20.8.19

Said(a) para o Lokeren (Bélgica)

Os jornais belgas dizem que Said já esteve a conhecer o clube mas a verdade é que ainda não é oficial.
Said veio em janeiro e nunca se afirmou na equipa principal - quatro jogos e um golo.
A imprensa diz que segue para Lokeren emprestado.
(a confirmar-se ,o plantel ficará com 17 jogadores da época passada mais sete reforços. 24 jogadores. As contas aqui)

Bruninho - o homem em destaque (ATUAL)

Já se percebeu que a equipa sub23 mantém a estrutura do ano passado.
Pelo menos enquanto não se encontrar colocação para Carlos Alves, Tiago André (esteve no banco, mas não foik utilizado), Jaime e Furtado (a recuperar de lesão). E enquanto Costinha e Vitó não forem opção na equipa principal.
Aqui estão 4 dos titulares de quinta-feira.
Juntem-se os dois centrais (Bianchi e Filipe Almeida), mais Diogo Teixeira e Schute e já temos 8 jogadores que transitam.
As três novidades são o defesa-esquerdo brasileiro Gabi (a cumprir a terceira época em Vila do Conde, depois de passagens por Atlético de Madrid, Benfica e Sporting, entre outros), o médio vilacondense (fez toda a formação de caravela ao peito, desde os 13 anos) Pedro Graça e o reforço Bruninho - o melhor em campo.
Bruno Lopes tem 21 anos e um percurso longo. Já jogou nas equipas principais do Gil Vicente ou Merelinense.
Parece ter sido uma boa contratação.
(Atualizo: marcou os dois golos no Estoril , 2 - Rio Ave , 2)
(gostava de apresentar uma foto do jogador com a nossa camisola mas infelizmente não foi possível)

19.8.19

O que o jogo de sexta nos disse (reforços)

15 minutos antes do jogo ligaram-me da Rádio Estádio para deixar algumas ideias sobre a partida em Famalicaão.
E, ao contrário do que julgo ser a minha maneira de estar, não tive muito para dizer, a não ser que estávamos centenas à espera da vitória.
O que me deixou encrencado foi o onze que o míster escolheu.
No início da época CC disse que o 5º lugar era difícil, dando como exemplo o facto de termos perdido jogadores influentes (embora só dois titulares no final da época, Semedo e Dala).
Já entraram cinco jogadores e CC apenas usou um de início em Famalicão.
Depois do que se viu frente à Oliveirense (ficámos iludidos com o resultado?), o míster apostou nos mesmos.
Taremi pode estar a adaptar-se mas é titular de caras neste Rio Ave! Um bom jogador, mesmo a adaptar-se, mostra o seu valor. Taremi mostrou.
(foto: Facebook Rio Ave FC)


Outra coisa: antes do jogo, Carvalhal disse que "Temos dois jogadores por posição, mas estamos sempre abertos a melhorar o potencial e qualidade do grupo. Continuamos atentos ao mercado e se aparecer uma ou outra situação haverá sempre oportunidade para incorporar um ou dois jogadores". Acredito que tenha reforçado essa opinião. Como já se escreveu neste blogue, é urgente um médio para 'apertar' Diego Lopes e precisamos de um defesa direito de qualidade indiscutível (e não quero voltar a falar de Costinha). Já agora, quem é o substituto de Tarantini? Vitó? Jambor? Aquela posição é chave.

18.8.19

Entrada em Falso


A estreia no campeonato deu-se com uma derrota em Famalicão.
Não é chocante. Mas foi uma desilusão.

Primeiro porque era o nosso primeiro jogo e vínhamos de um 6-1.
Depois é uma equipa que subiu este ano e nós já andamos cá em cima há 11.
Mais que isso é um adversário directo num concelho fronteiriço pelo que não deixa de ser um derby.

Em relação 11 era o que imaginava à excepção de Gabriel. Acreditei que com os 45 minutos contra a Oliveirense teria perdido o lugar para Medhi.
Assim não aconteceu e mais uma vez desperdiçou a oportunidade.

Primeira parte fraca de nossa parte.. Entramos mal. Sem conseguir pegar no jogo e com ansiedade. O que não é normal. Defesa intranquila e meio-campo sem iniciativa o que levou a que quase nem houvesse ataque porque a bola não chegava lá.
Aliás a equipa jovem e inexperiente era o adversário mas nós é que nos demos a esse papel.

De referir que a falta sobre Diego é vermelho. Mais chocante é que o VAR, Bruno Esteves, foi o árbitro que há 2 anos expulsou Geraldes por muito menos na Madeira.
Contudo, admito que Tarantini também podia ter sido expulso e não foi.
Onde continuamos a ser prejudicados é na escassez de amarelos aos nossos adversários.Foi o ano passado e começou igual.
Junio ficou condicionado logo na primeira parte, quando os laterais e médios do Famalicão fizeram várias faltas semelhantes.

Na segunda parte melhoramos ligeiramente.
Mas eles marcaram e nós não. Bolas ao ferro, perda de bola infantil que dá expulsão, Mané por azar em fora-de-jogo, penalty falhado... e eles a aproveitarem um brinde do nosso guarda-redes.
Faz parte. O árbitro prejudicou, prejudicou bastante, mas mesmo assim, tínhamos obrigação de fazer muito mais.
Messias é bem expulso. O golo é bem anulado. E a falta que dá o golo do Famalicão é que me deixa muitas dúvidas.
O que não me deixa dúvidas é a falta à entrada da área aos 90+5 sobre Filipe Augusto onde Rui Costa mais uma mostra a sua classe e mostra amarelo ao nosso jogador por simulação quando este leva uma valente pantufada.
Árbitro fraco... mas Rio Ave também fraco... e quando assim é... fica mais difícil.
Jogamos 10 minutos quando entrou Medhi. E gostei de Carvalhal no risco que correu. Com menos 1 era fácil manter 4 atrás e ninguém o iria questionar... mas arriscou e isso é de realçar.

