20.2.18

Futsal: uma equipa abaixo

Volto à exibição da equipa de futsal frente ao Caxinas.
Os 'deuses' estiveram connosco e vencemos.
Mas é de esperar muito mais destes jogadores.
Alguns deles pareciam uma sombra do que podem e sabem: Simas, Ruben, Cristiano, por exemplo.
O plantel do Rio Ave tem duas vezes mais qualidade do que o Caxinas, mas não foi isso que se viu.
Aliás, a nossa classificação atual no campeonato reflete, pelo menos parcialmente, as dificuldades sentidas.
Insisto: eu esperava mais.
(Agostinho Santos/Facebook Rio Ave FC)

É possível mais?

Novais, o mais

... o mais pontuado no Dragão entre os 14 do Rio Ave.
Novais somou 30 pontos, mais dois do que Pelé.
(foto: Rio Ave FC)

Depois surgem Tarantini e Geraldes, 25.
Guedes foi o menos pontuado com 19 pontos, menos um do que Marcelo, Monte e Barreto.
(oito contributos diferentes nesta soma)

"Miguel Cardoso desejado para render Pedro Martins" (A Bola)

Está na primeira página de A Bola de hoje.

(independentemente das questões contratuais (cláusula de rescisão?), não vejo razões lógicas para o treinador do 5º classificado trocar pelo 9º; além disso, basta lembrar o que disse em dezembro)

19.2.18

Da Guerra dos Tronos ao gabinete de Miguel Cardoso

Em momentos mais emotivos facilmente se confunde crítica com dizer mal.
Penso, contudo, que devemos refletir sobre o nosso Clube nos variados ângulos.
Ainda não passaram 24 horas desde o jogo do Dragão, aqui ficam mais algumas ideias:
- o Rio Ave sofre 5 golos sem resposta e termina com 55% de posse de bola (chegou a ter 66% no segundo tempo).
- do meu ponto de vista há uma falência do sistema (do modelo, da identidade, como se quiser chamar) quando se joga com equipas com mais argumentos;
- Antevejo um largo futuro para Miguel Cardoso como treinador mas sei que daqui a três ou quatro anos vai pensar de forma diferente, 'ajustando' as suas equipas às equipas adversárias.
- A estatística diz que houve um  ou dois remates enquadrados com a baliza portista em 90 minutos e que Cássio foi o melhor em campo... Por falar em Cássio, "deixamos uma palavra de agradecimento e desculpa aos adeptos".

PS - sou fá da Guerra dos Tronos. Nessa série de televisão é possível ver, ao longo das várias temporadas, como os generais mandam os seus soldados para batalhas que sabem ser perdidas, pedindo-lhes que morram pelo seu rei. Na Luz e no Dragão lembrei-me disto não sei porquê...

Que fim de tarde ...

Um jogo não faz um campeonato.
Perder com o primeiro classificado em sua casa não é desonra nenhuma.
Ser goleado em qualquer campo, não cai bem e deixa sempre, em todos, algum amargo de boca.
Foi um mau jogo da nossa parte.
Há que levantar a cabeça e apostar já no próximo jogo.
Há muito para refletir internamente, mas isso compete aos técnicos e jogadores.
Neste momento temos é de apoiar.

Pontuar os jogadores neste jogo é rápido. Todos os que entraram em campo:  2, com exceção de João Novais que merece nota 3. A defesa sofreu muito, o meio campo foi lutador e o ataque esteve desinspirado.

Ainda ecos do Dragão

1) Respeito (e, de certa forma, até admiro) os sócios que, mesmo perante derrotas embaraçosas, continuam a ver o mundo cor de rosa, sobretudo os que estiveram no Estádio. Como peço que respeitem quem sente de outra forma estas humilhações.
2) Não está em causa o treinador nem o trabalho que está a ser realizado, que merece uma avaliação positiva da minha parte.
3) Mas tenho muitas dificuldades em perceber que MC seja o único treinador (do mundo?) que a perder por 1 por 2 ou por 3 não faça uma substituição de reação. A primeira foi ao habitual minuto 66. Confiança absoluta naqueles 11? Não há nenhum que estivesse abaixo e que pudesse dar lugar a alguém mais motivado?
4) Continuo sem perceber porque não joga Diego Lopes, mas vou deixar de falar sobre o assunto. Mais preocupante é o facto do Rio Ave se apresentar sem ponta de lança no banco, por causa da lesão de Dala. Devemos ser a única equipa do nosso campeonato nessas circunstâncias. Começo a pensar que alguma coisa não correu bem nas contratações de janeiro e a ter de dar razão ao JVC.
5) Há quem ache normal perder 5-0 no Dragão ou na Luz. Eu não. Nem no tempo de Carlos Brito...
(Rio Ave FC)

