31.8.18

Fábio Coentrão regressa ao Rio Ave. “Sou eu o novo reforço do Rio Ave”; "Estou super feliz"

O que é que isto significa?
Os jornais desportivos dizem que sim!


"O lateral esquerdo internacional português rescindiu com o Real Madrid e assinou por uma temporada com o clube de Vila do Conde."

Atualização: Estou super feliz. Já passei por muitos bons clubes. Mas cheguei a um ponto da minha carreira em que acho que tenho de ser feliz. Preciso de ter felicidade no futebol e sei que a vou encontrar aqui no clube da minha terra. Sei que aqui sou amado, que as pessoas me querem aqui"

17 (18?) reforços - recorde?

No ano passado chegaram 8 jogadores; esta época - se vier o médio que esperamos - serão 18.
Provavelmente um recorde.
Não faz duas equipas, mas quase.
Continuam 9 (incluindo três renovações, Makaridze, Tarantini e Dala) e sairam 14.
Ou seja, entraram mais do que aqueles que saíram.
A explicação: as lesões. Com Nuno Santos, Ronan, Joca e agora Makaridze (*), são quatro jogadores que podem estar vários meses parados.
Veremos até ao fim do dia se são 17 ou 18 reforços.
E vamos deixar o balanço para mais tarde.
Murilo quase pronto? (foto: Facebook Rio Ave FC)

(ª) ainda não se percebeu bem o que se passa com Makaridze.

30.8.18

Silvério emprestado ao Varzim (ATUAL:)

Moeda de troca com o guarda-redes Paulo Vítor
Veremos no final quem ficou a ganhar, mas eu tenho as minhas suspeitas.
(José Gomes não contava com ele, entre jogar num campeonato profissional - mesmo sendo o Varzim... - e nos subs 23, a opção é clara)

PS - Já que se fala em Varzim: várias reações à chegada do guarda-redes Paulo Vítor tinham em conta o facto de vir do... Varzim. Sobre isso gostaria de deixar duas notas:
- Se o Varzim tiver um jogador de evidente qualidade, serei o primeiro a aplaudir a contratação;
- A questão é que no Varzim de hoje é difícil encontrar jogadores com a qualidade suficiente para jogarem no Rio Ave de hoje. Ser titular no Varzim é muito diferente de ser titular no Rio Ave.
O meu espanto, ontem, deve-se a isso e não a uma questão de ser o nosso rival.

ATualização: no Facebook oficial do Clube,  em mais de 30 comentários apenas um é positivo. Esmagadora maioria critica decisão, com o treinador á cabeça.

Bruno Gomes, avançado, mais um reforço? (ATUAL.)

A notícia vem do Brasil: "O atacante Bruno Gomes não faz mais parte do elenco do Vitória. Emprestado pelo Estoril, de Portugal, o jogador pediu para rescindir seu contrato com o clube baiano nesta quarta-feira e deve acertar com o Rio Ave, também do Velho Continente."

Eu, que acho que não precisamos de mais avançados, desconfio.
Mas lembro-me do jogador no Estoril e era acima da média.
ATualizo: afinal vai para o Aves.

A primeira derrota dos sub23

Do que vi, não faltaram oportunidades para o Rio Ave ganhar o jogo.
Uma tarde menos feliz, da melhor equipa, ditou a primeira derrota.

Rio Ave com:

Didi; 
Costinha, Kelechi, Filipe Almeida (82’ José Postiga) e Tiago André;
Abalo, Rafa e Vitó (82’ Helder Sousa);
Leandro (45’ Diogo Teixeira), Jaime (60’ Zé Domingos) e Schutte.

Notas:


- mais uns minutos de Hélder Sousa.
- Tiago André em destaque nas iniciativas atacantes.

29.8.18

Rio Ave contrata guarda-redes do Varzim??? (O Jogo confirma; é oficial)

O brasileiro Paulo Vítor, 29 anos, ia fazer a quarta época no Varzim, mas foi contratado pelo nosso Clube (fonte: Eurico Seabra; O Jogo confirma). assinou por três anos, confirma o Rio Ave.

(como sempre: se me enganar, serei o primeiro a reconhecer, mas esta é uma contratação que desilude - a vir alguém, que fosse de top. Nem percebo bem. Carlos Alves não tem valor para ser o segundo guarda-redes? Léo Jardim não será aposta? Quanto tempo vai demorar a recuperação de Makaridze? Alguém que explique pf)

Mais dois reforços até sexta

Na antevisão do jogo de Tondela, o míster disse que o Rio Ave procura reforços para duas posições.
Pelos vistos um será guarda-redes, mas só faz sentido se for um indiscutível, tão bom ou melhor do que Makaridze.

Acredito que po segundo será para a posição '10' onde só temos Diego Lopes (e Dala...). Ou será que  vem para o meio campo, mas no caso para a posição '6' (temos Leandrinho e Jambor para o lugar).