Medhi mexeu com o jogo. Rápido, intenso, disponível, lutador, qualidade técnica, visão de jogo. Tem tudo.
Gabriel tem de sair.
A questão é se Medhi entra para a esquerda ou se passamos ao 4-4-2 com Bruno atrás de Medhi como acabamos em Famalicão e onde resultou melhor, com Diego na esquerda e Nuno à direita no meio-campo.
Mané está claramente em baixo de forma e para já não justifica a titularidade.

Nota 1: Aderllan se estiver com ritmo e qualidade com que saiu de Braga entra de caras nesta equipa. Monte esteve muito inseguro. No seu forte que é a saída para o ataque falhou muitas vezes.

Nota 2: os laterais tão criticados a época passada estiveram bem.

Nota 3: Não vou crucificar Pawel por dar um frango nem FA por falhar o penaltie.

Nota 4: Muito menos vou crucificar Bruno Moreira, ao contrário do que vi, 3/4 da bancada fazer, porque primeiro é preciso que alguém passe a bola para a poder ter. Depois é difícil jogar com um fosso de 30 metros, aguentar a bola à espera que alguém a venha receber com esse tempo de espera. Terceiro é muito complicado fazer a pressão sozinho na saída de bola do adversário, aliás, é inútil e a culpa não é dele.
Quarto: não devemos ser ingratos para com Bruno Moreira ao compará-lo com um jogador que vale 17milhões de euros. Sim, Vinícius custou ao SLB 17 milhões pelos muitos golos no Rio Ave FC e não pelos 2 golos em 6 meses no Mónaco. E a última imagem para comparar Bruno é essa: não o devemos fazer.
Mais: devemos comparar Bruno com Guedes e nesse aspecto estão ao mesmo nível. E Guedes era tão criticado... enfim. Além disso, Guedes na sua melhor época tinha um médio a jogar a 10 que ajudava muito na pressão alta na saída do adversário: Geraldes. E Geraldes tinha atrás dele Pelé: o melhor 6 do Rio Ave FC nos últimos 15 anos.
Diego não faz metade do trabalho defensivo de Geraldes e daí achar que Diego deve passar para a esquerda. Porque Bruno pode ajudar Medhi a fazer esse trabalho jogando com os 2.
Bruno falhou um golo? Falhou. Mas não era uma bola fácil. É mais grave que o erro de Nuno Santos, de Pawel ou de FA? Não me parece.
Acho sinceramente que ninguém dá o devido valor a Bruno Moreira, que depois dos pontas-de-lança das 4 equipas crónicas nos primeiros lugares, não sei se haverá algum tão bom quanto ele.

17.8.19

Só jogamos dos 77’ aos 96’!



Foto (Rio Ave FC)
Agora mais a frio queria deixar aqui 5 ideias sobre este jogo.
A 1ª tem a ver com a nossa entrada no jogo, apáticos, quisemos fazer um jogo controlado, parecia haver risco zero na cabeça de todos, parecia que estávamos a jogar para o empate, a querer dar iniciativa e posse ao adversário. A equipa até conseguia as faixas, com Nuno e Gabrielzinho,  e chegou varias vezes á zona de finalização na 1ª parte, mas esta foi eu diria no mínimo infantil, ora na forma como permitimos que o adversário se antecipasse, ora na decisão dos nossos atacantes, quase sempre precipitada ou inconsequente. Nunca ganhamos o meio campo, raramente a 2ª bola, e quando a recuperávamos, perdíamos-la logo a seguir. Eu diria que falhamos na abordagem ao jogo, em vez de sermos nós a surpreender, foram eles que nos surpreenderam, mais rápidos sobre o portador, Flipe Augusto e Tarantini sem qualquer capacidade para construir, eles eram mais energéticos, e mais faltosos!
Vendo o jogo novamente, na sua totalidade hoje, a 2ª ideia tem a haver coma "ideia de jogo". Já conhecemos bem este, 4-2-3-1 do Rio Ave em posse, que é dinâmico, e que se transforma em 4-4-2 quando defende. O curioso é que o nosso adversário, para surpresa minha, e pelos vistos para CC também, começa o jogo num falso 4-3-3, na prática o Famalicão defendia com um 5-4-1, e saía a jogar em 4-2-3-1, a diferença entre eles e nós, é que eles jogaram apenas com 1 pivô defensivo, e  com 2 jogadores a construir, nós jogamos sempre com 2 pivôs defensivos, e apenas um a construir, esta supremacia no meio campo, deu-lhes confiança suficiente para jogarem de frente para a bola, e nós sem espaços, jogamos quase sempre de costas para a baliza. Fico com a sensação que que CC esperou demasiado tempo para alterar isto, demos 45’ ao adversário sem necessidade nenhuma, no campo víamos que éramos melhores, mas na prática eles corriam o dobro, e eram mais agressivos! 
A 3ª ideia, é a de que o treinador mexeu bem na 2ª parte, mas foi uma mexida muito reativa à expulsão, e ao resultado. Ao vê-los a aquecer antes ainda do intervalo CC já se preparava para colocar Mané, e Mehdi em campo, mas a expulsão obriga-o a mudar o plano de jogo, e como é óbvio, aí esteve bem,  reequilibrar a equipa era primordial. Depois da expulsão, e do golo, a equipa teve 15 min’ sem conseguir sair do seu meio campo, mas quando CC decide arriscar( 77’ min) tira o defesa lateral, passa a jogar com uma defesa a 3, a partir daí encosta o adversário ás cordas, a equipa cresce, e só não empata por manifesta falta de sorte. O Filipe Augusto não pode marcar penalties assim, acaba por chegar muito devagar à bola, o pé de apoio fica muito junto à bola, e claro o falhanço é uma consequência...
A 4ª Ideia, é a de que se queremos jogar todos os jogos para ganhar, no tal jogo a jogo, porque razão  damos 45 min ao adversário? Não percebi, nós temos melhor equipa que este Famalicão isso notou-se, mas fomos pequenos na atitude e na abordagem ao jogo. Porque razão não reagimos taticamente na 1ª parte e não colocamos Tarantini  ao lado de Diego ou colocamos Jambor em campo? deixando apenas Filipe Augusto encostado aos centrais?  Eu sei agora parece fácil,  e  eu não sou treinador. Mas mister uma equipa que quer jogar para a Europa tem que entrar a mandar, e nós entramos intranquilos e cheios de medo.
A 5ª Ideia, tem a haver com o Árbitro e com as opções do treinador no escalonamento da equipa.  A falta que dá o Golo ao Famalicão,  não existe, é um erro claríssimo do Árbitro, Tarantni joga claramente a bola. No último lance do jogo, houve falta sobre Filipe Augusto, era um livre perigosíssimo, e nunca cartão amarelo por simulação, de resto Rui costa, esteve bem nas decisões, no entanto este "caseirismo" que se lhe reconhece é que não se compreende, principalmente contra nós.
Quanto ás opções,  sem assistir aos treinos, eu ia ao mercado o quanto antes buscar DEFEZAS/LATERAIS... Tirava da equipa Messias, Monte, e Tarantini,  e colocava Aderlan, Borevkovic e Jambor,  e ainda se continuarem "nesta" forma Gabrielzinho e Bruno  também têm que sair da titularidade, temos também que encontrar alternativa a Diego Lopes, sendo que deste jogo sai uma  certeza, Mehdi tem que ser titular já no próximo encontro, já está pronto, apenas 19 min em campo,  foi claramente o melhor! Nota Final para o Público, grande claque!