PS - o jogo acabou e apenas Marcelo foi agradecer aos adeptos. Muitos já se dirigiam para o balneário, quando Gama os intercetou para voltarem para trás.

18.2.18

Goleados no Dragão (5-0). Falta de comparência são 3-0....

Saio do Dragão a pensar que mais valia ter perdido por falta de comparência.
Ao menos não  era envergonhado nrm humilhado.
Agora a sério: mais uma goleada com alguma sorte para os portistas mas um Rio Ave amorfo, desinspirado, lento, a cometer muitos erros individuais.
Na epoca passada sofremos 4 golos mas jogamos olhos nos olhos.
Agora fomos um cordeiro degolado sem dó nem piedade. Mau.
Felizmente só temos mais um jogo em casa  de um candidato ao título. É triste mas menos mau...

Miguel Cardoso antes do jogo com o FC Porto: "não vamos vender a alma ao diabo"

Miguel Cardoso explicou ontem que acredita que o modelo de jogo do Rio Ave é competitivo para jogar com equipas como o FCPorto, como para jogar com qualquer uma do campeonato. E por isso disse que "não vamos vender a alma ao diabo".
Para sair do Dragão com um resultado positivo, o treinador quer a equipa a ser rápida na recuperação de bola, eliminando ou reduzindo os espaços do adversário.

17.2.18

Rio Ave elimina Caxinas (3-2). Mas o susto... (video)

Estivemos a perder 2-0 e só aí a equipa acordou.
Só a perder 2-0 os jogadores mostraram que são melhores e que podiam vencer.
A vitória surge mesmo a acabar (num lance precedido de falta da nossa parte).
Justo?
Gostava de dizer que sim, mas o empate ajustava-se melhor ao que aconteceu no jogo.
Vencemos mas ficou o susto.
Camisolas e nomes não vencem.
O Caxinas, com uma equipa muito mais limitada, mostrou garra.
Missão cumprida
PS - não faltou apoio à nossa equipa
(clicar no título para ver o vídeo na totalidade)

Futsal: Rio Ave perde 1-0 ao intervalo com o Caxinas

As camisolas e os nomes não ganham jogos.
Jogo muito abaixo do que seria de desejar.
A corrigir no segundo tempo

"Sonho ser treinador do Rio Ave"

Zé Gomes no JVC desta semana:

16.2.18

A hora de Diego Lopes?

Mais uma vez.
Mais uma insistência.
Marcou, não podia estra mais moralizado.
Já está há um mês em Vila do Conde.
A equipa precisa dele [Barreto foi pela 9ª vez o menos pontuado em campo].

Mais mobilização para o jogo de futsal, por favor [ATUAL:]

É sexta-feira, amanhã o Rio Ave defronta o Caxinas para a Taça de Portugal em futsal.
É apenas um jogo importante, como todos os outros?
Pelo que (não) se vê no site, sim.
Posso estar errado, mas vejo as coisas de forma diferente.
Admiro o trabalho que o Caxinas faz na formação, mas o jogo de amanhã é um derby.
Um derby local, como nunca acontecera.
Um derby para ganhar.
Um derby em que somos favoritos mas em que, provavelmente, estaremos em desvantagem em termos de ambiente.
Por isso gostaria de ver mais mobilização.
(eu vou lá estar!)
Atualizo a 17/2: o Rio Ave colocou informação ao fim da tarde no site. Mais vale tarde do que...

15.2.18

A dimensão atlética, agora no Dragão

Na Luz o treinador enfatizou as diferenças na dimensão atlética das duas equipas, falando também em fadiga acumulada por parte da nossa equipa.
Do domingo o Rio Ave jogará com um FC Porto que fez um jogo a meio da semana.
Os nossos atletas, em contrapartida, tiveram dois dias de folga após a vitória sobre o Marítimo.
Que peso terá a questão física neste jogo?