Com Murilo quase a regressar e Vinicius apto (ficamos com Dala e Bruno Moreira, além de Vinicius, para o centro do ataque), não acredito que seja um avançado - Dala pode jogar a extremo.

Um defesa? Já temos dois jogadores para cada posição, pelo que tem de ser alguém que faça realmente a diferença.
Resta aguardar - até para ver se sai alguém.

28.8.18

Marafona (Braga) a caminho?

Pelos vistos o Rio Ave vai ter mais um gaurda-redes.
Marafona, Vilacondense que começou no Rio Ave (e foi depois para o Varzim), pode estar a caminho - diz O Jogo

Hoje há jogo dos sub23 (Belenenses)

Dois jogos em quatro dias.
Talvez por isso Pedro Cinha tenha feito alterações na equipa que venceu o Estoril (Kelechi, Postiga, Jaime e Leandro a titulares).
Logo frente ao Belenenses são prováveis mais alterações, sendo que - neste campeonato - o objetivo não é ter um 'onze' mas o maior número de jogadores disponíveis e capazes de serem titulares.

(Volto a referir Zé Domingos: no sábado fez 10 minutos pelos sub23 e no domingo mais 60 pela equipa B.

Feirense e Tondela - comparações

Dois adversários com idênticas ambições (manutenção), cinco pontos perdidos.
Dois jogos iguais?
Na verdade não.
Frente ao Feirense houve muita coisa mal.
Frente ao Tondela o Rio Ave corrigiu alguns erros, sobretudo quando meteu velocidade.
Já se nota Gabriel e Galeno (sobretudo o primeiro) a tentarem travar as saídas dos adversários. E a equipa não esteve sem alma.
E frente ao Tondela corrigiu-se um erro: na Feira, quando Nadjack sofreu falta que resultou no golo adversário, a nossa equipa ficou a dormir relativamente ao árbitro. No domingo, a equipa conseguiu meter o VAR ao barulho num lance que até nem tinha razão de ser (84 minutos). Mas ninguém pode criticar Tarantini por tentar. Pelo contrário.
(foto Rio Ave FC)

27.8.18

Tondela ou a indicação que o caminho está por fazer.

foto rtp.pt
Terei tido azar. Só vi os últimos 5 minutos da segunda parte e toda a segunda. Ouvi porém o que não vi através da Linear. Ouvindo estava entusiasmado pelo relato dos acontecimentos. Vendo fiquei preocupado. Não adianta tentar esconder que comparamos esta equipa com a do ano passado. Há um bom número de atenuantes para a equipa deste ano, mas dou por mim com saudades até daquele dominio na posse de bola com passes entre os 4 defesas e o trinco sem progressão, mas com um conceito de jogo em que cada um sabia o que fazer, mesmo que encontrassem pela frente uma equipa que não permitia mais que esse controlo inócuo. Ontem já foi ligeiramente melhor, mas não deixei de me sentir constrangido pela incapacidade da equipa em controlar o tempo do jogo e de em posse de bola não saber o que fazer com ela. Achei que a chegada de Schmidt ao jogo atenuou esse deserto de ideias, mas ainda assim achei-nos órfão de um patrão genuíno no nosso jogo. Do que vi e só do que vi, vi mais Tondela e vi que falta ainda muito caminho para sermos uma equipa. Somando o que ouvi, fico com a ideia que o resultado terá sido adequado ao jogo.

Já perdemos 5 pontos “na raça”.

Todos nós ontem percebemos que o Rio Ave é,  e foi melhor que o Tondela, empatar ontem para mim, e depois de ver o jogo, foi uma derrota, não fiquei nada contente com o resultado da equipa, agradecer e aceitar o empate com optimismo, a mim sabe-me a derrota. Concordo quando o treinador diz que, a equipa hoje demonstrou grande personalidade na saída de jogo, pois… mas apenas durante 25 minutos , digo eu, e depois? Depois foi uma miséria, a equipa deslumbrou-se com tantas facilidades dadas pelo adversário no início do jogo, e quando Pepa, percebe onde estava o problema, invertendo o triângulo do meio campo, ficando a jogar também em 4-2-3-1, mantendo apenas Tomané lá na frente, a equipa do Rio-Ave eclipsou-se. Não surgiram mais oportunidades, e a grande personalidade na saída de jogo acabou, ficando apenas a posse!
Pareceu-me que quisemos controlar o jogo, mas foi o adversário que nos controlou, “na raça” no querer e na vontade de pelo menos chegar ao empate, e chegaram, com todo o mérito, percebia-se que isso ia acontecer desde o início da segunda parte, faltavam 32 minutos para o fim quando o Tondela marcou! Pensei eu, algo tem que ser feito se não vamos perder este jogo, mas não, o Tondela, não conseguia sair mais porque o Rio Ave amarrou(estranhamente) o jogo no meio campo com a entrada de Schmidt, é certo que o Rio Ave melhorou, e até podia ter ganho, mas Bruno moreira, que na jornada anterior havia marcado, não conseguiu, concretizar as duas flagrantes oportunidades que teve, e depois  faltou pulmão, faltou raça á equipa, o adversário fartou-se de ganhar os ressaltos,  e este é o 2º jogo em que perdemos pontos por excesso de passividade na recuperação( o outro foi no Feirense), o adversário fez 22 faltas e nós fizemos 6!
É certo, que este árbitro,  ajudou e muito a que “a raça” Tondelense se impusesse no jogo (22 faltas e apenas um amarelo) num jogo em que eu acho que equipa do Rio Ave devia ter conquistado os 3 pontos,  e fazer muito melhor, quanto mais não fosse na raça!