16.8.19

Rio Ave perde 1-0 em Famalicão. (ATUAL)

De uma forma curta e grossa: o Famalicão jogou melhor e teve mais atitude do que nós, mas nós fizemos o suficiente para empatar (duas bolas na barra e um penalti disperdiçado).
Os meus colegas de blogue falarão certamente de outras coisas (da arbitragem, do desacerto da defesa, etc.), mas como estou muito f... chateado, prefiro fazer esta análise:
1) Carvalhal esteve mal no onze. Voltaram a jogar os mesmos, mesmo aqueles que se percebem que não têm condições para serem titulares ou não estão em boa forma. Dois exemplos (mas há mais): Gabriel e Bruno Moreira. Gabriel começa a cansar os adeptos; Taremi fez mais em 10 minutos do que Bruno em 90!
(melhor em campo Taremi!)

2) Cedo se percebeu que o Rio Ave estava com muitos problemas no meio campo. Chegávamos tarde, perdiamos os lances (o golo do adversário nasce de uma perda de bola de Nuno Santos no nosso meio campo), sucediam-se os passes errados (Monte, o que se passa?). E a verdade é que o míster não encontrou antídoto para contrariar a pressão adversária.
3) A perder 1-0 e com menos um, CC faz uma jogada ousada; tira o defesa-direito, desloca Borevkovic para o local e mete Taremi. Só não empatámos por manifesto azar.
Em resumo: hoje CC não me convenceu.

PS - quase 400 adeptos apoiaram o Clube em Famalicão, destacando-se a mobilização da Associação. É merecedor de nota e de apreço.

(ATUAL: Análise lúcida de Carvalhal no final)

15.8.19

Sub23: vitória 1-0 frente ao Benfica

Jogo positivo da nossa equipa, embora se note que falta (naturalmente) entrosamento.
Rio Ave apresentou-se com três novidades no onze  (Gabi, a defesa esquerdo, Pedro Graça a médio avançado e Bruninho a extremo) e foram precisamente dois desses jogadores a dar nas vistas: Bruninho, o melhor em campo, e Gabi.
Outra novidade, mas apenas tática, Diogo Teixeira foi o trinco, no lugar de Martim.
De resto tivemos a equipa do ano passado, com Vitó a titular (jogou 45 minutos), tal como Carlos ALves, Costinha, Bianchi, Filipe Almeida, Jaime e Schutte (algumas exibições descoloridas, com destaque para os dois avançados, complicativos).
O Rio Ave foi mais perigoso, foi mais lutador e mereceu a vitória.
(foto: Facebook Rio Ave FC)

PS - 11 horas, o jogo prestes a começar: na porta destinada aos sócios e adeptos do Rio Ave (a maioria) está apenas um segurança e uma fila de 30 ou 40 pessoas. Na outra porta, dos adeptos visitantes, estão dois ou três seguranças e nenhum adepto para entrar. Amadorismo.

Costinha titular nos sub23

Previsão completamente furada.
Costinha jogou uma hora hoje frente ao Benfica.
Exibição positiva.
Quase marcava de cabeça.

Vamos lá começar! Como Joga o Famalicão?


Na semana passada ficamos todos desiludidos por não haver jogo!
E porque não reverter esta situação a nosso favor? Como?
Eu explico:
O Famalicão apesar de ter ganho ao Santa Clara na 1ª jornada, a mim não me convenceu,  vi um Santa Clara bastante perdulário, o melhor em campo foi mesmo Defenfi o GR do Famalicão, fez 3 ou 4 defesas de grande nível, e evitou que o Santa Clara empatasse a partida.
Vi um Famalicão com muitos desequilíbrios no seu processo defensivo, com grandes dificuldades no jogo aéreo e em lances de bola parada. Usa 2 sistemas, começa quase sempre com o 4-2-3-1, mas em muitos momentos do jogos transforma-o em o 4-4-2( igual ao Rio Ave). Este Famalicão é no entanto muito forte nas transições, chega a colocar 6 jogadores no processo ofensivo, vive essencialmente da velocidade de Fábio Martins e Ruben Lameiras, 2 extremos de grande qualidade, que servem o ponta de lança Toni Martinez, quanto a mim o melhor jogador desta equipa fica guardado para Pedro Gonçalves, um 10 de grande qualidade, com uma técnica acima da média. Mas voltemos à questão de fundo, o Famalicão venceu porque aproveitou com uma eficácia tremenda, invulgar até, as duas oportunidades que teve ao longo do jogo, e que nasceram CLARAMENTE de GRANDES erros defensivos do adversário. Chegados aqui, é precisamente aqui onde eu acho que podemos reverter a situação de não termos jogado na semana passada e transforma-la a nosso favor. Nós neste momento temos um conhecimento muito maior desta equipa do Famalicão, facilmente identificamos os seus pontos fortes e fracos, logo e por isso será fácil para CC  contrapor estes pontos do jogo do Famalicão, já o Famalicão a última referência que tem da nossa equipa é o jogo da taça da liga… Daí para cá passaram-se 2 semanas, e todos sabemos o que em 2 semanas nesta fase do campeonato os treinadores conseguem apurar, é muito tempo, e por consequência  acho que CC deverá ter encontrado a forma certa de surpreender este Famalicão.