PS - não quero o mal de ninguém, muito menos das equipas portuguesas quando fazem jogos internacionais, mas talvez o jogo com o Liverpool nos ajude.

Quando acontecem as substituições

Ainda a propósito das substituições, sobretudo pela entrada de Diego Lopes na Luz a 2 minutos do fim a perder por 5-1, veja-se o quadro abaixo:
clicar na imagem para aumentar

Por 7 vezes estávamos a perder quando o treinador fez a última substituição. A 3ª substituição na Luz nem sequer foi a mais tardia, Essa foi a do jogo com o Marítimo, fora, que aconteceu já para lá do minuto 90. A de Diego iguala ao minuto a da 10ª jornada, em casa, com o Sporting. Diferenças a ter em conta: perdemos apenas 1-0 (ou 0-1) ambos os jogos sendo que na derrota da Madeira o golo do adversário foi ao minuto 92 e contra o Sporting sofremos o golo que nos derrotou ao minuto 85. A estranheza do momento da substituição contra o Benfica aumenta se tivermos em conta que contra o Portimonense na jornada anterior, a perder por 4-1, Miguel Cardoso não fez a 3ª substituição. Só o treinador saberá\poderá explicar.

Por outro lado, vemos que as terceiras substituições têm tido um impacto extremamente positivo nos jogos. De 28 pontos somados no momento em que as 3ªs substituições aconteceram, passámos para 36 no final dos jogos. É um ganho de pontos muito bom.

Voltando ao momento em que as substituições têm ocorrido, vemos no quadro que se segue que elas acontecem tendencialmente mais tarde quando o resultado é positivo e mais cedo quando estamos empatados ou a perder.
clicar na imagem para aumentar
Os minutos padrão da 1ª substituição em caso de empate e vitória podem causar alguma estranheza em relação ao que acontece em caso de derrota. A explicação é porém fácil de dar: na 16 jornada aos 59 minutos já vencíamos por 3-0 e o treinador tirou Marcelo para o poupar para o ciclo complicado de 4 jogos em 16 dias que metia Taça de Portugal e Taça da Liga pelo meio. Já no que toca aos empates, o minuto padrão é ainda mais baixo devido à lesão de Lionn e respectiva substituição por Nadjack aos 38 minutos contra o Portimonense na jornada 3.

14.2.18

Um pavilhão para o futsal?

ASC gostaria de construir, num dos topos do Estádio, um pavilhão para o futsal treinar.
É verdade que o Pavilhão Municipal está muito sobrecarregado, e isso dificulta a gestão dos treinos, mas depois da Câmara Municipal ter anunciado um pavilhão novo para as Caxinas nos próximos anos, aquele que está ao lado do Estádio ficará mais liberto (e mais disponível para o Rio Ave, penso).
PS - por falar em Caxinas e no futsal: este sábado às 19h há um jogo inédito para a Taça de Portugal: Caxinas-Rio Ave (sim, jogamos como visitantes e temos de pagar bilhete).

Ainda a luta pelo 5º lugar (ou 'apenas' ser o melhor)

Alguém imagina Miguel Cardoso, treinador por exemplo do Benfica, a dizer que ser campeão não é o seu objetivo, antes ser melhor jogo após jogo?
Acredito que ele nem diria tal coisa, mas se dissesse caíam-lhe em cima...
Tudo isto porque não percebo o problema em assumir um objetivo na classificação.
(A Bola)

PS - aconteça o que acontecer no Dragão, continuaremos em 5º

13.2.18

Os dois amores de João Malheiro

É possível ter dois clubes e gostar deles igualmente?
Este é um assunto polémico, que muitas vezes tem dividido os Rioavistas.
Vem isto a propósito do que escreve João Malheiro no último Terras do Ave.
(uma coisa parece-me óbvia: dificilmente o Rio Ave será um Clube com uma boa massa de adeptos que gostem só do Rio Ave)

(clicar para aumentar e ler)

12.2.18

Falemos do melhor em campo, porque...