Valeu-nos Galeno, pela exibição e pelo golo!

José Gomes otimista; eu...

José Gomes, no final: "Estamos no bom caminho, a equipa hoje demonstrou grande personalidade na saída de jogo, na construção, na posse, foi o resultado possível."

Já eu, que não percebo nada, esperava mais de uma equipa que trabalha junta há dois meses (que já fez seis jogos e não três ou quatro, como quase todas). Há, claro, as lesões (fator importante) e também o facto de ontem a equipa ter tido apenas um titular da época passada.
Mas, ao mesmo tempo, foi feito um grande investimento financeiro no plantel e, na minha análise, a qualidade de jogo é baixa.
Mesmo enquanto dominámos (até à meia hora), a equipa jogou 'à gasóleo'.
(respeito todas as opiniões, nomeadamente as diferentes, mas vejam por favor quantos lances de perigo o Rio Ave teve na primeira parte, tirando os três muito bons entre os 17 e os 22 minutos). E não me importo nada de vir a reconhecer que estava enganado.
[Dala, o melhor em campo]

PS - Aos 40 minutos Buatu ofereceu o corpo à bola e talvez tenha safado um golo. Na segunda parte somou erros (67, 68 e 74 minutos), a começar pelo corte de cabeça que vai dar origem ao golo do empate.
(foto: Rio Ave FC)


26.8.18

Empate (1-1) em Tondela confirma vários problemas

O Rio Ave jogou bem durante cinco minutos (marcou aos 17, Dala quase fazia o 2-0 no minuto seguinte e aos 22 o VAR invalidou um golo por fora de jogo). A partir daí o Rio Ave caiu, sofreu o empate e até podia ter perdido o jogo. [Atualizo: dominou em alguns periodos, como antes do golo e na parte final, mas sem jogar bem]
Cinco minutos de bom futebol é muito pouco para esta equipa, para o investimento que foi feito an equipa.
É justo pedir mais.
É nosso dever exigir mais.
Mais intensidade (seis faltas em 90 minutos, só 3 delas para travar o adversário), mais qualidade, mais opções.
Há jogadores em claro subrendimento (Tarantini, Gabrielzinho) e tem de haver alternativas no plantel.
O empate aceita-se, mas o Tondela foi mais equipa desde o golo anulado.
(grande jogada de Dala e Galeno, no nosso golo)

Manuel Mota confirmou o que dele se esperava: um dos piores de Portugal, e não foi pelo lance do golo anulado, mas por decisões disciplinares, quase sempre contra nós.

Convocados para Tondela sem surpresas

Monte e Diego Lopes ainda não estão.
Vinicius também não.
Makaridze continua a recuperar (além de Murilo, Nuno Santos, Ronan e Joca).
Vão os mesmos a Tondela logo à tarde.
Falta saber se jogarão os mesmos onze...
PS - na conferência de imprensa de ontem, José Gomes disse que o Rio Ave está a tentar trazer (pelo menos?) mais um jogador.

25.8.18

Sub23 vencem Estoril por 3-1 (ATUAL.)

Foi a primeira vez que a equipa da Liga Revelação jogou em casa. Haveria umas 500 pessoas a ver o jogo, o que acho que para um sábado de manhã tão convidativo a estar-se noutras paragens não é mau de todo.

Antes de falar do jogo, algumas curtas considerações:
- para que a competição tenha sucesso e para que os jogos possam atrair público, há muito para fazer.
- da parte do Rio Ave ter o placard electronico ligado e um speaker de serviço seria dar mais dignidade aos jogos. Muitos jogadores não são conhecidos do público e o facto de a numeração das camisolas ser de 1 a 11 e sem nomes não ajuda quem está na bancada e, como eu, esperava outro tipo de informação.

- a FPF ou quem organiza a competição também precisa de melhorar. Não se percebe, por exemplo, como não há quarto árbitro.

Serão defeitos da juventude, espero que haja uma evolução na organização dos jogos.

O jogo: houve sempre mais Rio Ave desde o apito inicial. Adiantamo-nos cedo aos 11 minutos no marcador por Jaiminho num bom remate dentro da área após um canto, mas depois aos 20 permitimos que o Estoril marcasse e a qualidade do futebol baixou drasticamente. Até ao final da primeira parte não houve nada que nos despertasse na bancada. Foi muito diferente a segunda parte, com Vitó a dar-nos vantagem logo aos 5 minutos na marca de penalty na sequência de uma falta inquestionavel sobre Rafa. 15 minutos depois Rafa Rafa voltou a ser decisivo ao assistir Postiga para o 3-1. O Estoril reagiu, mas nunca foi ameaça real a um Rio Ave que ainda criou um punhado de oportunidades.