O que o Rio Ave não pode fazer?
O Rio Ave não pode de forma nenhuma deixar que o Famalicão use a profundidade, se lhes dermos espaços entre linhas, e se eles conseguirem colocar os seus extremos de frente para a nossa baliza, antevejo grandes dificuldades, eles são muitos “sádicos” e pacientes, sabem sofrer, e adoram uma transição rápida, logo não podemos ser uma equipa macia, quero um Rio Ave forte e “agressivo” para este Famalicão, nem que para isso seja necessário recorrer mais vezes do que é habitual nesta equipa a faltas no meio campo.

O que podemos fazer para ganhar?
Termos posse, enervá-los, eles jogam em casa após 25 anos de ausência na 1ª liga, pressionar o portador da bola como se fosse uma final, atacando o que de pior eles têm, a defesa, bem como os lances de bola parada, temos que ser audazes e ao mesmo tempo inteligentes, porque se por um lado eles estão tranquilos porque já têm 3 pontos, por outro eles sabem que venceram um adversário direto com uma dose elevada de sorte, e que este Rio Ave, é muito melhor que o Santa Clara, logo podem desta vez não ter a sorte que tiveram nos Açores, assim sendo, penso que também lhes assiste muito nervosismo.

14.8.19

Costinha titular em Famalicão

Provavelmente a frase deveria ser uma pergunta: Costinha titular em Famalicão?
E depois eu respondia: sim.
Mas a minha convicção, relativamente às capacidades do jogador, é tão elevada, que escrevo afirmativamente.
Carvalhal, nestas duas semanas, teve oportunidade de ver as qualidades de Costinha e já não tem dúvidas sobre a sua continuidade na primeira equipa.
Mais: depois de amanhã, em Famalicão, será a grande sensação do onze Rioavista!
(foto: Facebook Rio Ave FC)


Saiu Strkalj

Rescindiu e vai para Tondela.

O plantel tem nesta altura 18 jogadores da época passada mais sete reforços. 25 jogadores. As contas aqui)

(ficámos sem conhecer o real valor do jogador. No Tondela poderá mostrar-se e António Araújo, o empresário, saiu vencedor. Agora só lhe falta encontrar clube para Leandrinho, que a situação atual é má para o jogador. E por falar em empresários, das cinco contratações, duas têm a assinatura de Gaspar Freire, Kieszek e Aderllan.).

13.8.19

O central é Aderllan (ex-Braga)

Santos é defesa-central, com 30 anos, de nacionalidade brasileira e vasta experiência no futebol português depois de ter representado CD Trofense e SC Braga, por quem conquistou uma Taça da Liga, antes de trajecto de relevo no futebol internacional pelos espanhóis do Valência e pelos brasileiros do São Paulo e Vitória.
(o comentário: Aderllan fez uma grande época no Braga em 2014/15 e foi vendido por quase 10 milhões ao Valência. Nunca se impôs e andou sempre emprestado. Na época passada o Al Ahli Jeddah da Arábia Saudita comprou o passe por 5 milhões e é emprestado pelos sauditas que Aderllan chegou ontem a Vila do Conde. Vem para relançar a carreira, mas se não desaprendeu continua a ser um central de qualidade.)

Crise? Oportunidade (para uma bancada nova)

Sim, estamos todos de olhos em bico com a estória da bancada, mas não é por isso que trago estes dois carateres chineses: em conjunto significam crise, mas separados têm uma lógica interessante: o primeiro quer dizer perigo e o segundo (entre outras coisas) oportunidade. Ou seja, na ideia dos chineses, crise pode ser uma oportunidade.
É nisso que tenho pensado nestes dias: se o ISEP acha que a bancada nascente não está em condições de suportar 'carga', fará sentido gastar dinheiro a repará-la? Quanto custa a reparação?
Não será melhor aproveitar e fazer uma bancada nova, coberta, a nossa nova bancada, deixando a poente exatamente como está, para os adeptos visitantes?
Acredito que esta pode ser uma oportunidade de valorizar o património do Clube.
Não temos dinheiro?
Se é necessário, vamos ao banco e pagamos as prestações.
Se tivermos de reduzir o orçamento da SAD SDUQ um milhão por ano não virá daí mal ao mundo.

12.8.19

Arranque... a seco

Seria suposto hoje estar a escrever sobre uma possível desilusão ou sobre uma grande vitória sobre um adversário directo ou até sobre um jogo fraco sem história nenhuma.
A verdade é que não arrancou o campeonato para o Rio Ave FC, tendo como causa algo grave.

Falta de segurança na bancada nascente.

Em primeiro lugar: se há risco de alguém se magoar ou perder a vida então a tolerância deve ser 0. Não há jogo de futebol no mundo que se deva sobrepor à integridade nem muito menos à vida de ninguém e nesse aspecto a decisão era básica: não arriscar.

Depois vêm outras questões.
O relatório foi entregue dia 8/8/2019. Quando foi pedida a vistoria? 2 dias antes?
Ou 3 meses antes como se fala?
O ISEP não tem capacidade para apresentar um relatório em menos de 3 meses?