Novais!
Novais foi o melhor em campo frente ao Marítimo.
Somou 40 pontos, mais 3 do que Pelé e 7 do que Yuri Ribeiro.
Com 31 aparecem Diego Lopes, suplente que marcou, mais Marcelo, Monte e Geraldes.
No fim da tabela, com apenas 26 pontos, surge Óscar Barreto.
[as contas resultam da soma de 7 contribuintes diferentes, como podem ver aqui]

30 jogos

Frente ao Marítimo, completámos 30 jogos esta época.
Há 16 vitórias e 10 derrotas (4 empates).
O balanço só pode ser positivo.
48 marcados e 38 sofridos.
Mais uma razão para um balanço positivo.
Mas o que conta é como terminamos...

Quatro guarda-redes

Há muito que o Rio Ave não tinha dois guarda-redes top.
Agora tem.
Muitas equipas têm três guarda-redes de primeiro plano.
O Rio Ave não tinha.
[Rui Vieira é um bom guarda-redes mas falta-lhe assim um bocadinho para estar ao nível de Cássio. Ou de Makaridze].
A luta pela titularidade vai aquecer.
E isso só nos beneficia.
Cássio é o nosso bi-Rei, mas Makaridze não vai desistir de conquistar o lugar.
Lá, está, isso só nos beneficia.

PS - a chegada de Makaridze vai atrasar a integração de Carlos Alves no onze? Na verdade, a diferença é pouca. Ele continua a ser titular da equipa B e a treinar com o plantel principal. Se vai chegar ou não à equipa principal é outra questão. Mas ainda continua a ser um jovem: faz 20 anos no domingo.

11.2.18

Silvério volta a jogar pela B

O jogador mais azarado desta época?
Silvério.
Essa tem sido uma das razões para não se conseguir afirmar na equipa principal.
Neste contexto, saúda-se o regresso à equipa B (que ontem ganhou 4-0 nos Dragões Sandinenses)

PS - no onze também estava André Silva (e marcou!), o jovem avançado que o Rio Ave inscreveu na Liga e que, aliás, esteve no banco na Luz, mas que ontem foi preterido por Miguel Cardoso (com Dala ainda a recuperar, o Rio Ave não tinha um ponta de lança no banco frente ao Marítimo, o que é sempre difícil de entender).

Ò Daniel, francamente...

"o resultado não traduz o que se passou no jogo, mas a diferença foi que não aproveitámos as aproximações que fizemos à baliza contrária"
PS - já vi as imagens, penalti tão parvo (como é que um defesa faz uma abordagem daquelas ao lance...) quanto indiscutível

Um-a-um frente ao Marítimo: um rei Pelé?

Cássio: 2 (corrigiu um erro cometido a jogar com os pés; não teve muito trabalho, ao contrário do que diz o treinador do Marítimo);
Lionn: 3 (regressou bem, mas ainda não está a 100%. menos solicitado no ataque)
Marcelo: 2 (não gostei. Dois lances confusos)
Monte: 3 (bem a defender. A lançar o ataque, com os seus passes em profundidade, esteve mais infeliz)
Yuri Ribeiro: 4 (na segunda parte desapareceu um pouco, talvez por esgotamento físico, mas na primeira esteve em excelente evidência).
Pelé 4 (o melhor e não apenas por ter marcado o primeiro golo. É o pulmão da equipa. Não só defende, como acontecia no início da época, como aparece cada vez mais no ataque. Joga e faz jogar)

Tarantini: 2 (desinspirado. Na primeira parte lutou bastante, mas perdeu fulgor na segunda)
Barreto: 1
Geraldes: 3 (lutou até cair. Nem tudo lhe saiu bem, mas coragem a pedir a bola não lhe falta. Não se esconde. Cai e levanta-se. Merecia mais neste jogo)
Novais: 4 (dois livres para golo; um parado pelo guarda-redes do Marítimo e outro entrou).
Guedes: 2 (ganhou o lance do penalti, mas não foi daqueles jogos em que esteve mais presente)
Diego Lopes: 3 (entrou e marcou. À ponta de lança. Ganha confiança)
Nuno Santos: 1 (o Paulo, que estava ao meu lado, usou esta frase curiosa: o Nuno Santos é um 'corpo estranho na equipa'; Tem razão o Paulo: Nuno gosta de correr e chutar a bola, mas obrigam-no a dançar com ela...; além disso, esteve pouco tempo em campo)
Pedro Moreira: 1 (sem tempo)