Eu estava curioso para ver a valia da equipa e que tipo de jogos seriam.estes da Liga Revelação. Não saí defraudado. Há jogadores que estarão mais abaixo em termos e desenvolvimento competitivo, mas também há outros para quem competir em jogos com um grau de exigência maior que nas camadas jovens pode fazer muito bem. De hoje agradaram-me ao ponto de merecerem destaque Rafa, Vitó e Tiago André.

24.8.18

Um esforço por Vinicius (ATUAL.)

A experiência profissional diz-me duas coisas (sobre as quais não tenho a certeza, como é evidente):
- quando uma notícia é confirmada alguns dias depois por outro jornal, é porque deve ser verdadeira;
- quando passam alguns dias sobre essas notícias [abundantes em Itália] e não surge a confirmação é porque surgiu algum problema;

Como sempre tenho dito, ASC tem mostrado saber zelar pelos interesses do Rio Ave no que diz respeito a contratações. Mas - Presidente - se o problema é dinheiro, penso que Vinicius justifica fazer-se um pequeno sacrifício.
Seguramente  não é um jogador barato, mas vai dar-nos mais qualidade no ataque.
Atualizado: negócio fechado. Já está em Vila do Conde!

23.8.18

Damien rumo ao onze!

Gabriel, nos dois últimos jogos, tem estado longe daquilo que pode e sabe fazer.
Damien, em contrapartida, é o melhor marcador da equipa, com três golos. Em 55 minutos (cinco vezes suplente, cinco vezes utilizado).
(foto: Rio Ave FC)
Julgo que Damien justificaria um lugar no onze, ele que tem sido aposta do treinador (e para aquele lugar havia várias opções da equipa sub23). Mais motivado não podia estar!

Sábado às 11h - um jogo histórico

Primeiro jogo da equipa sub23 em Vila do Conde. Frente ao Estoril.

(no primeiro jogo, na Feira, de acordo com a ficha publicada no Record, jogou Zé Domingos, um avançado que começou muito novo em Vila do Conde, fez a formação até aos juniores por cá - com passagem pelo Benfica - e regressa agora aos 22 anos)

22.8.18

O Jogo confirma Carlos Vinicius

O Jogo confirma a notícia do Record de domingo: vem aí o ponta de lança contratado pelo Nápoles ao  Real (20 golos, melhor marcador da segunda liga).
No zerozero já é jogador do Rio Ave!
Falta o Rio Ave confirmar e ter o jogador apto para ajudar a equipa.

Reis do Ave pede (mais) reforços com qualidade

(A partir de agora vamos juntar as quatro vozes do Reis do Ave para nos pronunciarmos sobre os assuntos mais importantes/interessantes na vida do nosso Clube).

A pergunta hoje é: os reforços dão garantias ou até dia 31 ainda devem vir mais jogadores?


Gil Ribeiro Silva: Não tenho opinião completamente formada. A equipa foi muito alterada da época passada para esta, ainda não se conhece, não está entrosada, é muito jovem e o staff também é diferente. A vir alguém terá de ser alguém que entre de caras na equipa e reconhecidamente uma mais-valia.

Gualter Macedo: Acho que sim, no entanto e dado tantas ausências por lesão, um ponta de lança e um médio de construção seriam os meus ajustes!

João Paulo Meneses: Pelo menos em parte, não. Há uma certa frustração com os reforços. Há poucos jogadores que se perceba que façam realmente a diferença. São nossos jogadores, temos de trabalhar com todos, mas no ataque e no meio campo duas ou três entradas eram muito bem vindas.

Vítor Carvalho: Vieram jogadores com qualidade, mas ainda não atingiram os níveis elevados a que estávamos habituados.

21.8.18

Preocupação

? Após a vitória em casa frente ao Marítimo por um resultado animador, ficamos com a sensação de preocupação.
Preocupação porquê? 
Porque o resultado, bom, pode ser enganador. O adversário era mais frágil O Rio Ave começou a mandar no jogo e a marcar. Tudo parecia correr às mil maravilhas e propiciar um bom jogo. Mas inesperadamente tudo se complicou. Acabamos a sofrer. Tivemos duas bolas nos ferros e o terceiro golo foi um autogolo caricato.
Temos de melhorar. 

Separados à nascença (3)


Retirada a (á) pressão!