1 semana antes houve jogo nos Arcos com adeptos da Oliveirense na bancada nascente.
Tinham condições de segurança? Os adeptos do Vitória são mais que eles?
Houve negligência da Liga em autorizar um jogo sem vistoria?

Naquela bancada há um café, há balneários e há mais movimento.
Acredito também que 60 pessoas não façam o peso de 2500 em movimento e que as vibrações provocadas por estas aumentem exponencialmente e muito qualquer tipo de risco da estrutura.
Mas sem relatório, uma semana antes, como se adivinhou isso?
E não devia ser o Rio Ave FC a explicar isso aos sócios?
A dar "uma palavrinha"?

Desportivamente saíamos prejudicados, na minha interpretação. O Vitória tinha o nosso jogo entre 2 jogos europeus. Embora já numa fase mais adiantada de preparação acredito que neste momento, mais que ganhar em Vila do Conde, a cabeça deles estaria na Liga Europa. Algo que a 8 de Setembro não se passará até por ser data de selecções.
Jogaremos o primeiro jogo do campeonato, na prática, fora de casa e em Famalicão. Adversário teoricamente directo e que neste momento já tem 3 pontos, já passou a ansiedade da estreia, quando nós ainda não e em que um empate os deixa 3 pontos à nossa frente.

Em termos de imagem saímos denegridos de uma forma escandalosa, mesmo que não haja responsabilidade total do clube. Em termos de comunicação houve deficiência na forma como se expôs o assunto e a direcção ficou mal vista.

A reforçar este ponto, temos o facto de nos últimos 5/6 anos se falar constantemente na falta de condições que o estádio proporciona aos adeptos e numa cobertura que não foi feita na bancada poente... porque tecnicamente não era viável.
Agora temos antes disso de resolver o problema da bancada nascente, que como toda a gente já vinha dizendo tinha menos condições que a poente.

Vou só reforçar algo que disse há uns tempos.
Temos neste momento uma bancada péssima e uma bancada má (exceptuando as zonas dos camarotes e da tribuna presidencial que sofreram obras de remodelação há 5 anos).

 A bancada péssima, a Nascente, aquela que não tem condições, bem podia ir abaixo, fazer-se uma bancada adequada ao grau de elevação que o Rio Ave FC hoje apresenta na primeira liga e com as condições de dignidade que os seus sócios merecem e um pouco mais acolhedora, coberta e abrigada e passarem os sócios para a Nascente, ficando a poente, má como está para os visitantes, onde já não era necessária uma nova cobertura, porque serviria exactamente como está.
Só queremos uma bancada à Paços.



PS: Se o fizerem e quiserem voltar a pôr os bancos do lado poente e deixarem a presidencial e camarotes na poente, assim o façam... se calhar até ouvem menos bocas. Até dava jeito...
Mas alguma coisa é preciso fazer. Ou na poente... ou na nascente.

11.8.19

Demolir a bancada?

da imprensa:

"a bancada não voltará a ser utilizada até que se perceba se é possível fazer obras que permitam que esta volte a estar a 100%, sendo que esse processo demorará ainda algum tempo. No entanto, a opção mais provável passa pela demolição da atual e reconstrução de uma nova bancada"
(especulação do Record?)

10.8.19

"o Rio Ave será um caso sério neste campeonato"

Em vésperas de tudo começar novamente, algumas opiniões de gente estanha ao nosso Clube:

"Depois da carreira de sucesso que construiu em Inglaterra, poucos apostariam neste regresso ao futebol português, que é por isso surpreendente. Até parece que Carvalhal decidiu voltar a Portugal para se "vingar" de quem nem sempre acreditou nele. E a primeira amostra da equipa, anteontem, na Taça da Liga, foi bem agradável: o Rio Ave será um caso sério neste campeonato. Manteve a estrutura-base do plantel da última época, bem como o inevitável Tarantini, que é muito mais do que um simples futebolista, e foi buscar um jogador que continua a criar grandes expectativas, Carlos Mané. Também se começa a falar de um tal Taremi, iraniano, que até marcou no jogo de estreia, um dos cinco reforços do novo rio Ave. Poucos reforços? Pois, se calhar está aí o segredo." (Carlos P Santos, O Jogo).

No Bancada há menos entusiasmo: "Por essa indefinição no grupo final e pelo facto de os jogadores ainda estarem a assimilar as ideias de Carlos Carvalhal, o próprio técnico não quis assumir uma candidatura clara aos lugares de acesso às competições europeias, embora as recentes prestações da equipa façam prever um Rio Ave a lutar pela primeira metade da tabela."

No Mais futebol: "O grande destaque do Rio Ave 2019/20 está no banco. O regresso de Carlos Carvalhal ao futebol português, nove anos depois de deixar o Sporting e com muita experiência acumulada, eleva a fasquia e a expectativa em torno da época do Rio Ave"

Sobre o adiamento do jogo com o Guimarães (ATUAL.)

Não duvido dos factos nem dos argumentos. Mas o conteúdo do comunicado, demasiado lacónico, deixa-me dúvidas *.
1) Os problemas estruturais já não existem no dia 8? [uma coisa é deixar o jogo por marcar, outra é marcar uma data, como aconteceu];
2) Se são estruturais, como se resolvem em menos de um mês?
3) Antes do dia 8 há jogo com o Aves; também vai ser adiado?
4) Frente à Oliveirense, a bancada nascente esteve aberta para os adeptos visitantes. Não devia ter estado?
5) O que são 'problemas estruturais'? Acho que todos temos a ganhar com mais informação.
6) Os problemas estão relacionados com as obras feitas para os sub23? Por falar nisso, a frequência do balneário está interdita?
(o que não pode estar em causa: a segurança, como é evidente)

* A mim e à maior parte dos Rioavistas, penso. Basta ver como foi recebida, no Facebook do Clube, a notícia. Não estou por dentro, não percebo, mas sei que estas coisas estão a desbaratar o capital de prestígio que o Presidente Campos justamente conseguiu. Lamento e faz-me pensar nas consequências.
atualizo a 20/8: só hoje o comunicado surgiu

JOGO ADIADO - Domingo Não Há Jogo!


