir as obras da Academia, também prometidas para este mês)

18.9.18

E tudo melhorou

Foto Rio Ave
E num ápice tudo melhorou. Chegada de reforços. O mais sonante foi Fábio Coentrão, mas não só. Carlos Vinicius e Paulo Vítor também. O plantel é agora composto por 30 jogadores. 4 guarda redes. 8 defesas. 7 médios (inclui-se aqui Fábio Coentrão) e 11 avançados.
No último jogo o Rio Ave defrontou um Benfica no Estádio da Luz de olhos nos olhos. Foi um bom jogo, já que ambas as equipas tiveram espaço e não se remeteram à defesa. 
A equipa ganhou confiança. O treinador, responsável máximo, transmitiu para o interior do grupo e para o exterior (para os adeptos) uma contagiante ambição de, pelo menos, ultrapassar os números e resultados das épocas anteriores. Ambição não falta. E isso é fundamental para se atingir patamares mais elevados.
Todos sabemos que o futebol é fértil em surpresas e que de repente tudo muda, seja pelo factor sorte, pela melhor ou pior prestação das equipas de arbitragem, seja por uma quebra repentina de rendimento de um ou outro jogador.
Mas uma coisa é certa, o Rio Ave fez na Luz o melhor jogo desta época.

O lugar de Dala

Dala é um jogador talentoso e o início de campeonato mostrou que está em forma.
Tem jogado a médio criativo, mas com o regresso de Diego Lopes só acidentalmente fará essa posição.
A questão é que, mesmo sem Nuno Santos e Murilo, o Rio Ave tem muitas opções para os lugares da frente.
Na Luz, Dala foi suplente e jogou Vinicius.
No Açores irá repetir-se o cenário?
Com Galeno e Coentrão nas alas, Dala terá de aguardar o seu momento.
(foto: Facebook Rio Ave FC)

PS - faz-me confusão Dala não ter sido usado como extremo, na Luz, quando saiu Galeno, e que tenha entrado primeiro Furtado, quando saiu Gabriel.

17.9.18

Ainda o otimismo de José Gomes

Em complemento ao que já escrevi, deixo mais estas ideias do míster em O Jogo de ontem:
"Estamos a construir uma equipa que cada vez vem trabalhar com mais alegria e tem um potencial enorme. Quando tivermos todos os jogadores disponíveis, estaremos num nível muito alto, porque há elementos com muita qualidade"
(Dos jogadores lesionados, um faz muita diferença neste momento: Nelson Monte. Depois há dois extremos - Nuno Santos e Murilo - num plantel que tem Galeno e Coentrão. Acrescentam qualidade mas já não será fácil entrarem no onze; quanto a Makaridze, dá cada vez mais a ideia de que Leo é substituto à altura)

Na Luz, o (mega)otimismo de José Gomes e o Santa Clara

Não conheço José Gomes para dizer que é um otimista, mas as suas palavras em O Jogo de ontem são hiper-positivas!
("Acho que este plantel vai surpreender e ultrapassar muitas coisas que eram feitas no ano passado"; "Vamos fazer uma época espectacular, com qualidade a sair a jogar e a praticar um futebol de que as pessoas gostam"; "Há muitos objetivos que vamos superar, seja nos golos marcados ou sofridos, número de pontos ou vitórias").

Outros treinadores, nas mesmas circunstâncias, seriam muito mais comedidos, até atendendo aos problemas na constituição do núcleo-base (18 reforços...). A verdade é que o míster está a por a fasquia muito alta e não é qualquer um que assume uma coisa destas!

O primeiro teste é sábado à tarde nos Açores.
Os sinais positivos que se viram na Luz têm de ser potenciados e desenvolvidos no próximo jogo. Obrigatoriamente.
(foto: Rio Ave FC)

16.9.18

Coentrão vai jogar a extremo - revelação do míster

José Gomes dá uma grande entrevista a O Jogo, a sua primeira.
Entre muitas coisas (interessantes) que diz, destaco desde já esta: Fábio Coentrão está a ser preparado para jogar a extremo.
Outras ideias:
- "Acho que este plantel vai surpreender e ultrapassar muitas coisas que eram feitas no ano passado".
- "Vamos fazer uma época espectacular, com qualidade a sair a jogar e a praticar um futebol de que as pessoas gostam".
- "Há muitos objetivos que vamos superar, seja nos golos marcados ou sofridos, número de pontos ou vitórias";
- [ser feliz no final da época] "se conquistasse um troféu e se o Rio Ave conseguisse chegar à Liga Europa"

Merecíamos mais!