10.2.18

3-0 ao Marítimo. Claro

1) Vitória inequívoca, embora o lance do primeiro golo me tenha deixado dúvidas no Estádio.
2) A equipa parece estar a recuperar rotinas positivas, embora ainda haja jogadores em subrendimento.
3) O Marítimo defende bem mas joga pouco daí para a frente e vai acabar a meio da tabela (a primeira volta foi um milagre).
4) Pelé está um senhor jogador e é ele que faz a diferença nesta altura.

5) Diego Lopes voltou a ser suplente. Entrou e marcou no primeiro toque.

Dala não é o avançado que o Rio Ave precisa?

As dúvidas do JVC que só serão desfeitas no fim da época.

9.2.18

MC garante que o plantel deu excelente resposta nos treinos...

... desta semana e por isso garante que o Rio Ave, amanhã, vai dar uma resposta forte frente ao Marítimo.

O regresso de Lionn? (e a equipa na máxima força)

Lionn já treinou integrado com os companheiros, durante a semana, embora não tenha dado para perceber se ainda tem alguma limitação [Nadjck também].
Penso que dá para acreditar que estará de regresso amanhã.

[da forma que MC quer os laterais a jogar, Lionn é indiscutivelmente melhor do que Monte, o que não implica qualquer crítica ao central, que muito bem se tem adaptado].
Assim sendo, teremos o Rio Ave na máxima força.
A grande dúvida é o substituto de RRibeiro.
Se não for Barreto e ainda não for Diego, quem poderá ser?

Um convite... Valente!

Não o vi, mas disseram-me que Valente, o nosso antigo jogador, alvo de uma homenagem em outubro de 2016, está a residir em Vila do Conde.

Gostava de o ver amanhã na bancada!

8.2.18

O pior jogo


O algodão não engana: o jogo da Luz foi de longe o pior da temporada. A pior derrota teve tradução directa no nosso barómetro da forma da equipa de uma maneira que não deixa qualquer dúvida. É o primeiro jogo com média abaixo dos 40 pontos. Para encontrar um jogador que tenha sido o melhor da jornada com menos que os 31 pontos que Geraldes e Guedes conseguiram nesta jornada, temos de recuar até à nossa derrota em Santa Maria da Feira e aos 28 pontos que Tarantini somou na única vez foi o mais pontuado.

Já na corrida para melhor jogador da época Tarantini mantém a liderança somando agora 600 pontos, mais 7 que Geraldes que é agora 2º e mais 9 que Marcelo, o 3º. Pelé que era segundo baixou até ao 4º lugar.

Mudar por mudar?

Há sempre uma hora em que se sente que a equipa precisa de substituições, seja lá pelos motivos que for. E nesse momento todos temos opinião, trocava-se este por aquele, o fulano por sicrano, e o beltrano entra no lugar de mais alguém. A equipa passa a jogar assim e assado. 

A escolha este ano é só de Miguel Cardoso e a nós, que injustiça!, resta como sempre a opinião. Olhando para aquilo que o treinador tem feito na hora de trocar os jogadores que estão em campo há estes factos:

- foram feitas 62 substituições em 21 jogos, o que significa que houve um jogo em que não houve a 3ª substituição. Isso aconteceu em Portimão quando o treinador trocou 2 atletas aos minutos 73 e 77, mas depois achou que já não se justificava trocar mais ninguém.
Vejamos agora o quadro abaixo:
clicar na imagem para aumentar
O que o quadro nos diz é que a 1ª substituição é a mais ofensiva e a 2ª a que mais refresca a equipa com atletas de características semelhantes. Já a 3ª tem números próximos entre si. Note-se que o quadro apenas ilustra o tipo de jogadores que saem e entram, não julga o esquema táctico da equipa. Mas de uma forma global, o que se nota é que entram mais jogadores defensivos do que ofensivos na hora de fazer substituições.