Liga adia o jogo do Rio Ave - Vitória  devido a problemas com a Bancada Nascente. Jogo Adiado para 8 de setembro!
 Comunicado da Liga na integra:
«A Liga Portugal, no âmbito da preparação da época 2019/2020, realizou vistoria técnica ao Estádio do Rio Ave FC, tendo solicitado a obtenção de um parecer das condições estruturais da bancada nascente do recinto.

A Rio Ave Futebol Clube, Futebol SDUQ, atenta e veladora das suas responsabilidades, solicitou ao Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP) uma avaliação estrutural à bancada nascente do Estádio do Rio Ave FC, construído em 1984.
Conhecido o relatório do ISEP esta quinta-feira, 8 de Agosto, verificou-se que a estrutura da bancada nascente levanta algumas dúvidas quanto à sua deterioração, sendo necessária uma melhor avaliação técnica complementar que identifique o tipo de intervenção a executar.
Após reunião entre os intervenientes na organização do jogo da 1ª jornada da Liga NOS (Rio Ave Futebol Clube – Futebol, SDUQ, Vitória Sport Clube – Futebol, SAD, Liga Portugal e Polícia de Segurança Pública), realizada esta sexta-feira, 9 de Agosto, foi decidido o adiamento do respectivo encontro para dia 8 de Setembro de 2019, no Estádio do Rio Ave FC.
Informações adicionais relativamente à bilhética do jogo, anteriormente marcado para este domingo, serão entretanto comunicadas pelos respectivos meios de ambas as sociedades desportivas.
Rio Ave Futebol Clube – Futebol, SDUQ 
Vitória Sport Clube – Futebol, SAD 
Liga Portugal 
Polícia de Segurança Pública
9 Agosto 2019»

Comunicado do Rio Ave FC
Informação: Bilhética Rio Ave FC vs Vitória SC

9.8.19

O problema dos contratos longos

O que é que Miguel Rodrigues e Leandrinho têm em comum?
Ok, para além disso...
Ambos assinaram contratos de 4 anos (Leandrinho está no último ano mas Miguel ainda tem este e mais dois...).
Nos últimos anos, fruto da estabilidade desportiva e financeira, o Clube começou a fazer contratos de longa duração (mais de 3 anos).
É cedo para fazer um balanço definitivo, mas esta parece ser uma medida com mais contrariedades: embora Borevkovic e Jambor tenham assinado por 5 anos há também Said, 3 épocas e meia., ou Buatu, 4.
Talvez faça mais sentido reduzir a duração e incluir cláusulas de opção (2+1 por exemplo)

PS - das quatro contratações do Rio Ave nesta época, só Pedro Amaral fez mais de 4 anos (no caso, 5).


8.8.19

O que significa a saída de Murilo?

- Como ontem se escreveu, e até podendo acontecer que Murilo venha a fazer uma grande época no Paços, a verdade é que não vai deixar saudades por cá;
- Com a sua saída, há menos um extremo? Só aparentemente. Como se viu frente à Oliveirense, Taremi faz aquela posição. Portanto fica tudo igual.
- E ainda há a possível dispensa de Said.
- Se não estou enganado, o Rio Ave mantém-se no mercado por dois jogadores: um central e um médio ofensivo que possa também fazer de 2º avançado. Não será Dala, mas será um de igual valor, acredito.
- E o defesa direito? O Presidente do Rio Ave disse que Costinha ia ficar no plantel principal. Assim sendo, a meu ver não se coloca a questão de mais um defesa direito.



Resgatar Hassan

Agora que perdemos Dala [vai jogar na Bélgica, num clube obscuro, quando podia ser muito feliz em Vila do Conde...], e se ainda precisamos de um ponta de lança [Taremi é extremo? segundo avançado? ponta de lança?], a solução está mais perto do que parece: Hassan ainda é (parcialmente) nosso jogador, anda perdido em Braga e nós sem nada beneficiarmos.
Na época passada fez 15 golos em 32 jogos pelo Olympiakos, mas os gregos não exerceram a opção.
Agora que passaram 5 anos sobre o primeiro golo marcado pelo Rio Ave na Liga Europa (Hassan, claro), aqui fica o desejo deste adepto!
A não ser que o jogador prefira ficar em Braga, onde ganha mais, mas a ver os outros jogarem...


7.8.19

Murilo rescinde e vai para Paços.

Menos um plantel.
Ainda tinha dois anos de contrato (de empréstimo).
Pelo menos a min não deixa saudades.
Vai para Paços de Ferreira.
(o plantel atualizado aqui)

Jogos em duas sextas; numa delas às 21h15...

Jornada 2: Sexta-feira, 16 de agosto
Famalicão – Rio Ave, 20h30 - Sport TV

Jornada 3: Sexta-feira, 23 de agosto
Rio Ave – Desp. Aves - 21h15 - Sport TV

Jornada 4: Sábado, 31 de agosto
Sporting – Rio Ave, 19h00 - Sport TV

(jornada 1)

6.8.19

Procurar clube para 4

O Rio Ave espera pelas 'dispensas' dos 'grandes, para reforçar o seu plantel com jogadores emprestados, mas, ao mesmo tempo, procura, ele próprio, emprestar 4 jogadores.
Dois deles são casos já conhecidos: Leandrinho e Miguel Rodrigues - não sei o que se passa, e posso estar a falar do que não sei, mas não é bom sinal os jogadores (ambos com muitos jogos na primeira liga) não terem conseguido até agora um clube da segunda liga interessado. Continuam a treinar com os sub23.
Os outros dois são casos diferentes: Tiago André e Jaime são jogadores que - todos concordam - fecharam um ciclo nos sub23.
Acredito que ambos têm valor para jogar na segunda liga, mas à medida que o tempo vai passando as hipóteses estreitam.