 (foto: RAFC)
Na passada sexta-feira falei de pressão da 1ª vitória, e da importância do ponta de lança marcar golos. Ora bem no passado domingo aconteceu isso tudo, a 1ª vitória, e o ponta de lança que marcou o seu 1º Golo, dando ainda outro a marcar,  vimos um Bruno muito mais pressionante, talvez mais motivado com o golo, e fez sem dúvida uma boa exibição, sempre disponível para atacar com mais intensidade a 1ª fase de construção do adversário pressionando os centrais. Este facto, e a vitória, “retirada a pressão”, foram sem dúvida os aspectos positivos do jogo, no entanto nem tudo foi bom, o resultado não espelha o que se passou, o Marítimo podia ter concretizado uma ou duas flagrantes oportunidades na 1ª parte, e a história talvez fosse  bem diferente, mas não concretizaram, e assim sem jogar um futebol de grande quilate, acho que conseguimos uma vitória com muita pressão, prova disso, o treinador no final falou em alguma intranquilidade da equipa, penso portanto que a equipa soube ajustar-se aos momentos de jogo, soube controlar a vantagem na segunda parte, mas o 2-1 assustou toda a gente, e a equipa também se assustou, ficou o susto, e bem no final, ficou mais um golo de sorte do nosso talismã Furtado,  a sorte que não tivemos na Feira  aconteceu, e acaba por nos dar uma vitória que é “retirada á pressão do 2-1” matando por completo o adversário! Pareceu-me que a equipa caiu muito em termos físicos, mesmo depois das substituições, pode ter sido o calor, esperemos!

O regresso de Nelson Monte (TAUL.)

Com Nelson Monte recuperado, haverá mudanças no eixo da defesa.
Apesar de Buatu ser o jogador 'mais' para José Gomes, parece claro que será ele a dar o lugar [neste domingo, esteve nos dois lances mais perigosos do adversário, o chapéu a Leo e o penalti que deu o golo do Marítimo].
Obviamente que essa decisão não põe em causa a qualidade do jogador, mas um passo atrás nesta altura pode ser condição importante para dar dois à frente depois, protegendo o atleta de alguns azares que tem tido.
Atualizo: afinal Monte ainda não está recuperado (Nelson Monte trabalhou à parte do grupo, realizando trabalho específico com o readaptador físico no relvado, estando ainda aos cuidados do Departamento médico). Sem Monte, existem outras opções na equipa, desde Silvério a Miguel Rodrigues.

20.8.18

Ir à bruxa! [a necessária confiança no departamento médico]

O Rio Ave tem quatro avançados lesionados, três deles extremos e com lesões graves (Murilo, a recuperar, Nuno Santos e agora Joca).
Não me lembro de um arranque de época tão azarado (Makaridze ainda recupera, como Diego Lopes).
A confiança no departamento médico não pode estar em causa, até porque temos um dos médicos mais experientes da 1ª divisão (mas numa altura em que alguns adeptos começam a levantar dúvidas, uma entrevista de Basil Ribeiro ao site do Clube fazia todo o sentido).
(uma palavra para Joca: que volte ainda com mais força)

2j Marítimo: queixa de barriga cheia.

Podemos jogar sempre mal e vencer, assino já de cruz. Qualquer queixa de barriga cheia é sempre mais fácil de fazer, de debater e de aceitar.

foto: maisfutebol.iol.pt
De ontem só me fica mesmo a felicidade da vitória, porque de resto na maior parte do tempo aborreci-me com aquilo que produzimos. O Marítimo bem queria ir animando as coisas inclinando o resultado para o seu lado, mas não foi feliz no diálogo com a nossa baliza. A forma como desperdiçou um golo aos 4 minutos por excesso de confiança agora até parece que foi premonitória. Esse lance é também ilustrativo daquilo que foi grande parte do nosso jogo jogado: o guarda-redes do Marítimo bate a bola para o ataque, nenhum dos nossos jogadores ataca a bola e o avançado madeirense quase faz golo. A nossa equipa foi muitas vezes estática e observadora, outras desposicionada e apanhada em contrapé, com muita dificuldade na hora de defender. Ontem parecia que tínhamos os deuses da bola connosco (poste, trave, golo de ressalto) mas não vais ser sempre assim como é óbvio. Parece que falta ainda entrosamento e trabalho, o que nem sequer é verdade, sobretudo a parte do trabalho porque começámos bem cedo a temporada por causa dos jogos da Liga Europa. Domingo em Tondela há mais um exame.

A equipa "está melhor e mais forte"?