Já este novo quadro nos mostra como estão os jogos quando o treinador vai ao banco:
clicar na imagem para aumentar
Estamos mais vezes a ganhar do que a perder quando acontecem as substituições, mas é sobretudo quando estamos a empatar que Miguel Cardoso mexe no 11. 

Já no que toca a golos, antes da 1ª Substituição marcámos 15 e sofremos 14, antes da 2ª marcámos 17 e sofremos também 17 e antes da 3ª marcámos 27 e sofremos 22. (os números da 3ª substituição têm o desvio que vêem devido a não ter acontecido a 3ª substituição em Portimão). 

Tudo isto resulta no seguinte:
Na maior parte das substituições a tendência de resultado que se verificava no momento da mexida foi a mesma do resultado final. Dessas 43 situações, estávamos a ganhar em 18, empatados em 9 e a perder em 16.

Posto desta forma, Miguel Cardoso mexe bem ou mal na equipa?

7.2.18

Os objetivos da equipa; eu a criticar Yuri Ribeiro...

Disse Yuri Ribeiro ontem na Escola das Caxinas: a filosofia do Rio Ave FC passa pelo objectivo em ser melhor diariamente e não viver obcecado por qualquer lugar na classificação. Daí o título da peça: “Trabalhamos todos os dias não pelo 5º lugar mas para ser melhor

Eu gostaria mais de ter lido que a equipa vai fazer tudo para alcançar o 5º lugar.
"Ser melhor todos os dias" é uma formulação muito vaga. Parece típica de quem tem medo de assumir objetivos concretos.

Qual é o problema de assumir a luta pelo 5º lugar, quando não resta mais nada para alcançar????? Não esquecer o que disse o Presidente: "vamos lutar pela oportunidade de regressar à Europa"

A época da equipa junior

Após duas temporadas de sucesso, a equipa júnior falhou o apuramento para a fase final que vai disputar o título.
Vamos, em contrapartida, lutar para garantir um lugar no Nacional, na próxima época.
Algumas notas:
- este insucesso coincide com a saída de Pedro Cunha e a entrada de Mateus Lima para o comando técnico. Mas não foi pelo treinador, penso. Dos jogos que vi, percebia-se que a equipa estava a dar tudo e que não era pelo treinador que passava a 'questão';
- a equipa, parece-me, tem menos qualidade individual do que os últimos planteis júniores. Faltam alguns elementos para desequilibrar e o 'querer', já se sabe, nem sempre é suficiente.
- ainda assim, e mais uma vez apenas pelo que vi, esta equipa tem qualidade suficiente para garantir a manutenção no Nacional. Não vai ser fácil, como se percebe pela classificação da primeira fase, mas nem outra coisa seria de admitir.

6.2.18

A melhor época de sempre de Guedes

Tem 10 golos, os mesmos que marcou em 2014/15 em Penafiel, antes de vir para Vila do Conde.
Facilmente fará mais 4 ou 5 e carimbará a melhor época de sempre.
A mim, surpreende-me porque a tática usada pela equipa não o favorece - o jogo é mais interior, pelo meio campo adversário, do que marcado pelos cruzamentos.
E, mesmo assim, já festejou 10 vezes.
(foto: zerozero/Vítor Parente/Kapta+)

PS - como bem lembrava um nosso leitor e Rioavista, está na lista dos melhores marcadores portugueses da Liga, com 8 golos.

Somos os principais favoritos ao 5º lugar

Se o Boavista ganhar nas Aves passa o Marítimo e o Guimarães e fica a três pontos de nós (tal como do Chaves).
Se há dois meses se antecipava a luta pelo 5º lugar entre Rio Ave e Marítimo (e, possivelmente, Guimarães), está visto que vai ser muito mais complicado.
Uma coisa é certa: somos nós que estamos em 5º e, nesta segunda volta, já jogámos com o Benfica.
Antes como agora digo: somos o principal favorito ao 5º lugar!
A equipa e o treinador têm a resposta.
Connosco sabem que podem contar.

5.2.18

... E Barreto voltou a ser o pior em campo!

Começa a ser um caso de estudo: somadas todas as pontuações que fazem o Rei do Ave (e foram oito, nesta jornada), Barreto voltou a ser o jogador menos pontuado entre os titulares.
(Foto:Rio Ave FC)

A única diferença é que, com os mesmos 21 pontos, juntaram-se Marcão e Bruno Teles.
No outro extremo, Guedes e Geraldes partilham a melhor posição, com 31 pontos.
Como tem acontecido quase sempre, os suplentes não conseguiram fazer a diferença.