Ontem de facto vimos um jogo muito diferente do Rio Ave para melhor, e por isso merecíamos mais. Não sei se foi o adversário que motivou os jogadores para esta exibição, se foram as alterações introduzidas pelo treinador, ou ambas, prefiro acreditar na segunda, e passo a explicar:
Saíram da equipa titular, Tarantini, Leandrinho,   Gelson Dala, e Matheus Reis eu diria que ontem o Rio Ave jogou praticamente com um meio campo novo (só não é novo porque estes jogadores já haviam sido opção), e com um retoque na defesa. Eu havia apontado varias vezes as fracas exibições do nosso capitão, e claro de Leadrinho, fez bem portanto o treinador em aproveitar a paragem, para introduzir as alterações necessárias há equipa, apostar em Jambor (grande exibição ontem)  e Schmidt, deu bastante músculo, e consistência ao nosso meio campo, Jambor muito bem no jogo de passe, lançando muito bem a profundidade, e Schmidt, no equilíbrio defensivo, parece que temos dupla, e que o treinador encontrou o que procura! Depois entrou na equipa DIEGO para mim o 2º melhor jogador ontem. Já Galeno estranhamente individualista, estoirou e saiu mais cedo, e bem. De facto jogar com um 10 nato (Diego) é muito diferente de jogar com um 10 adaptado (Dala). Futebol é isto, jogar com os melhores nas posições certas, no sistema que o treinador pretende, e ontem este meio campo, deu-nos grandes e boas indicações de que ainda temos uma grande margem para melhorar. Na defesa, com entrada de Afonso Figueiredo, equipa ganhou corredor, e parece-me que é melhor a defender do que Matheus, não é nada fácil neste momento levar com Sálvio, e ele cumpriu muito bem! Falta talvez aqui um pouco de entrosamento com o resto da equipa, o que é normal.Na frente, Vinicius  que ontem já marcou,  quando estiver em níveis físicos ideais, ainda nos vai dar muitas alegrias, possante, ágil, criterioso, joga bem de costas para a baliza, pressiona, mas ainda não lhe vislumbrei um bom jogo aéreo, mas se estiver lá, vai aparecer, também não podemos querer tudo! Pois é, com tantas mexidas, se a saída de Bruno Tarantini e Leadrinho, me parecem evidentes, quem sofre mais com as alterações para mim é Dala, pois todos esperavam que Dala fosse titular desta equipa, Dala, não é 10, teve muitos jogos para mostrar que não o é, apesar de fazer boas exibições nessa posição, e vai ser difícil vê-lo jogar numa das alas. Dala é ponta de lança, sempre foi, e vai para mim, ser a grande alternativa de jogo quando o treinador não quiser jogar com um ponta de lança fixo, e ou jogar em 4'4'2. Não nos podemos esquecer que Coentrão vai entrar nesta equipa e alguém vai ter que sair, resta saber se um defesa se um médio ala/extremo.
  Ainda não estamos fora da Taça da Liga, mas o resultado praticamente nos coloca fora, vamos ver o que o Benfica faz com os nossos próximos adversários, mas está/ficou difícil!

O melhor jogo do Rio Ave esta época

Até já escrevi que aceito o resultado (tal como aconteceria com o empate), para não haver duvidas sobre as 'vitórias morais'.
Mas, mesmo tendo perdido, o jogo da nossa equipa deixou-me animado.
Ontem vi sinais positivos que ainda não tinha visto antes.
Vi por exemplo Leo decisivo na baliza (pode vir a ser uma mais-valia);
Vi um bom jogo de Afonso Figueiredo.
Vi Vinicius mostrar qualidades que nenhum outro ponta de lença esta época tinha mostrado;
E vi Jambor assumir -se como o patrão da equipa.
(além de Galeno confirmar aquilo que dele já conhecemos).
Não foi suficiente para pontiar na Luz - mas não ficámos longe. Houve mais garra. mais atitude, menos passividade no 'ataque' ao adversário.
Ainda há limitações na defesa (aquela situação de Toni agarrar um adversário na nossa área já não se nem nos distritais...), Schmidt e Diego ainda não se entendem como deveriam e Gabriel (ingénuo na abordagem ao lance que dá o penalti) continua irregular.
Mas o que vi ontem deixou-me animado.
(foto: Rio Ave FC?)

PS - Sai Gabriel e entra Furtado. Estranhei não ser Dala o escolhido; A seguir sai Galeno e entra Dala (finalmente). Mas Dala vai para o meio campo, posicionar-se ao lado de Diego. Estarei a ver bem??? Dala não pode jogar na linha e flectir para dentro? Não percebi.

15.9.18

Taça da Liga: Rio Ave perde 2-1 na Luz. Houve coisas positivas

A segunda parte foi equilibrada e o Rio Ave teve oportunidades para marcar mais do que um golo.
Mas na primeira o Benfica foi melhor e nós um pouco apagados.
Vitória justa.
Notas positivas: grande exibição de Jambor. Ganhámos um jogador.
Galeno teve grandes jogadas (e é decisivo no golo).
A perder 2-1, com a saída de Galeno e a entrada de Dala, ficámos só com dois avançados.
(Junio perdido no segundo golo do Benfica)


Futsal: desafios

Nas últimas épocas o futsal do Rio Ave tem andado arredado dos (8) primeiros lugares e isso tem-se  refletido no facto de haver menos gente no pavilhão a apoiar a equipa - a exceção, na época passada, foi o jogo com o Caxinas.
Outra dificuldade que a equipa enfrenta: a 'concorrência' da equipa B e agora dos sub23. Não há muitos anos os sócios tinham para ver a equipa principal e o futsal. Agora (felizmente) há outras opções.

Há, pois, vários desafios que a equipa tem pela frente.
O campeonato começa logo à tarde (16h, no Pavilhão, frente ao Braga).
Penso que é justo dizer que ficar nos 8 primeiros lugares tem de ser o objetivo.