Antes do jogo, o treinador prometeu uma equipa "melhor e mais forte".
O jogo com o Marítimo confirmou isso?
Apenas em parte.
Penso que grande lacuna desta equipa continua a ser a falta de 'presença' a meio campo, agravada pelo facto de Dala ser um avançado que não defende (Diego Lopes, por exemplo, sabe ser uma carraça!). Galeno e Gabriel também não têm essa 'vocação' mas ontem viu-se qualquer coisa de diferente. O segundo golo nasce da pressão de Bruno Moreira sobre o defesa, que acaba por passar para Dala.
Na minha opinião estas podem ser as duas prioridades de José Gomes: dar mais pulmão ao meio campo e 'convencer' os atacantes a funcionarem como a primeira linha de defesa da equipa quando o adversário prepara o ataque.
"Este triunfo vai ajudar-nos a consolidar algumas coisas que ainda não estão tão bem", disse o míster no final.
Acredito que sim.
(foto Rio Ave FC)

19.8.18

Primeira vitória (3-1 ao Marítimo)

Correu tudo bem.
Marcamos quando era preciso e os ferros ajudaram-nos nos momentos críticos.
Vitória justa mas sem brilho.
Equipa melhorou na pressão do meio campo, mas ainda há muito para  evoluir.
Hoje não 'tivemos ' Galeno: tentou muito mas nada lhe saiu bem.
Furtado já justifica um lugar no onze.
Ficou a ideia de que acabamos com mais problemas físicos do que o adversário.
(ASC de volta ao banco)

Expectativa vs ansiedade

Aproxima-se a hora de jogo e eu confesso-me com muita expectativa.

Temos alternado o razoável com o menos bom e hoje falta saber se vamos conseguir aliar a veia concretizadora do jogo caseiro da Liga Europa com a baliza inviolada do jogo de Portimão.

Se do meu lado vive a expectativa, espero que no lado da equipa esteja o grau certo de ansiedade para chegar aos 3 pontos. Ansiedade a mais será estorvo, a menos pode trazer o relaxamento que não se deseja num jogo "a sério".

Até já!

Vinícius (ponta de lança, ex-Real, emprestado pelo Nápoles) é reforço?

O Record diz que sim.
Vem emprestado pelo Nápoles e marcou 20 golos pelo Real, na época passada

Ainda sobre a primeira de muitas vitórias nos sub23

- Todos os jogadores estavam no Rio Ave na época passada;
- A esmagadora maioria tem mais de 3 anos de Rio Ave;
- Carlos Alves, Schutte (para o lugar do lesionado Joca) e Damien foram 'chamados' pela equipa principal (que, com as lesões, não pode dispensar ninguém).
(foto: Rio Ave FC)

- Costinha, defesa-direito, aparece a marcar, como se fosse ponta de lança!

- Com sub19, equipa B e sub23 a competir ao mesmo tempo, não é fácil a gestão por exemplo dos guarda-redes.
- Danielson jogou pela equipa B

18.8.18

Campeonato sub23. Primeira vitória (0-1 na Feira) (ATUAL.)

Rio Ave com Didi [guarda-redes da equipa sub19], Costinha, Filipe Almeida, Silvério (cap) e Tiago André; Abalo, Vitó e Diogo Teixeira (Jaime); Rafa (Postiga), Leandro (Martim) e André Silva (Zé Domingos - atualizado).
Marcou Costinha.

(foto Facebook Rio Ave FC

Taça da Liga! Estamos no Gupo A


Ficamos no Grupo do Benfica , Paços e Aves... nada facíl!
A 1ª jornada abre no dia 16 de Setembro, com um SL Benfica v Rioave FC
O Sporting, detentor do troféu, vai defrontar o Marítimo na primeira jornada do Grupo D da terceira fase da Allianz Cup. Os leões vão ainda jogar com o Feirense e Estoril.Já o FC Porto ficou integrado no Grupo C, juntamente com Chaves, Belenenses e Varzim, e o primeiro jogo do Porto é no Dragão com o varzim!.

PRESSÃO!

Poderá falar- se em pressão á 2ª Jornada?
Existe ou não pressão neste momento?
 
Eu acho que sim! Ainda que pouca mas existe, vejamos:
 A pressão está sempre associada às derrotas, quando perdemos, mas temos margem, é fácil esquecer, e partir para o próximo jogo. Mas quando estamos no início do campeonato, existe sempre uma pressão adicional: - a 1ª vitória! Como sabemos, essa pressão (1ª V) e apesar do mau jogo do Marítimo na semana passada, não existe do lado deles, eles têm a tal Margem neste momento e jogam com 2 resultados, um ponto será sempre bom para eles porque mantêm a margem! Já o Rio Ave, sente essa pressão da 1ª vitória, isso não é nada bom porque em regra deixa os jogadores, treinadores e adeptos intranquilos, essa intranquilidade pode gerar nervosismo, e alguma ansiedade, podemos ficar a 6 pontos de um direto adversário á segunda jornada, vendo o lado positivo, também podemos alcança-los na tabela! 
Por isso, por favor tenham alguma paciência com eles (jogadores) eles sentem muito mais do que nós!
Mas existem mais algumas pressões: - perdemos na semana passada, e fizemos um mau jogo, isso preocupa-me muito mais, gerando talvez um pouco mais de pressão para tdoos nós, além disso gera mais trabalho para o treinador em termos anímicos, e coloca-o a pensar se deve ter algumas reservas, trocando algo , ou insistindo no seu modelo, sofrendo com as consequência de ambas opções.
A pesar de parecer que o modelo está encontrado, a equipa ainda está longe do seu onze final, e a ausência de alguns jogadores, e, ainda a má forma de outros, aliado á falta de concretização, podem todas elas trazer ainda mais pressão! Precisamos de não sofrer, e de marcar golos pelos  avançados, de preferência  do PONTA DE LANÇA, isso moraliza muito!
Por isso, por favor tenham alguma paciência com eles (jogadores) eles sentem muito mais do que nós! 
Ajudem, não assobiem!