5.8.19

Resultado Final = Rio Ave 11 - Reforços 0


Foto Rio Ave FC
Há cerca de 10 meses atrás fiz uma pequena comparação entre MC(Miguel Cardoso) e JC (JoséGomes), quis mostrar que apesar de usarem o mesmo sistema existiam diferenças, na altura o mercado estava fechado, e tínhamos Vinícius na equipa. Desta vez não pretendo fazer uma comparação entre Carlos Carvalhal(CC) e Daniel Ramos(DR), até porque seria manifestamente injusto, irei fazê-lo mais tarde, apenas quando o mercado fechar e o Rio Ave tiver as tais 7 jornadas.
Antes do jogo de sábado tinha 2 grandes expetativas para o jogo, confirmar o sistema tático, perceber as suas diferenças, e saber quais os reforços que entrariam de caras na equipa. Para surpresa minha o Rio Ave iniciou o jogo sem reforços, 11  jogadores do ano passado contra 0 reforços sendo que CC mantém o mesmo sistema de DR o 4-2-3-1, (se não estou em erro, desde Nuno Espírito este tem sido o modelo, o sistema de referência da nossa equipa, interpretado pelos diversos treinadores e posto em prática  com nuances bem diferentes, e também aquele que nos tem permitido, época após época estar sempre bem acima dos lugares de despromoção. Estes 2 factos: o mesmo sistema, e apenas os jogadores do ano passado de inicio podem dar/ter várias interpretações, em relação aquilo que CC queria para o 1º jogo oficial. O JPM já aqui referiu a sua visão, eu, no entanto tenho uma opinião um pouco diferente, acho que Carvalhal ainda não tinha(tem) segurança/confiança nos reforços, e por isso, e bem não os colocou protegendo-os, e protegendo assim também a equipa, jogando claramente pelo seguro.Mas a verdade é que alguns dos reforços depois de entrarem confirmaram precisamente isso(não estão ainda preparados), e portanto, devemos elogiar o treinador porque foi prudente, e inteligente ao usar a equipa que começou o jogo. Mas fica a questão dos jogadores que nos faltam, se depois do jogo ficou a certeza de que Mehdi Taremi tem qualidade, também me parece certo que não é um ponta de lança fixo, é um extremo que joga muito bem por dentro, e tem bom jogo de cabeça, ora isto será que quer dizer que ainda vamos receber um ponta de lança?  Espero bem que sim…

Quanto ao jogo, apenas para dizer que foi bom ver a equipa a marcar muitos golos e bonitos,  isso moraliza. O jogo teve um inicio bastante conservador, apesar de não gostarmos, é compreensível que  a abordagem tenha sido essa pois estamos no inicio…  depois do 1º golo a supremacia foi clara, e merecemos a goleada. 

O que eu vi no Benfica-Sporting de ontem (ATUAL.)

Vi duas equipas a usarem defesas direitos muito jovens, que jogaram nos sub23 na época passada com o nosso Costinha.
Para evitar distrairmo-nos com o acessório, não vou afirmar que Costinha é o melhor dos três (por acaso é a minha opinião), mas acho que todos concordaremos se se afirmar que são três jogadores do mesmo nível.
Qual é, então, a diferença?
Nuno Tavares e Thiery Correia jogam em equipas que apostam nos jovens (sobretudo o Benfica, único clube que, por isso, tenho elogiado neste blogue Rioavista) e que lutam por títulos.
Já Costinha joga num Clube em que os jovens têm tido poucas ou nenhumas hipóteses e que não luta por títulos.
Está tudo dito.
(como escrevi ontem, aceito a decisão de Carvalhal de não ter incluído Costinha para este jogo em concreto; o texto é sobre o futuro, não sobre o passado)
Atualizo;
"A lesão do Nadjack levou-nos a fazer uma reflexão, nos próximos dias, a fazer uma avaliação dos níveis de integração do Costinha, até que ponto estará apto a responder rapidamente ou precisará de mais algum tempo para responder à alta intensidade de jogos da I Liga, completamente diferente da dos jogos de sub-23. Está ainda em período de observação, está connosco há três ou quatro dias. Temos até final do mês para chegarmos a alguma conclusão"- Carvalhal

4.8.19

Sobre as escolhas de Carvalhal

Porque é que CC escolheu um onze da época passada para iniciar o primeiro jogo desta época? Durante a primeira parte discuti o tema com o Gualter e percebemos que havia interpretações difderentes. Numa coisa estávamos de acordo: não era uma escolha inocente. Para mim, CC quis dar um sinal aos jogadores que permaneceram: se têm valor, depois da pré-época frustrante, mostrem-no. Caso contrário, tenho de ir ao banco (ou ao Presidente...) buscar reforços...
Do ponto de vista dos adeptos, e se excluirmos o guarda-redes *, faltariam (pelo menos) dois jogadores no onze: Mané e Taremi - ou seja, eram aqueles sobre quem tinhamos mais curiosidade. Quando Mané entrou percebeu-se que ainda não está em condições de ser titular. E Taremi jogou a extremo (e não a ponta de lança).
Ou seja, mudei de opinião: CC escolheu aqueles onze pela simples razão de que são os melhores nesta altura (volto a excluir o guarda-redes). O onze frente ao Guimarães repetirá provavelmente o que jogou com a Oliveirense.
E digo provavelmente porque Gabriel voltou a não convencer, ele que até tinha feito bons jogos na pré-época.

(* Costinha vai ser o titular, mas talvez o  facto de ter chegado tarde e de ter feito poucos treinos justifique a sua ausência do onze e dos 18)

PS - ficaram de fora dos convocados, além de Costinha e de Nadjack (lesionado), Joca, Murilo, Said, Strkalj e Vitó (e o terceiro guarda-redes, naturalmente). 26 jogadores. CC estabeleveu a primeira linha de prioridades, mas não necessariamente a última.