A entrada de Diego Lopes

Diego Lopes foi suplente utilizado em dois jogos e soma 18 minutos. No sábado entrou aos 88.
Não tenho dúvidas de que DL virá a ser uma mais-valia para o Rio Ave, mas todos sentimos que a equipa precisava de um reforço para entrar já (infelizmente, o substituto de RR não está no plantel que começou a época).
Há certamente questões físicas que limitam Diego Lopes. Mas só aguenta, vá lá, 5 ou 10 minutos por jogo?
Ainda não o teremos em condições no sábado?

Digerir

Durante 45 minutos o Rio Ave apresentou-se com classe e categoria na Luz.
Teve períodos empolgantes e em que dominou o adversário.
Nos segundos 45 minutos deu uma pálida imagem do seu valor.
E como a última imagem é que fica na retina, nós os adeptos ficamos com a sensação que se jogou pouco, o que não é totalmente verdade.
E o sentimento de desânimo deve-se sobretudo a sofrer tantos golos em 43 minutos e sairmos goleados da Luz.
Cássio: 3. Sofreu muitos golos, e ainda defendeu algumas bolas perigosas;
Nelson Monte, Marcelo, Marcão e Bruno Teles: 2. Não conseguiram conter o ímpeto adversário na segunda parte (Teles esteve ligeiramente melhor que os restantes colegas da defesa).
Tarantini, Leandrinho, João Novais e Barreto: 2. Claudicaram na segunda parte quer defensivamente quer ofensivamente (João Novais esteve, contudo, ligeiramente melhor ofensivamente)
Guedes: 2. Marcou o golo do Rio Ave. Mas foi pouco servido e quando assim é, é penalizado.
Geraldes: 4. Esteve no lance do golo, sempre a tentar o contra-ataque e a colocar o meio campo e defesa benfiquista em estado de alerta, tendo de recorrer muitas vezes á falta para o travar.
Nuno santos e Pedro Moreira: 2. Não conseguiram reerguer o Rio Ave (era já difícil).
Diego Lopes: Entrou mesmo no fim, sem tempo para o podermos pontuar.

4.2.18

A dimensão atlética

Continuo com  a 'voz embargada', depois da humilhação na Luz.
Não estamos habituados a isto e, com este treinador, pensava que tinhamos superado esse patamar.
Afinal, como se percebe, há ainda várias fragilidades.
Uma delas, levantada pelo nosso treinador no final do jogo, foi a dimensão atlética dos jogadores em campo. Ou seja, os do Benfica não são apenas melhores tecnicamente, são mais poderosos.
Não me lembro de ouvir este argumento na primeira divisão (que, levado ao extremo, desprestigia o nosso plantel), mas quase de certeza que é erro meu. [Pelé faz falta, mas não justifica o que aconteceu - vários golos de bola parada têm a ver com dimensão atlética?].
Outra das fragilidades - e nisto não tenho dúvidas de que Miguel Cardoso está errado - é a persistência, a qualquer custo, naquilo a que chama de congruência na identidade de jogo. Na segunda parte fomos completamente massacrados e não houve nada que o treinador fizesse para contrariar esse descalabro. (é como se dissesse aos jogadores: 'vão para o campo e morram em defesa da vossa identidade').
Já elogiei muitas vezes o treinador e não é este momento negativo que me faz alterar a análise. Mas neste ponto considero que está errado.
(Marcelo foi o menos mau. E ficamos com a garantia que o teremos a 100% nestes três meses, depois de uma semana negativa; foto: Rio Ave FC)

3.2.18

Rio Ave perde 5-1 na Luz. Isto é normal?

1) Nove golos numa semana - isto é normal?
2) Uma segunda parte sem uma única oportunidade de golo - isto é normal?
3) Sofrer cinco golos em 45 minutos (depois de termos entrado bem no jogo e estarmos moralizados ao intervalo) - isto é normal?
4)  Diego Lopes entra em campo quase no descontos (quando, mais uma vez, tivemos Barreto fora do jogo) - isto é normal?
(MaisFutebol)

O que se passa com o nosso Rio Ave?
Quem souber que responda que eu estou sem palavras.