Só um golo a mais que o adversário, vai aliviar a minha pressão!

17.8.18

Silvério (também) inscrito nos sub23 (CORR.)

3 5 jogadores na lista da equipa profissional e nos sub23: Carlos Alves, Damien e ... Silvério. Rafa e Schutte (corrigido).
(é um campeonato novo, com equipas novas, mas acho que temos um plantel com qualidade, para poder ganhar vários jogos)

Para conhecer melhor a Liga Revelação (sub23) que amanhã começa

Amanhã, 11 horas, em Santa Maria da Feira, começamos o campeonato sub23.

A Liga Revelação é disputada em duas fases. A primeira fase é composta por 14 participantes em que todos jogam entre si, duas vezes e por pontos, um na qualidade de visitante e outra na qualidade de visitado. Os seis clubes melhores classificados da primeira fase qualificam-se para a Fase Apuramento de Campeão. Os oito clubes classificados do 7.º ao 14.º disputam uma segunda fase da competição. Em ambas as etapas, os participantes jogam duas vezes entre si – fora e em casa – transitando com metade dos pontos obtidos na primeira fase da prova.

Não há descidas de divisão.

O horário oficial dos jogos da Liga Revelação será aos sábados, às 11h00, e às terças-feiras, às 18h00, considerando-se este o horário reservado para as transmissões televisivas.

Os jogos deverão ser obrigatoriamente disputados num terreno de relva natural

Em termos de composição das equipas, os clubes podem designar até 12 jogadores suplentes na ficha de jogo, podendo efetuar até 4 substituições no seu decorrer, no máximo de 3 paragens, sem distinção das posições que os jogadores ocupam em campo e independentemente de os substituídos se encontrarem ou não lesionados.

Apenas podem competir nesta prova jogadores nascidos a partir de 1996, que tenham a categoria de Sénior, Júnior A ou B.

Os clubes que não tenham tido, na época 2017/2018, uma equipa B nas competições profissionais devem inscrever na ficha técnica de cada jogo um mínimo de 4 jogadores com idade compreendida entre os 21 e 23 anos, inclusive. Sem prejuízo do ponto anterior, o clube que não tenha tido, na época 2017/2018, uma equipa B nas competições profissionais deve inscrever obrigatoriamente na ficha técnica de cada jogo dois jogadores com idade superior a 23 anos, inscritos numa das competições profissionais, não contanto para os efeitos da idade os guarda-redes
(fonte: FPF e FPF)

16.8.18

Uma lição para o futuro?

Ouvia há pouco Leandrinho dizer que o Marítimo é uma boa equipa porque mantém a base da época passada.
Do nosso lado, também não faltam referências ao facto de, este ano, termos uma equipa nova.
Muito mais com um desafio europeu pela frente (que se calhar, também por isso, correu mal).
Será que faz sentido ter, nas próximas épocas, outro tipo de cuidados, limitando o número de titulares que podem sair?
Claro que haverá sempre alguns que vão sair, por várias razões. Mas é certamente possível ter uma atitude mais proativa, antecipando cenários e prevenindo a razia.
(a equipa em finais de maio)

15.8.18

Com o mesmo onze?

Frente ao Marítimo, começamos com o onze que jogou em Portimão (essencialmente, Dala a 10)?
Schmidt não foi aquilo que se esperava, embora avaliar um jogador por um jogo seja uma injustiça.
Acredito que José Gomes tenha algumas insónias por estes dias.
A equipa não esteve bem mas ele não pode fazer muitas mexidas.
Essencialmente precisamos de mais explosão, mais pulmão a meio campo.
Há quem o possa fazer no plantel?
Há dois jogadores que ainda não vimos (Joca e Jambor - este apenas alguns minutos) - serão eles a chave do problema?
(foto: Rio Ave FC)

(PS - Na posição 6 do meio campo precisamos de quem recupere bolas, de uma carraça em cima do adversário, de um jogador que encurte os espaços; Tarantini poderia ser esse jogador? Jambor?)