Ganhamos... e vimos outras coisas... a doer.


Ganhamos. Estamos na fase de grupos da Taça da Liga. É bom.
Objectivo cumprido, numa altura em que nem sempre um jogo a eliminar é a coisa mais justa… ainda com o mercado aberto e com as equipas sem os jogadores todos disponíveis e sem assimilarem ideias de novos treinadores.
Quanto ao 11 apresentado por Carvalhal podemos constatar duas coisas cumulativas:
Jogaram jogadores que já cá estavam o ano passado e que além disso iniciaram a pré-época.
Ou seja, nem reforços, nem jogadores que já cá tendo estado o ano passado chegaram mais tarde.

Na baliza, temos um guarda-redes para as taças: Paulo Vitor.
Pawel na Liga e Carlos Alves no sítio de sempre.

Defesa:
Na direita, Júnio era o único que entrava na predefinição acima referida (Costinha chegou mais tarde). Fez um jogo bom na linha daquilo que mostrou no final da época passada.

Na esquerda Matheus concorria com um reforço e ganhou a corrida, quanto o mim bem pelo que vinham fazendo na pré-época. Cumpriu.
No centro da defesa Bore é para mim o nosso central mais completo. Estava cá o ano passado mas não fez a pré-época toda por ter estado no Euro sub21.

Jogaram Monte e Messias. E aqui quero deixar a primeira nota.
Embora ache que Bore é o melhor, creio que a dupla Monte e Messias é a que combina melhor. Se o ano passado era Semedo e outro qualquer porque este era muito melhor que os outros e fazia de quem jogava ao seu lado também melhor jogador; Bore embora melhor, não é, para já, um craque nem ao lado de Monte nem de Messias. Com isto, Monte é o central que melhor temos na saída de bola, o que proporciona liberdade a Filipe Augusto para receber jogo mais à frente e termos a equipa mais subida e ao mesmo tempo Monte consegue fazer 5 ou 6 passes de 40 ou 50 metros a variar o centro do jogo sem os errar… e mais nenhum defesa nosso o faz.
Messias é o melhor nos duelos individuais aéreos e o mais rápido. Alguns défices de posicionamento que Bore não tem e onde Monte é muito concentrado.
Bore é no um para um quando um contrário o encara o melhor no desarme, é bom de cabeça é bom a sair, posiciona-se bem… mas no combinado os outros 2 funcionam melhor. Um caso interessante para seguirmos ao longo da época.
No nosso primeiro golo, Nelson Monte estava rodeado por 3 jogadores da Oliveirense. Quando o que todos pedíamos era um chutão, o que ele faz é abrir em Matheus com um passe que o deixa com o corredor aberto e nessa transição rápida há um bom golo do extremo do lado contrário, Nuno Santos.

No meio campo quase a mesma coisa. Aceito que digam que Jambor é mais jogador que Tarantini e até aceito que digam que melhor que Filipe Augusto. Mas a realidade é que o nosso melhor meio-campo de sempre (Filipe Augusto, Tarantini e Diego levaram-nos a duas finais de taças e à Liga Europa) liga como ninguém. Filipe Augusto sente-se mais confiante quando sente que tem Tarantini para o dobrar (e posicionalmente Tarantini é exímio). Diego sente uma liberdade sabendo que tem, se necessário, 2 cães de caça atrás dele para o que der e vier.
Tarantini dá um equilíbrio à equipa que muito dificilmente outro dará.
Jambor é uma excelente alternativa, já Vitó tem a vida muito complicada.
Estranhei a ausência de Joca no banco, quando fez um pré-época muito interessante.

Neste 2 casos, dupla de centrais e trio de meio-campo, estamos claramente, na minha modesta opinião, perante situações em que o todo é muito mais que a soma das partes. Nem sempre têm de jogar os melhores, mas sim aqueles que tornam a equipa melhor.
Tarantini merece destaque porque faz isso há anos no nosso clube.

Os extremos de pés trocados:
Nuno Santos, canhoto na direita e a justificar o porquê com 2 golos (o 2º soberbo) e com Junio muito bem a combinar e a entrar nas costas. Nuno Santos é titular de caras. Ele e mais 10 neste momento.
Gabriel perdeu o lugar possivelmente para Mehdi… ou para Mané que levou uma pancada muito feia. Mané ainda não está em forma… mas mostrou pormenores de craque… Esperemos que não o matem de pancada. Mehdi entrou também muito bem, muito disponível e tem golo (e fez)… o que pode fazer sentido também para jogar de fora para dentro na esquerda. Pode até proporcionar 4-4-2 com Nuno na direita, Diego na esquerda e ele e Moreira na frente…
Murilo para mim, como já vinha dizendo, apesar de ter sido titular em vários jogos de pré-época, não tem andamento para competir/discutir a titularidade com estes jogadores. Reforço que na pré gostei mais de Jaime do que de Murilo.

Ponta-de-lança:
Bruno Moreira é o nosso ponta-de-lança mais completo, mais inteligente e na minha opinião o que pode oferecer mais a uma equipa que é baixa. Segura bem, joga de costas para a baliza, sabe jogar de frente (como se viu acabou como 2º avançado) e tem golo.
Entrar Ronan deixou-me a pensar se Carvalhal quer de facto apostar nele ou se estava a pedir um ponta-de-lança.
Said caiu?

Notas finais:

6- golos podiam ser 5 ou 8... marcamos e marcar é sempre bom.
3 – oportunidades de golo da Oliveirense em cantos, com jogadores a saltarem sozinhos e felizmente a não marcarem, mais uma de bola corrida que me lembre. É preciso mais atenção e mais trabalho.
13 – a soma de PSP’s e seguranças a olhar para a bancada poente com cerca de 1000 pessoas. Quero ver pela proporção 1000 polícias a olhar para 9000 pessoas nos jogos em que rebentam petardos e tochas em cima do nosso banco e nos nossos apanha-bolas.
1- central que nos falta se for melhor que os que cá estão.