Marcelo regressa ao onze

Barreto é  titular.
Monte  a lateral direito.
Força Rio Ave

Marcelo: sim ou não?

O site do Rio Ave dá o jogador como "condicionado" (o defesa central efectuou corrida no relvado").
Já o JVC desta semana é claro: nem lesionado nem castigado.
Como vai ser logo na Luz?

2.2.18

Volte-face!

Como as coisas podem mudar!

Nas 3 últimas jornadas tivemos 3 líderes diferentes no prémio Rei do Ave: Ruben Ribeiro, Marcelo e agora... TARANTINI! O bi-Rei aproveitou a ausência de Marcelo para subir ao primeiro lugar. Marcelo, o lesionado Marcelo, caiu directamente para 3º. Já Pelé que foi o melhor da jornada, subiu ao 2º posto. No gráfico abaixo podemos ver a evolução da posição neste prémio dos 8 melhores colocados. Fomos até ao 8º porque é o lugar que ocupa agora Cássio, ele que foi o líder durante 10 jornadas.


Como podem ver, Pelé tem vindo aos poucos a subir e entre todos até foi o que já teve a posição mais baixa na tabela.

Afigura-se uma interessante luta até ao final do campeonato.

A maior derrota foi apenas o 6º pior jogo

Quem o diz é o nosso indicador de forma.


E no grupo desses 5 jogos que ficam abaixo do jogo de Portimão encontramos até o empate forasteiro com o Aves.

Não deixa de ser de assinalar o facto de a derrota em Braga ter melhor pontuação que as vitórias que se lhe seguiram. De resto, de Braga para cá a média de cada jogo desceu sempre. É a primeira vez esta temporada que encontramos 3 jogos seguidos com a nota sempre a descer. Parece evidente que a forma mais recente da equipa está bem espelhada neste gráfico, mesmo que as vitórias tenham mascarado o momento menos bom da equipa.

1.2.18

Vitó já se estreou

Vitó foi suplente utilziado no último jogo do Covilhã.
O jogo não correu bem aos serranos (derrota por 3-0), mas a presença no onze mostra a confiança do treinador no nosso jogador.

Por falar em jogadores com (alguma) ligação ao nosso Clube:
- O mítico Esmael deixou a Escócia e foi para o Ubzequistão (ganhar uma fortuna, dizem na Escócia). com acusações de racismo.
- Outro jogador mítico, mas razões diferentes (😁), Jebor rescindiu com o clube da Arábia Saudita onde jogava.


Nadjack recuperado?

Passei pelo treino desta manhã e deu para ver Nadjack incorporado com os restantes colegas, treinando (pareceu-me) sem limitações.
Dará para ser titular na Luz? Lionn, esse, continua a recuperar.
Marcelo também esteve no relvado mas não treinou (pelo menos enquanto lá estive).
Última nota para a presença de André Silva, o mais recente elemento do plantel (além de Filipe Almeida, Virgílio e Diogo Teixeira, todos da equipa B).
.

25 jogadores (incluindo Marcelo)

Marcelo não saiu.
Esperemos que seja uma excelente notícia.
Houve quatro saídas e quatro entradas.
25 jogadores.
O Rio Ave continua a ter o plantel mais curto da 1ª Liga, mas agora, só com uma competição, percebe-se.
O setor mais reforçado acaba por ser a baliza, em que entrou um e não saiu ninguém.
Na defesa não houve alterações.
No meio campo saíram dois (RR e Vitó) e chegou Diego Lopes.

(ATUALização: no site do Rio Ave André Silva ainda não aparece)

A novidade André Silva

O Rio Ave inscreveu não 3 (Makaridze, Dala e Diego) mas 4 jogadores na Liga.
O 4º é o avançado da equipa B André Silva.
André Silva é um avançado brasileiro de 21 anos.
(só vi André Silva jogar duas vezes e não tenho opinião sobre as suas qualidades/características. Mas ele tem feito vários treinos com a equipa principal, o treinador conhece-o bem. Além disso, aproveitar elementos da B é o que faz sentido)