14.8.18

Dar a volta no domingo

Com o apoio dos adeptos e uma outra atitude, a equipa tem mais probabilidades de vencer o Maritimo no domingo.
O apoio não vai faltar, de certeza.
Quanto à atitude, acredito que é o treinador que tem a primeira palavra.
Porque pode e deve ser o líder psicológico da equipa e porque tem de escolher os jogadores que melhor podem render em cada momento (o que não é o mesmo que os melhores jogadores).
É claro que as lesões estão a limitar a equipa, mas cabe aos que estão mostrarem que justificaram a opção.
Quanto ao modelo de jogo proposto pelo treinador, não tem porque não funcionar: é um modelo milhões de vezes testado, basta afinar o que tem de ser afinado (sobretudo 'convencer' o ataque que tem ser o primeiro a defender)
(foto: Rio Ave FC)


13.8.18

Não gostei

Não quero aqui discutir o facto de, no site do Rio Ave, haver uma responsabilização do árbitro pela derrota (pelo menos indiretamente).
Mas se o segundo golo do Feirense "foi marcado com falta sobre Nadjack", porque é que não houve um único protesto da nossa equipa? (e poderiam ser esses protestos a levar ao VAR, tal como na eventual grande penalidade sobre Dala)
É por estas e por outras que digo que a equipa está sem alma.
E, entre outros fatores, esse é para mim o mais preocupante.
(uma equipa de braço caídos após o golo; Nadjack de joelhos, Tarantini ao lado, Buatu de costas, Dala na linha da grande área; eu queria ver uma equipa de braços no ar!)

Atenção

Foto RAFC
Perante um adversário a jogar nos "limites" o Rio Ave FC como que se intimidou e respeitou demasiadamente.
O Rio Ave FC encontrou um relvado "impróprio" para a prática de bom futebol.
Mas não foi apenas por estes condicionalismos que se perdeu. Perdeu-se porque nunca conseguimos reagir intensamente, mesmo depois de estarmos a perder por dois golos. Não conseguimos criar uma dinâmica que nos fizesse acreditar que era possível alterar o desenrolar do marcador.
É natural que os adeptos estejam tristes - a derrota entristece-nos sempre. 
Ao quarto jogo efetuado esta época, temos duas derrotas, um empate e uma vitória. 
É o momento certo para se prestar atenção ao que de bom se fez e ao que de menos positivo aconteceu e rapidamente se corrigir.

Derrota merecida, Penalti por marcar, Relva ordinária


Depois da vitória em Portimão, sinceramente esperava muito mais deste jogo inaugural. Ontem de facto o Rio Ave mereceu perder, mais até pela inépcia, do que por justiça. Ao longo do jogo as oportunidades foram repartidas, e o Rio Ave até teve o dobro da posse de bola, mas então o que falhou ontem?
Ontem  falhou a equipa, é notória  a falta de entrosamento e falta de processos!
Ontem houve também uma mudança nos posicionamentos dos jogadores do meio campo, o treinador colocou de início Schmidt ao lado de Leandrinho e fez subir Tarantini no Terreno para a posição 8, mantendo o 4-2-3-1, sendo que desta vez DALA surgiu a ponta de lança, saindo da equipa o Bruno Moreira, confesso que quando vi esta equipa gostei de ver o treinador mexer no ”miolo” pois continuo a achar que é aí que está o problema, e ao fazê-lo o treinador está a admitir que as coisas ali não estão bem,  mas infelizmente não resultou.
Schmidt  foi um jogador mais posicional e ontem também ele muito lento e desinspirado não se dando bem com Leadrinho, foram talvez os obreiros desta derrota, ter 2 jogadores a executar mal no centro do terreno, é meio caminho andado para a derrota,  sendo Schemidt mesmo o 1º  a ser substituído, pelo ponta de lança Bruno Moreira, voltando o treinador á formula dos jogos da liga Europa,  com Dala atrás do ponta de lança e Tarantini ao lado de Leadrinho, a equipa melhorou de facto, mas o adversário já estava muito confortável com o resultado e baixou as linhas, e nós sabemos como esta equipa joga naquele relvado, com linhas bastante recuadas, eles sabem sofrer, é o jogo deles!
Foto: RAFC
Finalmente dizer que também defendemos muito mal na primeira parte, esta equipa não sabe pressionar, ou pelo menos tem metido muito pouca pressão no jogo do adversário, jogadores como Gabrielzinho e Galeno que ontem quase não defenderam, conforme é exigido no futebol moderno, acabam por expor a equipa a desequilíbrios, estivemos portanto mal a defender, sempre muito macios, e com agressividade nula, já o adversário… como se diz no futebol: - até comiam a relva!(diga-se que estava uma miséria, como é possível a Liga permitir este tipo de relvados, acho que assim como existem prémios para os melhores relvados, também deveriam existir MULTAS para os piores, quem conhece o centro de treinos do Feirense sabe que qualquer um desses campos (3) tem melhor relvado que o Marcolino! A meu ver este relvado está assim intencionalmente, é estratégico, e por isso deve ser punido).
Fica o registo de um Penalti quanto mim claríssimo, e não venham com a intensidade…o jogador coloca o pé sem bola para impedir Dala de passar e consegui-o! Esteve mal o vídeo árbitro!
Em conclusão, foi uma derrota merecida.  Temos que melhorar muito…E porque também falhamos na finalização, estou plenamente convencido de que, se eventualmente marcasse-mos um golo, o jogo teria  talvez um resultado diferente, mas a equipa não foi capaz!